07 Jul 2022


Data centers não são os vilões do meio ambiente (I)

Publicado em ETHEVALDO SIQUEIRA
Lido 232 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Há alguns mitos que precisam ser esclarecidos sobre a suposta poluição causada pelos gigantescos data centers. Segundo dois renomados cientistas norte-americanos - Jonathan Koomey e Eric Masanet, essas acusações aos data centers não têm fundamento.
Ambos são ex-pesquisadores do Laboratório Nacional Lawrence Berkeley. Koomey agora é analista independente, e o Masanet é professor da Universidade da Califórnia, Santa Bárbara. Masanet recebe financiamento para pesquisa da Amazon.
As pesquisas dos dois cientistas concluíram que esses enormes data centers, ávidos por energia e muitas vezes do tamanho de campos de futebol - não são os vilões ambientais assim retratados com frequência nas redes sociais e em outros lugares.
Os dois cientistas disseram que sua análise não tinha necessariamente a intenção de ser tranquilizadora, mas simplesmente queriam injetar uma dose de realismo científico na discussão pública do impacto da tecnologia no meio ambiente.
“Estamos tentando fornecer algumas ferramentas mentais e diretrizes para pensar sobre nosso estilo de vida cada vez mais digital e o impacto no consumo de energia e no meio ambiente”, disse Masanet. O título da análise deles é “Evitando armadilhas ao avaliar os impactos de energia e carbono da Internet”.
Afirmações exageradas, segundo a dupla, costumam ser esforços bem-intencionados de pesquisadores que fazem o que podem parecer suposições razoáveis. Mas eles não estão familiarizados com a tecnologia de computação em rápida mudança - processamento, memória, armazenamento e redes. Ao fazer previsões, eles tendem a subestimar o ritmo da inovação na economia de energia e como os sistemas funcionam. O impacto do streaming de vídeo no consumo de energia da rede é um exemplo. Depois que uma rede está funcionando, a quantidade de energia que ela usa é a mesma, estejam grandes quantidades de dados fluindo ou muito pouco. E melhorias constantes na tecnologia diminuem o consumo de eletricidade.
Em sua análise, os dois autores citam informações de duas grandes operadoras de rede internacional, Telefónica e Cogent, que relataram tráfego de dados e uso de energia para o ano de Covid de 2020. A Telefónica obteve um aumento de 45% em dados através de sua rede, sem aumento do uso de energia. O uso de eletricidade da Cogent caiu 21%, mesmo com o aumento de 38% no tráfego de dados.
“Sim, estamos usando muito mais serviços de dados e colocando muito mais dados nas redes”, disse Koomey. “Mas também estamos ficando muito mais eficientes muito rapidamente.” Outra armadilha, dizem os autores, é olhar para um setor de alto crescimento da indústria de tecnologia e assumir que o uso de eletricidade está aumentando proporcionalmente e que é representativo da indústria como um todo.
Os data centers de computadores são um estudo de caso. Os maiores data centers, a partir dos quais consumidores e trabalhadores acessam serviços e software pela Internet, consomem grandes quantidades de eletricidade. Esses centros de dados em nuvem são operados por empresas como Alibaba, Amazon, Apple, Facebook, Google e Microsoft.De 2010 a 2018, as cargas de trabalho de dados hospedadas pelos data centers em nuvem aumentaram 2.600% e o consumo de energia aumentou 500%. Mas o consumo de energia de todos os data centers aumentou menos de 10%. (Continua)

Folha Do ABC

A FOLHA DO ABC traz o melhor conteúdo noticioso, sempre colocando o ABC em 1º lugar. É o jornal de maior credibilidade da região
Nossa publicação traz uma cobertura completa de tudo o que acontece na região do ABCDM.

2 comentários

Deixe um comentário

Make sure you enter the (*) required information where indicated.Basic HTML code is allowed.

Main Menu

Main Menu