27 May 2019

Com intuito de promover a inclusão social e fortalecimento de mães de baixa renda que tenham filhos – crianças, adolescentes ou adultos – com deficiência, a Prefeitura de São Bernardo enviou o projeto de Lei à Câmara Municipal que institui o programa “Mães Especiais”. Aprovado com ampla maioria, a iniciativa consiste na inserção de mães em ambiente escolar, acompanhando a rotina escolar de seus filhos, com benefício de R$ 1.000,00, por 20 horas semanais. Depois de sancionada pelo prefeito Orlando Morando, a Lei será publicada, nesta sexta (10), no jornal Notícias do Município (NM).

“É o fortalecimento das mulheres, que se dedicam para cuidar de seus filhos com deficiência seja intelectual e física. Muitas não podem trabalhar e são dedicadas a somente este cuidado. Este programa possibilita que ela vá junto com seu filho à escola e seja inserida no ambiente escolar, contribuindo em diversas atividades”, afirmou o prefeito Orlando Morando.

O programa conta com investimento de R$ 10 milhões, com duração de um ano, com possibilidade de renovação para mais um ano. As inscrições serão feitas de acordo com um edital, que será publicado até o fim deste mês no jornal Notícias do Município.

CRITÉRIOS – Ser mãe de criança, adolescente ou adulto diagnosticada com deficiência que habitam a mesma residência; o filho deverá ser matriculado na rede municipal ou nas creches parceiras, com laudo médico; possuir a partir 18 anos; estar em situação de desocupação ou trabalho desprotegido; ter renda familiar mensal per capita até meio salário mínimo estadual; e residir no município há pelo menos quatro anos.

O prefeito Lauro Michels, na tarde de quarta (8), assinou a ordem de serviço para início das obras de implantação do corredor preferencial para transporte coletivo na rua Rio de Janeiro e avenida Casa Grande, no bairro que leva o mesmo nome.

“Estamos dando início à primeira etapa, das sete, deste projeto de mobilidade da cidade de Diadema. Os principais benefícios são uma maior fluidez dos ônibus, favorecendo o tráfego local, e melhorar a acessibilidade para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção”, ressaltou o prefeito Lauro Michels.

Para a instalação da faixa exclusiva de ônibus será necessária a duplicação das pistas da avenida Casa Grande, no trecho compreendido entre as ruas Rio de Janeiro e Antônio Parreira, além de reforço e adaptação do asfalto para tráfego de veículos pesados, pavimentação total das vias, instalação de rampas de acessibilidade, microdrenagem e novo paisagismo, recuperação de bocas de lobo, guias e sarjetas, troca de postes e melhorias na iluminação.

“A obra irá modernizar uma avenida importante para a cidade e vai estabelecer corredores especiais para os ônibus, o que resultará na melhoria do tráfego nesta região”, afirmou o secretário de Serviços e Obras, José Marcelo Ferreira Marques.

A conclusão da obra está prevista para abril de 2020. O investimento é de R$ 11.735.212,55 de repasse do Governo Federal e R$ 1.247.000,00 de contrapartida da Prefeitura.

“Acredito que irá ajudar muito no trânsito da região. Para nós que usamos transporte público será muito importante”, contou a moradora do bairro Casa Grande, Cristina Carla, que esteve presente na cerimônia de assinatura da ordem.

Apresentado pela primeira vez no 31º Congresso de Cirurgia Dermatológica, um novo método de aplicação une dois grandes agentes no combate à flacidez e às marcas de expressão: Sculptra e Restylane Lyft, ambos produtos Galderma. Essa técnica chamada de Firm&Lyft Technique, consiste na aplicação de Restylane Lyft, produto desenvolvido à base de ácido hialurônico, em pontos de sustentação do rosto no mesmo dia da aplicação de Sculptra, bioestimulador de colágeno, para estimular a produção dessa proteína do rosto.

"O grande benefício é que, ao mesmo tempo que o paciente inicia o tratamento com Sculptra, que trará uma melhora gradual de contorno e efeito firmador da pele pelo bioestímulo de colágeno, o paciente já sai do consultório com o efeito imediato de sustentação em pontos estratégicos, como a região das bochechas e do bigode chinês, devido a aplicação do Restylane Lyft", explica a Dra. Mariana Muniz.

Desta maneira, o resultado das duas técnicas é otimizado, garantindo um efeito lifting usando menos preenchedor, com resultados mais naturais. "É recomendada para o tratamento da flacidez quando o paciente já deseja ter algum resultado imediato", aponta a dermatologista.

Sculptra® restaura a firmeza e a sustentação da pele e sua ação ocorre de dentro para fora, já que sua composição à base de ácido poli-L-láctico estimula a produção natural. "É um produto que trata todas as esferas do envelhecimento: reforço da parte óssea, reposicionamento da gordura facial e melhora da qualidade da pele", explica a dermatologista.

Já Restylane Lyft é desenvolvido à base de ácido hialurônico, substância natural da pele que proporciona elasticidade e volume à pele. De acordo com a Dra. Mariana Muniz, sua tecnologia torna o produto ideal para o que chamamos de "ancoragem": pontos estratégicos que sustentam o rosto, sem volumizar muito a região.

A Dra. Mariana Muniz também compara o efeito dos dois produtos. Os resultados do tratamento com Sculptra são duradouros e progressivos, durando em média 25 meses, necessitando cerca de três sessões com intervalo de médio de 30 dias a 60 dias entre elas. Enquanto isso, Restylane tem efeito imediato e em uma única aplicação com resultados que podem durar até 18 meses. Ainda com a nova técnica, a sustentação promovida pelo Restylane Lyft pode diminuir o número de sessões do Sculptra.

Ferra Jockey aposta na cozinha em movimento 

Como globalizar ainda mais a cozinha em um país que já degusta todas as culinárias? Esse é o desafio do Ferra Jockey, inaugurado em março de 2019, que visa trazer a seus clientes a sensação plena de conforto com a cozinha de produto em movimento.

Na cozinha de produto, os ingredientes ganham destaque na preparação dos pratos, ou seja, uma cozinha “simples”, que tem os ingredientes como ponto de partida e o objetivo primordial de torna-los protagonistas do prato. A cozinha é global, sem fronteiras, mas com raízes.

Sob o comando de um criativo gastronômico liderado pelo chef João Alcântara, que preza pela menor manipulação do produto, o Ferra propõe uma cozinha nova, divertida, interativa e pronta para compartilhar. O menu traz opções originárias do mar, terra e pasto, e valoriza as tradições. Da entrada aos pratos, passando pela sobremesa e drinks, o que interessa é a explosão dos sentidos.

Entre os destaques do cardápio, o camarão pitu ao sal, originário de Belém do Pará; o polvo de Santos ao estilo Galícia, a moqueca de mercado; risoto de beterraba com mousse de queijo azul, pistache e flores; diversos baos, de costela de porco e rabo de boi, carnes selecionadas na brasa acompanhadas de Caju na brasa, farofa, batata rústica bernaise.

 Nas sobremesas, uma visita ao Brasil de norte a sul, com pavê, cocada, sorvete e tortas. Os ingredientes dão uma previa do que esperar: cocada crocante e panacota de coco; Maçã, caramelo e castanha de caju picante flor de sal e sorvete de queijo.

 Os drinks, criados pela consultora Adriana Pino, são um capítulo à parte. Bartender há 15 anos, Adriana mergulhou no conceito Ferra e criou uma coquetelaria que pensa em renovação. Dos drinks a compartilhar – Clericot, Sangria e Gingibrada, passando pelos amuletos Ferra, Trevo da Sorte, Dois Desejos, Estrela Cadente, entre outros, até a releitura de clássicos para almoços e jantares especiais. Destaque para o Moscou Mule, Penicilin, Brumble.

 “Queremos que os frequentadores da Casa tenham aqui uma gastronomia incrível, regada à diversão, criatividade e que conte sua história, deixe seu sabor como recordação”, afirma Tico Sahyoun, um dos idealizadores do projeto Ferra.

 Aberto de quarta-feira à domingo, o Ferra propõe uma experiência única para almoço e jantar, com o cenário mais bonito da cidade.

 Horário de Funcionamento:

Segunda e terça-feira

Fechado (para eventos, consulte) 

Quarta à sexta-feira

Almoço – 12h às 15h

Jantar – 18h até último cliente

 Sábado

Abre às 12h para almoço e não fecha até o último cliente do jantar

Domingo

Almoço – 12h às 18h

Sunset – 18h – último cliente

O 911 Speedster já havia causado sensação ao ser apresentado como veículo conceito. A Porsche agora está colocando o carro aberto de dois lugares em produção. O 911 Speedster combina o ideal de um veículo purista e orientado ao condutor com tecnologia do automobilismo esportivo adaptada ao uso diário. O 911 R (2016) e o 911 GT3 serviram de base para seu desenvolvimento. Um motor boxer de quatro litros naturalmente aspirado de alta rotação, com 375 kW (510 cv), proporciona uma emocionante experiência sonora no cockpit. A transmissão GT de seis velocidades é operada manualmente. Visualmente, o novo Speedster cria uma ponte de ligação com sua própria história, para o antecessor de todos os carros esportivos da Porsche, o Roadster "Nº 1", de 1948. A edição limitada do novo 911 Speedster também descende desse veículo. Em alusão a esse ano, serão fabricadas exatamente 1.948 unidades do modelo a partir da metade de 2019, na fábrica da Porsche de Zuffenhausen, na Alemanha.

Como veículo conceito, o 911 Speedster celebrou sua estreia mundial em 2018 na cerimônia comemorativa do aniversário de "70 Anos dos Carros esportivo da Porsche", em Zuffenhausen. Houve também outras aparições públicas como no festival de Velocidade de Goodwood, na Inglaterra, o Rennsport Reunion VI em Laguna Seca, na Califórnia, além do Salão do Automóvel de Paris, em outubro. Numerosos elementos do Speedster que caracterizam o veículo conceito podem ser encontrados agora, com o mesmo design ou similar, no modelo de produção em série.

Ocupando o centro das atenções está a tampa do compartimento da capota conversível, esteticamente moldada com uma configuração aerodinâmica composta por duas bolhas - um elemento essencial desse tipo de carro esportivo desde o 911 Speedster de 1988. Ela é o maior e mais complexo componente usado pela Porsche até hoje num modelo de estrada feito numa única peça de plástico reforçado com fibra de carbono. Dois elementos de acabamento na dupla bolha abrem espaço para o sistema de proteção anticapotagem caso necessário. Ele foi incluído de série no modelo biposto, da mesma forma que no 911 Carrera Cabriolet.

Uma estrutura de teto com peso leve substitui a cobertura tonneau (posicionada ao nível das portas) apresentada no veículo conceito. Apesar de seu design purista, a capota conversível de tecido é própria para o uso diário. Juntamente com as molduras das janelas encurtadas, com seus painéis dianteiros rebaixados e janelas laterais menores, ela é responsável por dar ao 911 seu perfil atlético. A empolgante linha superior da carroceria já caracterizava designs históricos, como o do Porsche 356 Speedster de 1954.

O teto conversível não exige esforço para movimentar: o gancho da trava central na moldura do para-brisa e as duas barbatanas laterais da capota de tecido são liberadas ao toque de um botão. A grande tampa traseira feita de fibra de carbono com baixo peso é destravada eletricamente e desliza para trás por uma curta distância. Após isso, ela é posicionada manualmente e abre espaço para o teto de tecido, que se dobra em forma de Z por trás dos bancos dianteiros. Assim que o teto esteja dobrado em sua posição, a cobertura pode ser fechada sem esforço. O teto é fechado novamente da mesma maneira - apenas as barbatanas da capota à esquerda e à direita dos elementos aerodinâmicos têm que ser pressionadas manualmente para dentro de seus suportes, até que se encaixem de forma perceptível.

Defletor e envoltura traseiros do 911 GT3 Touring

O design leve também orientou outros elementos da carroceria do Speedster. O capô em material composto de fibra de carbono - que pesa dois quilos menos que o do 911 GT3 - e os para-lamas, também de material composto com fibra de carbono, são originários do 911 R. O envelope dianteiro foi cedido pelo GT3, mas o lábio defletor dianteiro é um desenvolvimento completamente novo. No lugar dos espelhos tipo Talbot usados no veículo conceito, a versão de produção do novo Speedster traz espelhos retrovisores externos Sport Design, aquecidos e ajustáveis eletricamente. O defletor traseiro extensível e aerodinamicamente ajustado e o avental traseiro foram adotados pelo Speedster a partir dos presentes no 911 GT3 Touring.

O interior é marcado pelos elementos de couro preto nos apoios laterais e apoios de cabeça dos bancos integrais de fibra de carbono, os descansos de braços no acabamento das portas e a alavanca de câmbio encurtada. Os painéis centrais dos bancos são revestidos de couro perfurado, enquanto os painéis leves das portas com puxadores pretos e redes porta-objetos reduzem o peso total do carro.

Logos "Speedster" adornam os apoios de cabeça e as soleiras das portas de carbono aparente, assim como o conta-giros central. Como os outros instrumentos, ele tem o mostrador preto com ponteiro branco, assim como números e escalas verdes - itens que remetem ao seu famoso antecessor, o Porsche 356 Speedster. Um emblema da edição limitada, fixado na estrutura entre os bancos dianteiros, mostra o número de série do 911 Speedster, que terá a produção limitada a apenas 1.948 unidades.

A Porsche também oferece o novo 911 Speedster, opcionalmente, com um pacote Heritage Design. Desenvolvido pela Porsche Exclusive Manufaktur, essa versão de equipamento reinterpreta elementos clássicos das décadas de 1950 e 60. Isso inclui o esquema cromático interno nas cores Preto e Conhaque. Uma pintura branca em forma de "dardo", na face e para-lamas dianteiros, é aplicada à pintura básica do veículo, que tem a cor GT Prata Metálico. Adesivos esportivos redondos para as portas e o capô dianteiro completam o pacote. Os proprietários podem escolher seus próprios números de corrida, até um máximo de dois dígitos, como mostram as fotos. Os escudos da Porsche e os logotipos dourados correspondem aos designs usados em 1954.

Motor de alta rotação com 510 cv

O coração do novo Speedster foi adotado do 911 GT3. O motor de seis cilindros naturalmente aspirado, com quatro litros de cilindrada, é um puro propulsor de GTs. A potência máxima de 375 kW (510 cv) é alcançada a 8.400 rpm, com a rotação máxima do motor fixada em 9.000 rpm. O motor disponibiliza um torque máximo de 470 Nm a 6.250 rpm. O novo 911 Speedster acelera de 0 a 100 km/h em 4,0 segundos e alcança uma velocidade máxima de 310 km/h.

Comparado ao 911 GT3 anterior, o motor usado no Speedster é equipado com dois filtros de partículas de gasolina (GPF) e atende ao padrão de emissões Euro 6d TEMP EVAP-ISC (EU6 DG). Ainda assim, o motor de quatro válvulas por cilindro consegue atingir 10 cv a mais. Isso se deve a desenvolvimentos de detalhes como os injetores de combustível de alta pressão com padrão de aspersão modificado com válvulas de aceleração individuais, que proporcionam uma resposta mais imediata aos comandos do acelerador. O sistema de escapamento esportivo de aço inoxidável totalmente novo pesa 10 quilos a menos - incluindo os dois filtros de partículas.

De forma adequada a um carro feito para pilotos, a Porsche oferece o 911 apenas com transmissão manual de seis marchas. Ela apresenta uma função de autoaceleração que compensa precisa e independentemente as diferenças de rotação do motor entre as marchas nas reduções de velocidade, através de acionamentos automáticos do acelerador. Esse sistema, chamado de ‘auto-blip’, pode ser ativado a qualquer momento, independentemente da opção de regulagem do PASM (Porsche Active Suspension Management - sistema de gerenciamento ativo da suspensão). A trava mecânica do diferencial traseiro, com sistema de bloqueio assimétrico, completa a transmissão de força esportiva.

A filosofia GT por trás do novo Speedster também se reflete em seu chassi. Com seus coxins dinâmicos do motor e eixo traseiro direcional, o chassi é baseado na tecnologia do 911 GT3 e 911 R. Sistemas de controle como o Porsche Torque Vectoring (PTV - vetoreamento de torque), Porsche Stability Management (PSM - gerenciamento de estabilidade) e PASM com acerto esportivo e rebaixamento de 25 milímetros foram adaptados com precisão aos novos requisitos. O biposto com carroceria aberta conta com rodas de liga forjadas Speedster de 20 polegadas com travamento central. O equipamento de série inclui freios PCCB (Porsche Ceramic Composite Brake - freios de composto de cerâmica) com discos de composto de cerâmica ventilados internamente e perfurados.

Na Alemanha, os preços do novo 911 Speedster começam em 269.274 euros, incluindo o imposto sobre valor adicionado (VAT) e equipamentos específicos para o país. Ele já pode ser encomendado. O mercado brasileiro espera receber o modelo exclusivo no segundo semestre deste ano, preço e pacote de opcionais estão em definição.

A Porsche Design Timepieces também criou cronógrafos especiais para o novo 911 Speedster, da mesma forma limitados a 1.948 unidades: o "911 Speedster Heritage Chronograph" e o "911 Speedster Heritage Design Chronograph" da Porsche Design podem ser encomendados exclusivamente pelos futuros proprietários de um modelo do novo Speedster de todo o mundo a partir de maio de 2019. O preço, incluindo o imposto VAT, é de 9.950 euros.

Um balanço divulgado pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), nesta semana, aponta que a produção de veículos em abril praticamente repetiu os resultados do mesmo mês de 2018, com a fabricação de 267 mil e 500 unidades. Este número representa uma elevação de 0,5% em comparação a abril do ano passado.

Nos primeiros quatro meses do ano, foram produzidos 965 mil e 400 veículos, uma retração de 0,1% em relação aos 965 mil e 900 fabricados de janeiro a abril do ano passado.

As exportações registram queda de 45% no acumulado de janeiro a abril, com a comercialização de 139 mil e 500 unidades no mercado externo. O nível de emprego teve retração de 1,2%, com mais de 130 mil pessoas trabalhando no setor em abril.           


Visite-nos no Facebook

Main Menu

Main Menu