05 Apr 2020

Publicado em DIVANIR BELLINGHAUSEN
Lido 106 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Em 2015 escrevi essa crônica, na qual hoje dou uma remexida, lembrando de um artigo do Dr. Luis Miller de Paiva, médico psicanalista que faleceu em 2018, com 99 anos, mostrando a importância de estar com os familiares.
Ele era professor de Ciência e Comportamento da Faculdade Paulista de Medicina. Teve passagens em vários países desse nosso mundo. Além de professor, fazia atendimento psicológico e transmitia seus conhecimentos a médicos e psicólogos.
Um resumo aqui de sua mensagem e minhas considerações.
“Segundo o estudioso, o indivíduo por toda a vida se manifesta segundo foi moldado”. Ele usa sempre a formação do bebê na palavra molde. Misturando com outras minhas leituras sobre a criança, vejo a importância do amor que deve ser demonstrado, do tempo que deve ser doado,na leitura de livros onde as histórias devem se interagidas com os filhos, nas brincadeiras que os país demonstram junto a criança para que ela se sinta uma Família.
Tenho uma jovem amiga que se tornou mãe e ao ver o valor de uma boa creche para sua bebê, resolveu ficar em casa, ela mesma fazendo as tarefas diárias e o melhor, cuidando de sua pequenina. Chegou à conclusão que o que ia ganhar não valia a pena para se ausentar de sua filhinha. Com certeza o amor vai estar presente.
Anos atrás conheci uma secretária que, ao sua filhinha fazer2 meses, ela voltou a trabalhar. A Van da creche passava às 7 horas da manhã. Não tinha bancos e lá eram colocados os bebês em seus bercinhos. Às 19 horas os pequenos eram devolvidos aos pais. Quando a menina completou 3 aninhos, eu não via amor da criança pela mãe. Esta não tinha paciência... pareciam duas estranhas...
Diz o Dr. Luis ser contra a mulher que trabalha o dia inteiro. Que deve conciliar a criança e meio período de serviço para que os laços com os filhos se estreitem. Eu conheci alguns casais em que a mulher tendo um melhor salário e não querendo deixar seus filhos com babás, o que hoje está difícil de encontrar, pessoas de confiança, e também pelo lado financeiro, o marido optou por ser o “dono” da casa, fazendo os serviços domésticos, levando os pequenos à escola, ajudando nos deveres escolares das crianças... Isso é muito comum nos Estados Unidos.
Sobre a velhice, ele fala que se o indivíduo teve uma infância com carinho e afeto, agora esse velho tem chance de ser mais feliz, pois a família vai dar esse apoio que foi o que um dia recebeu.
Acho que ele precisa ter uma atividade para preencher seu tempo. Sozinho ou com a esposa? Dois na pia é muito mais gostoso. Dançar? Natação? Academia? Caminhada?... Estar com os netos... repassar todo amor que existe na família... contar histórias, reais e fictícias. Hoje me lembro das histórias de vida dos meus ascendentes. Sinto que nem sempre prestei atenção esquecendo muitos detalhes. Uma pena...
O psicanalista era a favor de todas as religiões: Buda, Jesus Cristo, Moisés Maomé Alá... Todas são boas... O problema não é a religião. É o ser humano.
Dizia ele que o amor é tudo na vida. Casamento sem amor? Infelicidade na certa.  Segundo Bertrand Russel: “A vida deve ser inspirada pelo amor e guiada pelo conhecimento”.
E vamos terminar com mais uma frase, que achei linda: “Há pessoas que nascem com um rouxinol no coração e, por mais vagabunda que seja a gaiola, o passarinho sempre canta” (R. Bazin)
Então meus amigos... vamos rir, cantar e amar mais...
Um abraço, Didi

Folha Do ABC

A FOLHA DO ABC traz o melhor conteúdo noticioso, sempre colocando o ABC em 1º lugar. É o jornal de maior credibilidade da região
Nossa publicação traz uma cobertura completa de tudo o que acontece na região do ABCDM.

Mais nesta categoria: Nosso trânsito... »

Deixe um comentário

Make sure you enter the (*) required information where indicated.Basic HTML code is allowed.

Visite-nos no Facebook

Main Menu

Main Menu