31 Oct 2020

Guilherme Zuffo, neto de Evani e Valdemar Moraes, da Pizzaria do Gino, casou-se, no sábado (10), com Juliana Mello. Devido à pandemia, a cerimônia foi realizada somente no civil. Em seguida, brindaram durante requintado almoço oferecido pelos pais, na presença de 11 familiares. A cerimônia religiosa e a festa foram adiadas para abril de 2021.

17 de Outubro de 2020

Abuso

Já não basta o trânsito caótico, agora, uma construtora colocou o bloco na rua. Circulam pelas principais ruas e avenidas de Santo André três caminhões adesivados com propaganda dos novos empreendimentos da construtora. Um novo jeito de divulgar a empresa, sem pagar nada para o município e ainda deixando o trânsito ainda pior. Os caminhões circulam juntinhos e a 20 km/h.

 

Desfile

Já na Capital, circulam juntos, pela Avenida dos Bandeirantes, dois belos veículos da marca Porsche, modelo conversível, um na cor “azul bebê” e outro na cor laranja. Na direção, jovens sarados e acompanhados de belas garotas. 

 

Potencial

No domingo, dois veículos também da marca Porsche, ambos na cor preta, circularam juntos pela Av. Prestes Maia, Santo André. Hora ou outra, para chamarem mais atenção davam uma bela acelerada.

 

Cuidado

Junto com moradores de rua que ficam nas imediações na avenida Queirós dos Santos e travessa com a rua Cesário Mota, próximo ao Supermercado Atacadão, há assaltantes infiltrados no bando. São trombadões agressivos, que ficam nas imediações só na espreita. Qualquer vacilada, atacam, levam bolsas, celulares e o que encontrar.

 

Escola

O PT fez escola no quesito “falar a língua do povão”. Lula conseguia fazer o povão se estapear só para conseguir tocar ou chegar perto dele. Lula falava a língua que os menos favorecidos conheciam. Também tinha os petistas que não abriam mão de um belo terno de algumas das grifes mais caras, como Ermenegildo Zegna e Ricardo Almeida, que o povão nem tem ideia de quanto custa uma peça de roupa destas marcas.

 

Seguindo a risca

Atualmente, há políticos de outros partidos que vêm se esforçando para estar o mais próximo possível do povão. No período de campanha, todos ficam “facinhos”, circulam em feira livres, vão com a família aos parques, andam de bicicletas e patins. Pena que alguns depois somem e ficam blindados.

 

Posse

Thereza Christina Machado de Godoy toma posse na presidência da APM (Associação Paulista de Medicina). Na ocasião, a nova diretoria também será empossada. A cerimônia acontece, neste domingo (18), na sede da entidade em São Bernardo. 

 

Furto

Um empresário com estabelecimento no Centro de São Bernardo passou 15 dias providenciando documentos e atendendo as exigências do Corpo de Bombeiros para a renovação do alvará de funcionamento. Como parte das exigências, foi obrigado a fixar dois corrimãos em uma pequena escada na entrada da sede da empresa. Teve gastos com engenheiro, na compra dos corrimãos e na contratação de pedreiro. Tudo resolvido e na paz. Uma semana depois, um marginal de plantão, à luz do dia, arrancou e levou os corrimãos. E, para o empresário, beijinho e tchau.

 

Brasil-Líbano

O Corinthians e Vanderlei Luxemburgo doaram camisa autografada para rifa solidária do Projeto Conexão Brasil-Líbano. A ação vai arrecadar renda para enviar ajuda humanitária à comunidade brasileira no Líbano. A ação visa ajudar o país a enfrentar as dificuldades pós-explosão na zona portuária, que destruiu parcialmente a cidade de Beirute. Além da camisa, também serão sorteados artigos doados por alguns artistas entre eles os cantores Michel Teló, Daniel e joias usadas pela a atriz Andrea Beltrão, na minissérie Hebe.

Avalie este item
(0 votos)

O tema único em 2020 é a pandemia. O ano que parecia icônico, a sugestiva repetição de algarismos, mostrou-se uma reiteração de um único assunto. Covid-19, coronavírus, confinamento, higienização, máscara, isolamento social, “fique em casa” e “lave as mãos”, competindo com álcool em gel. Quem é que não está cansado desses verbetes?
A verdade é que ninguém sabe exatamente como a contaminação se propaga. Há indícios fortes de que o vírus permanece em superfícies durante horas e que levar as mãos ao nariz, olhos ou boca faz com que ele penetre no corpo e cause estrago.
Preocupa ainda mais saber que a infecção pode se dar pelo ar. As partículas ficam dispersas e a distância de metro e meio é insuficiente para inibir a transmissão. Insegurança, medo, pânico, tudo simultaneamente nesta fase trágica. Para quem quer fugir a tudo isso, é mais fácil acreditar que a enfermidade só é perigosa para idosos e que o “novo normal” já está aí, convidando-nos para retomar a rotina.
Embora provocativa, achei interessante a versão do escritor italiano Sandro Veronesi. Ele diz que a Covid-19 não é causada por um vírus, mas resulta de um anticorpo da natureza. Esta, maltratada pelo homem, criou uma defesa exatamente para combater quem a devasta. Ou seja: o vírus que acabar com o predador, pois é ele quem faz dos rios verdadeiras fossas, acaba com a biodiversidade, queima a Amazônia, anistia os infratores que avançam pelo remanescente da Mata Atlântica, poluem água, solo e ar, aquecem o planeta e apressam - de forma inclemente - o fim da espécie e de sua aventura pela Terra.
Um sintoma de que o minúsculo vírus, invisível a olho nu, está pretendendo isso, é o número crescente de mortos. E um discreto retorno da natureza, com fauna e flora a ignorar a peste e a se manifestar até com certa alegria. Em contraponto com a frustração do bicho-homem.
Seria bom se as pessoas se comovessem e fizessem exame de consciência para chegar à conclusão de que todos somos responsáveis pelo extermínio da vida saudável neste pequeno corpo galáctico. Ocorre que o coração humano é empedernido, teimoso e ignorante. Continuará a insanidade e a insensatez, com o aplauso dos que tiram proveito momentâneo desse uso criminoso dos recursos naturais e não têm qualquer compromisso com as gerações do amanhã.

Avalie este item
(0 votos)

“Nada se cria sem paixão". Essa poderia ser, em uma frase, a síntese da entrevista de Steve Wozniak, concedida a Mike Maciag, no evento DynatraceGo! na quarta (07). Ao relembrar a criação da Apple, em companhia de Steve Jobs, ele destacou como razão central do sucesso, o fato de a empresa ter criado um ambiente de inovação.
E recordou aspectos de seu convívio com Jobs: “Sempre tivemos bastante habilidade com as coisas básicas de eletrônica, conectar circuitos, e projetos. E fomos beneficiados pelo momento do nascimento da Internet e de nosso interesse pela Arpanet. Mas, motivação é algo essencial. Vale mais do que dispor de dólares para iniciar algo novo. Um dos fatores mais positivos de nossa vida é que eu e Steve tínhamos as habilidades essenciais para fazer protótipos e criarmos o primeiro computador.”
Um dos temas mais interessantes de sua entrevista foi o futuro da Inteligência Artificial (IA). Para ele, a IA não deve ser vista como uma imitação da inteligência humana. Seu papel é, sem dúvida, revolucionário, mas isso não é tudo. Nada vem pronto e acabado nesse mundo da computação. O que aprendemos, acima de tudo, é que precisamos de criatividade em todas as etapas de um produto, inclusive na promoção e na comercialização. Eu e Steve tínhamos aquelas habilidades essenciais. Depois do primeiro computador, pensamos na empresa. Assim, como grande ideia, a Apple nasceu após o Apple II. Digo-lhes que os desafios de software foram os maiores. Para vencê-los, usamos mil vezes o velho método de tentativas-e-erros.” Se comparada a muitas indústrias, em processos de fabricação, a Apple, segundo Wozniak, “conseguiu coisas que eram impensáveis no passado”.
Mas, a grande alavanca para o progresso da tecnologia, em sua visão será a Inteligência Artificial (IA). Não apenas em aplicações práticas ou industriais, mas, também, em campos teóricos como Matemática, a Física ou a Astronomia.”
Em seus conselhos práticos ao setor de informática, Steve Wozniak afirma que “toda indústria deve pensar nas possíveis aplicações de IA. Em especial para engenheiros, em treinamento, num mundo em que a necessidade de formação e atualização profissionais é cada dia maior.
Wozniak destaca com entusiasmo o que pode ser o futuro impacto do acesso à nuvem: “Esse acesso é algo fascinante e revolucionário. E isso decorre, em grande parte, da revolução da internet. E o que é essencial, em minha visão, é que as indústrias considerem - tanto com relação à internet como à Inteligência Artificia - é que elas constituem tecnologias disruptivas. Elas mudam tudo de forma definitiva e profunda. Mas, insisto, precisamos de criatividade em todas as etapas de desenvolvimento de um produto, inclusive na promoção e na comercialização.”
E o mundo da inovação?
Para Steve Wozniak, precisamos entender o processo de inovação. Não é só uma questão de talento individual, de preparo intelectual, mas de ambiente, de estímulos, de condições favoráveis. “E o que é realmente importante para as novas gerações não é apenas pensar em ganhar dinheiro, mas sentir a verdadeira paixão pela inovação, pela tecnologia.”
Ao relembrar o nascimento da empresa, ele diz: “Nós pensamos o futuro da Apple, como a possibilidade de permitir a cada jovem apaixonado por tecnologia construir seu próprio computador pessoal”.

A geração Corona

Avalie este item
(0 votos)

O que  será da geração corona?  "quantos artistas estão se formando nesse ambiente"; "Quantos poetas vão escrever odes à vacina?"
O que será da geração corona? Quantos políticos estão sendo forjados? Irão acreditar em que? Em nome de quem? A geração corona vai preferir sua parte em dinheiro ou amor?
E o sexo como vai ser?  Qual o legado da geração corona? O que estarão prontos  a inventar?  O que essa geração vai destruir? Quantos erros vão perpetuar e repetir?
Mas o cronista Gilberto Amêndola pergunta: o que essa geração vai destruir? Ele mesmo não tem resposta para tantas indagações. (Cf. sua crônica in O Estado de S. Paulo, em 12/10/2020).
Crianças que nunca viram um sorriso sem focinheira. Crianças que sabem ler os olhos de quem fala (e serão ótimos jogadores de poker  (ele escreve pôquer).  
Mas diz às gerações invocadas: o futuro é de vocês, crianças. Façam bom proveito. Lambuzem-se. Vou ser um velho pré-Covid, pré-histórico, daqueles que não perdem oportunidade de lembrar que "no meu tempo não era assim", E arremata com um pedido: Calem minha boca, por favor. O futuro é de vocês. "Filhos do medo do beijo, do toque, do álcool em gel ao lado da cama e das máscaras enroladas e perdidas no lençol branco, o futuro é de vocês. Crianças: qual o legado da geração corona.  Crianças, a geração corona vai preferir sua parte em dinheiro ou amor?  Abraçar árvore ou depositar em dinheiro vivo?
Esse Gilberto Amêndola tem o aspecto de jovem, mas escreve como se já fosse velho. Perdeu a confiança na Vida, no Futuro dele próprio? Ouso responder por ele: perdeu a vontade de viver no seu tempo porque lembra dos que dirão "no meu tempo não era assim".

Avalie este item
(0 votos)

Outubro Rosa, dia 12, dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, e 18 Dia do Médico. Para iniciar este diálogo, neste época em que o mundo vive conturbado, caótico, politicamente conturbador em todo o mundo, com exceção da medicina que, continua auspiciosamente desenvolvendo, graças a atuação de brilhantes médicos e das universidades, que trabalham diuturnamente sem reclamar, salvando vidas, fazendo operações cada vez mais espetaculares, que nos deixa orgulhosos.
Médicos e professores que ganham salários medíocres, se comparados com qualquer de nossos políticos e procuradores, com suas mordomias vergonhosas e com pouco trabalho, mas enfim... Desde que me formei há 64 anos, sempre comemorei o Dia do Médico, lembrando sempre da minha querida Faculdade Nacional de Medicina desejo e faço votos que nossos jovens acadêmicos tenha sempre orgulho de sua profissão. Se outrora o conceito do médico era quase divino, hoje apesar de um mundo globalizado e materialista, a figura do médico ainda que prestigiosa, iguala sem dúvidas a outras profissões com todas as vantagens, prestígios ou vice-versa. No entanto se os índices de longevidade muito aumentaram isto se deve a medicina e a tecnologia que veio junto a ela. Mas se não fosse à figura do médico estar junto dela jamais teríamos alcançado as maravilhas que a medicina teve nesses últimos anos.
Sou médico há 63 anos participei desse desenvolvimento. Antes o médico era generalista, atendia quase tudo, mas sempre estava presente para dar seu apoio e aliviar o sofrimento. Hoje temos uma alta tecnologia e super especialistas para cada setor do corpo humano. Seriamos mais completos se tudo isto viesse acompanhado de um bom relacionamento médico-paciente. Aliás fator este que não depende somente do médico, pois a população, mesmo os enfermos são mais avessos a conversar e se antecipam muito aos diagnósticos e mesmo nas atitudes dos médicos. Conceito este que acredito seja conseqüente a internet que tudo informa de uma maneira técnica e que faz o doente ir ao médico com seu pseudo diagnóstico e exigir este ou aquele exame às vezes sem necessidade, inclusive com riscos. Acredito que devemos ser mais modestos quando for ao médico ou hospital, devemos procurar dialogar sempre, pois somente assim vamos conseguir ou minimizar nossos problemas.
Para os que não sabem, o Dia do Médico se festeja em 18/10 em muitos países. Este dia não foi escolhido por acaso, é também o dia de São Lucas patrono dos médicos. São Lucas era médico, pintor e autor do 3º Evangelho e dos
Atos dos Apóstolos.
Nasceu na Antioquia – Turquia no 1º século da era Cristã, tendo sido martirizado aos 80 anos, em Tebas – Grécia por enforcamento e seus restos mortais encontram-se hoje na Basílica Santa Justina (Pádua). Apesar da data 18/10 ser comemorada em muitos países desde o século passado, no Brasil houve algumas tentativas isoladas para comemorar a data de São Lucas como o Dia do Médico, porém só de recente data que vem ganhando notoriedade e em São Paulo a designação oficial se deve ao Prof. Eurico Ribeiro eminente mestre estudioso de São Lucas onde embassou-se para concretizar esta idéia e para tanto foi auxiliado pelo então deputado estadual Médico Ebraim Dabus que elaborou o projeto de lei instituído o dia 18/10 como Dia do Médico, sendo aprovado pela Assembléia Legislativa em 30/11/1971 e sancionado pelo então governador Laudo Natel (jornal do Cremesp). Desejos a todos meus colegas a continuar lutar diariamente para conquistar os caminhos da saúde, com dignidade, respeito com o paciente e para com os colegas, a lutarem para melhora do conceito de médico e da medicina, enfim fazendo de todos os dias, o Dia do Médico. Uma poesia de Álvaro Albuquerque referência o médico.
Ao médico
Por certo, nem te lembras (tão criança
Eras naquele tempo...) e, no entretanto,
Um homem, quanta vez, mudou o pranto
De teus pais em sorrisos de bonança!
Por certo, nem te lembras ( já te cansa
A memória, talvez...) um dia, entanto,
Esse homem terá sido mais que um santo,
Salvando o fi lho teu – tua esperança!
O bem que se recebe a gente esquece...
Somente a dor jamais será esquecida
Enfi m, quem a criou... desaparece!...
Mas, se este poema, acaso, te enternece,
Ama teu médico, através da vida!
Lembra-te dele , ao menos, numa prece!
Álvaro Albuquerque


Visite-nos no Facebook

Main Menu

Main Menu