21 Sep 2018

Folha Do ABC

A FOLHA DO ABC traz o melhor conteúdo noticioso, sempre colocando o ABC em 1º lugar. É o jornal de maior credibilidade da região
Nossa publicação traz uma cobertura completa de tudo o que acontece na região do ABCDM.

Um comparativo produzido pela Colliers International Brasil sobre escritórios de alto padrão em São Paulo e Miami, nos Estados Unidos, revelou o potencial muito próximo dos dois mercados. O estudo foi baseado em informações referentes ao segundo trimestre de 2018, como inventário existente, taxa de vacância, preço médio pedido e absorção líquida.

Em relação ao inventário existente nas duas cidades, o espaço dedicado a empreendimentos Classe A+/A em Miami é de 2.673 mil m². Em São Paulo, esse valor é 8,2% superior, chegando aos 2.893 mil m². Embora a taxa de vacância paulistana seja maior que a de Miami (21% contra 13%), a absorção líquida na capital paulista supera a americana. Em São Paulo, o saldo de áreas locadas menos o de espaços devolvidos é de 8 mil m², 33% maior que o de Miami, que chegou a 6 mil m² nos meses de abril, maio e junho de 2018.

Já sobre o preço médio pedido, analisadas as peculiaridades de cada um dos mercados e levados em consideração quesitos econômicos, sociais, de câmbio e afins, pode-se considerar que os valores são competitivos. São Paulo tem uma média de preço de R$ 84/m²/mês, enquanto em Miami o valor é de R$ 143/m²/mês.

Segundo os consultores da Colliers International Brasil, o estudo permite concluir que, no mercado brasileiro de escritórios de alto padrão, São Paulo está em um patamar próximo de condições como Miami está para o mercado americano. A cidade brasileira apresenta ainda um grande potencial de expansão do inventário disponível, preços atrativos e áreas com taxa de vacância equivalente ou mais baixa do que a média em Miami, como, por exemplo, Itaim Bibi (3%), JK (7%) e Paulista (8%).

Tagged sob

Segundo dados da Serasa Experian, em agosto de 2018 o número de consumidores inadimplentes no Brasil totalizou 61,5 milhões. O indicador caiu 0,16% em relação ao consolidado de julho/2018 (61,6 milhões). É o segundo recuo consecutivo após o recorde da série, registrado em junho deste ano, que chegou a 61,8 milhões de inadimplentes. Já na comparação com agosto de 2017 (60,4 milhões), o aumento foi de 1,82%. O montante de dívidas em agosto deste ano atingiu R$ 274 bilhões, com média de quatro dívidas por CPF, totalizando R$ 4.453 por pessoa.

Segundo os economistas da Serasa Experian, o ritmo de crescimento econômico mais lento do que o esperado para 2018 comprometeu uma maior reversão do nível de desemprego. Esse fator acabou por ainda manter em patamares elevados a inadimplência do consumidor, apesar do recente recuo da inflação passados os impactos adversos provocados pela paralisação dos caminhoneiros.

Informações por segmentos

Bancos e cartões de crédito seguiram com a maior participação no total de dívidas atrasadas em agosto/2018, porém registraram a maior queda, de 1,6 ponto percentual, em relação ao apurado no mês correspondente de 2017. Já Utilities (contas de energia elétrica, gás e água) se destacou com a maior alta observada entre os segmentos, no oitavo mês deste ano, de 2,1 pontos percentuais comparado com agosto/2017.

Inadimplência por gênero

Os indicadores de inadimplência por gênero repetiram, em agosto deste ano, as mesmas participações registradas pelo levantamento da Serasa nos últimos seis meses. Esses percentuais também se mantiveram em patamares similares aos consolidados de agosto/2017:

A série histórica com o número de consumidores inadimplentes pode ser conferida no link a seguir: https://www.serasaexperian.com.br/amplie-seus-conhecimentos/indicadores-economicos

Tagged sob

A The Body Shop®, rede inglesa de cosméticos naturais, inaugurou no Shopping JK, em São Paulo, sua primeira loja com o novo conceito que traz referências da natureza e do programa Community Trade global da marca, que consiste na compra de acessórios e ingredientes naturais de mais de 28 pequenas comunidades em todo mundo, inclusive no Brasil.

"É um espaço repleto de oportunidades e descobertas, onde damos vida a nossos produtos icônicos através de experiências sensoriais, além de trazermos referências sobre o nosso programa de comércio com comunidades, nossos valores e nossas histórias únicas", explica Karina Meyer, Diretora de Marketing da The Body Shop no Brasil.

Com 27m², a nova loja disponibiliza um mix completo com diversas linhas de produtos - faciais, corporais, para banho e fragrâncias - todos naturais e nunca testados em animais. Além disso, conta com vendedoras treinadas para oferecer consultoria aos clientes sobre o melhor produto de acordo com a rotina e tipo de pele de cada pessoa.

Novo conceito

O programa Community Trade, que foi uma das inspirações para o desenvolvimento do novo conceito de loja da The Body Shop, compra cerca de 23 ingredientes naturais e mais de 10 acessórios de 28 comunidades presentes em 22 países, empregando mais de 20 mil trabalhadores. O preço pago pela The Body Shop® por essas matérias-primas é de 1,5 a 2 vezes acima do que é pago no mercado tradicional, permitindo que as comunidades produtoras se desenvolvam social e economicamente.

No Brasil, a The Body Shop conta com três comunidades que produzem diferentes insumos: óleo de soja, produzido em Capanema, interior do Paraná, álcool orgânico, desenvolvido em Sertãozinho, no interior de São Paulo, óleo de babaçu, produzido no Lago do Junco, no interior do Maranhão.

"Acreditamos que as empresas têm a responsabilidade de usar o comércio não apenas para ganhar dinheiro, mas ter uma influência positiva no mundo", diz Karina.

A The Body Shop chegou ao Brasil em outubro de 2014, e desde de setembro de 2017 faz parte do grupo Natura &Co., ampliando a presença da marca no país. A rede de franquias soma ao todo mais de 115 pontos de venda (entre quiosques e lojas) distribuídos por todo Brasil e mais de 3 mil lojas em 66 países.

Tagged sob

A Fundação Santo André (FSA) abriu o processo seletivo para bolsas de estudo integrais a estudantes que sejam brasileiros e ganhem até 1,5 salário-mínimo por mês. Para participar do programa Bolsa Social FSA os candidatos devem necessariamente ter prestado o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).

As inscrições para o processo seletivo às bolsas sociais devem ser feitas exclusivamente no site da FSA (www.fsa.br/vestibular).

 Segundo Rodrigo Cutri, pró-reitor de Graduação da FSA, a iniciativa visa a facilitar o ingresso de mais estudantes nos cursos universitários. “As bolsas integrais são válidas até o final da graduação desde que o aluno cumpra algumas regras como ter um bom desempenho acadêmico, sem reprovação nas disciplinas”, diz Cutri.

 O número de vagas e os cursos que oferecerão bolsas integrais estão condicionados à formação das novas turmas a partir do vestibular 2019, processo que estará concluído em fevereiro.

Tagged sob

A Prefeitura de Santo André está avançando nos processos de consulta pública para a revisão do Plano Diretor, buscando mais transparência e participação da população andreense. Nesta quinta (20) será realizada uma audiência pública, em conjunto com a reunião do Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico, para apresentar as propostas de revisão produzidas pelo governo e para abrir espaço para participação de todos. O evento acontece no Salão Burle Marx, no Prédio do Executivo.

O Plano Diretor é o principal instrumento para orientar a política de desenvolvimento de um município e organizar seu território, e é ele que define as regras básicas de planejamento e controle do uso, do parcelamento e da ocupação do solo, garantindo que a cidade cresça de forma sustentável, cumprindo sua função social. A revisão do Plano Diretor deve ser feita no segundo ano de cada mandato e é necessária para adequar a legislação municipal às dinâmicas atuais.

A grande inovação deste ano é a forma de participação, que será realizada também de maneira eletrônica, por meio de questionário que pode ser acessado pela internet. O formato faz parte de uma grande estratégia de modernização dos serviços públicos, permitindo o exercício democrático digital em Santo André, buscando formas inovadoras de engajamento e envolvimento do cidadão.

“Queremos que os andreenses participem ativamente da gestão da própria cidade. Esta audiência pública tem esse objetivo, assim como outras iniciativas voltadas à participação da população. O Plano Diretor é assunto de suma importância e com diálogo vamos crescer de forma ordenada”, comentou o prefeito Paulo Serra.

A revisão do plano é a primeira fase de um grande processo de planejamento para a cidade. Em 2019, terá início a constituição do programa “Santo André 500 anos”, que irá realizar o planejamento estratégico do município de forma profunda e detalhada, estabelecendo diretrizes e indicadores que a cidade deve alcançar em seu quingentésimo aniversário.

Com este planejamento concluído, a ser realizado com grande envolvimento do cidadão e de setores estratégicos, a Prefeitura apresentará à Câmara uma proposta do novo Plano Diretor, totalmente adequada à estratégia de desenvolvimento de longo prazo para o município. A fase atual de revisão focará mais na simplificação e correção de inconsistências do documento atual, na inserção de alguns elementos importantes para o momento e, principalmente, na criação de condições para a implantação do programa “Santo André 500 anos”.

A Prefeitura já apresentou as principais diretrizes que serão trabalhadas na revisão do Plano Diretor ao Conselho Municipal de Políticas Urbanas, em reunião realizada no dia 13 de setembro. A proposta foi bem acolhida e aprovada pelos membros e o próximo passo é a abertura da fase de consulta pública, que terá início na sexta (21). A partir desta data, os munícipes poderão dar sugestões sobre o projeto acessando o site da Prefeitura (www.santoandre.sp.gov.br).      

Tagged sob

Visite-nos no Facebook

Main Menu

Main Menu