30 Oct 2020

O Brasil já registra mais de 4,6 milhões de pessoas curadas da Covid-19. No mundo, estima-se que pelo menos 24,1 milhões de pessoas diagnosticadas com Covid-19 já se recuperaram. O número de pessoas curadas no Brasil é superior à quantidade de casos ativos (435.372), que são os pacientes em acompanhamento médico. O registro de pessoas curadas já representa a grande maioria do total de casos acumulados (88,7%). As informações foram atualizadas às 17h deste sábado (17/10) e enviadas pelas secretarias estaduais e municipais de Saúde.

A doença está presente em 99,9% dos municípios brasileiros. Contudo, mais da metade das cidades (3.487) possuem entre 2 e 100 casos. Em relação aos óbitos, 4.612 municípios tiveram registros (82,8%), sendo que 743 deles apresentaram apenas um óbito confirmado.

O Governo do Brasil mantém esforço contínuo para garantir o atendimento em saúde à população, em parceria com estados e municípios, desde o início da pandemia. O objetivo é cuidar da saúde de todos e salvar vidas, além de promover e prevenir a saúde da população.

Dessa forma, a pasta tem repassado verbas extras e fortalecido a rede de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS), com envio de recursos humanos (médicos e profissionais de saúde), insumos, medicamentos, ventiladores pulmonares, testes de diagnóstico, habilitações de leitos de UTI para casos graves e gravíssimos e Equipamentos de Proteção Individual (EPIS) para os profissionais de saúde.

O Ministério da Saúde já destinou aos 26 estados e o Distrito Federal R$ 177,2 bilhões, sendo que desse total foram R$ 133 bilhões para serviços de rotina do SUS, e outros R$ 44,2 bilhões para a Covid-19. Também já foram comprados e distribuídos mais de 24 milhões de unidades de medicamentos para auxiliar no tratamento do coronavírus, 281,2 milhões de EPI, mais de 15,5 milhões de testes de diagnóstico para Covid-19 e 79,9 milhões de doses da vacina contra a gripe, que ajuda a diminuir casos de influenza e demais síndromes respiratórias no meio dos casos de coronavírus.

O Ministério da Saúde, em apoio a estados e municípios, também tem ajudado os gestores locais do SUS na compra e distribuição de ventiladores pulmonares, sendo que já entregou 11.218 equipamentos para todos os estados brasileiros.

As iniciativas e ações estratégicas são desenhadas conforme a realidade e necessidade de cada região, junto com estados e municípios, e têm ajudado os gestores locais do SUS a ampliarem e qualificarem os atendimentos, trazendo respostas mais efetivas às demandas da sociedade. Neste momento, o Brasil registra 5.224.362 casos confirmados da doença, sendo 24.062 registrados nos sistemas nacionais nas últimas 24h.

Em relação aos óbitos, o Brasil possui 153.675 mortes por coronavírus. Nas últimas 24h, foram registrados 461 óbitos nos sistemas oficiais, sendo que 364 óbitos ocorreram nos últimos três dias. Outros 2.302 permanecem em investigação.

 

Fonte: Ministério da Saúde - 17/10/2020 19h21

Pensando em ampliar as possibilidades de comunicação e interação entre professores e alunos com deficiência auditiva, o Governo de São Paulo realiza o Curso de Libras EaD para profissionais da rede de ensino estadual.

A ação, fruto da parceria entre as Secretarias de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Educação, por meio da Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Profissionais da Educação (Efape), terá a duração de 40 horas, com início no dia 27 de outubro e término previsto para 15 de dezembro. Para realizar a inscrição e participar do curso, acesse o site da Efape: http://escoladeformacao.sp.gov.br/.

O conteúdo das aulas tem como objetivo capacitar os profissionais da rede de ensino estadual para melhor comunicação por meio da Libras, a fim de incluir as pessoas com deficiência auditiva que utilizam essa língua para se comunicar.

De acordo com a Base de Dados da Pessoa com Deficiência, no estado de São Paulo existem mais de 3 milhões de pessoas com deficiência. Desses, 14,49% são pessoas com deficiência auditiva.

Língua Brasileira de Sinais

A Libras não é uma linguagem, mas uma língua, já que dispõe de léxico (conjunto de palavras) e gramática (regras) próprios. Considerada língua oficial do Brasil desde 2002 e, de acordo com a lei que a oficializou, Libras possui o mesmo status que o português.

Os 72 anos da Autonomia de São Caetano será celebrada com extensa programação. Confira programação a seguir:

Dia 19/10 – Segunda-Feira (10h)

Mostra Virtual da Fundação Pró-Memória

“Jayme Patrão e Zé Caetano - Personagens da História da Autonomia.

Basta clicar http://www.fpm.org.br/exposicaovirtual/Exposição/24 e assistir

 

Dia 19/10 – Segunda-Feira (20h)

Homenagem do Rotary Club de São Caetano do Sul aos Rotarianos que foram Líderes Autonomistas

Plataforma do Zoom: Líderes Autonomistas Rotarianos: Anacleto Campanella, Antonio Caparróz Guevara, Jayme da Costa Patrão, João Barile, João Dal’Mas, Jordano Pedro Segundo Vicenzi, Lauro Garcia, Mário Dal’Mas, Mário Porfírio Rodrigues e Olinto Quaglia. Pronunciamento do presidente do GAMA, João Tarcísio Mariani. Para acompanhar na plataforma do Zoom utilize o ID: 225 811 2543 e senha: 8BmqTz

 

Dia 20/10 – Terça-Feira (17h30)

Homenagem da Edilidade Sulsancaetanense ao Movimento Autonomista

- Voto de Congratulações da Câmara Municipal, a ser lido na Sessão Ordinária pela Semana da Autonomia

 

Dia 20/10 – Terça-feira (20h)

Palestra Virtual com o Prof. José de Souza Martins

Tema: “Antecedentes Históricos da Questão da Autonomia Municipal de São Caetano do Sul. Para participar é só acessar a plataforma do Zoom utilizando este link:

https://us04web.zoom.us/j/72711453735?pwd=azlEbzBSUVhVZk1FM3dlR0h6U0RwZz09

 

Dia 22/10 – Quinta-Feira (19h)

Redação sobre Movimento Autonomista pelos alunos da Rede de Ensino

Divulgação dos textos das redações do Concurso promovido pela Secretaria da Educação do município e escritas por estudantes a partir da apresentação do filme distribuído pela Fundação Pró-Memória sobre a luta da autonomia de São Caetano

 

Dia 25/10 – Domingo (10h)

Missa em Ação de Graças pelo Movimento Autonomista

O bispo diocesano, Dom Pedro Carlos Cipollini vai presidir a Missa em Ação de Graças pelo Movimento Autonomista na Matriz Sagrada Família, localizada na Praça Cardeal Arco Verde, no Centro do município.

 

Dia 19/11 – Quinta-Feira (12h)

Tiro de Guerra homenageia os Autonomistas

Cerimonial comandado pelo Tenente Alexandro em frente à Câmara Municipal, na Av. Goiás, 600, ou na sede do TG na Av. Guido Aliberti, (local a ser definido), quando teremos o Hasteamento do Pavilhão Nacional; Juramento à Bandeira, por parte dos Atiradores formandos; Incineração das bandeiras inservíveis e Homenagem aos Autonomistas vivos.

L’Oréal Professionnel apresenta Pro Longer, tratamento profissional preenchedor de pontas para cabelos mais longos, densos e com brilho. Novidade com tecnologia exclusiva Filler-A100 torna possível realizar o desejo das 8 de cada 10 brasileiras* que sonham em ter cabelos médios a longos.

As mulheres sonham, L’Oréal Professionnel faz acontecer! Um dos cabelos mais desejados e atemporal, o longo perfeito é um desafio para muitas mulheres que convivem com o dilema de conservar o comprimento e, finalmente, quando o fio está longo, há a necessidade de cortar para manter uma aparência saudável. Com isso, as pontas, que são a parte mais antiga do fio e sofrem muito mais danos ao longo do tempo, precisam ser cortadas para que haja uma renovação. O tão sonhado cabelo longo fica distante e parece ser impossível em muitos casos.

Hoje, a recomendação do cabeleireiro para esse comprimento e pontas que estão mais processadas, afinadas e danificadas sempre é o corte, para renovar a aparência do cabelo, deixando-o mais saudável. Muitas vezes o corte das pontinhas é necessário sim, mas o comprimento agora pode e deve ser mantido por quem tem esse sonho do longo!

 

L’Oréal Professionnel como a marca líder em tratamento profissional,sempre à frente com inovações que atendem diretamente os desejos da consumidora lança Pro Longer, um tratamento profissional para alcançar o cabelo longo, denso e com brilho, que promete devolver a densidade às pontas.

lO lançamento conta com a exclusiva tecnolgia Filler-A100, composta por 2 principais ativos ultrapoderosos: Filloxane e PQ6.

 

FILLOXANE age da raiz às pontas nas partes fragilizadas, penetrando na fibra capilar para encorpá-la e o PQ6, além de atuar criando uma espécie de película de proteção ao cabelo para fortalecer a fibra, especificamente falando das pontas, ele vai preencher as áreas danificadas (carga negativa) com sua carga positiva, resultando em pontas preenchidas e densas.

               

A marca lança junto com Pro Longer dois protocolos para um tratamento completo, no salão ou em casa, que se complementam e oferecem resultados duradouros e acumulativos. No salão de beleza, o protocolo deve ser feito uma vez ao mês para garantir densidade e preenchimento as pontas afinadas desde a primeira aplicação, além da redução de 66% das pontas duplas. O tratamento é feito com o Concentrado Preenchedor Multi-Dose, e também o Shampoo Renovador de Comprimento, Máscara Renovadora de Comprimento e Leave-In Renovador de Comprimento. O valor do tratamento pode variar conforme o salão.

               

Já o protocolo em casa deve ser realizado uma vez por semana e é a manutenção do cuidado iniciado no salão. Deve ser feito com Shampoo Renovador de Comprimento (R$106 - 300ml/R$166 - 500ml), Ampola Concentrada Preenchedora (R$89 - 15ml), e o Leave-in Renovador de Comprimento (R$131 - 150ml). Nos outros dias da semana recomenda-se o uso do Shampoo Renovador de Comprimento (R$106 - 300ml/R$169 - 500ml), Máscara Renovadora de Comprimento (R$195 - 250ml), Condicionador Renovador de Comprimento (R$143 - 200ml) e Leave-in Renovador de Comprimento (R$131 - 150ml).

A Secretaria de Saúde de Ribeirão Pires iniciou nesta semana a realização de novos testes para covid-19 em profissionais que atuam na rede municipal de saúde. Esta é a primeira etapa de testagem utilizando novo sistema doado ao município pelo Instituto Butantan, o Hilab.

Nesta nova ação de testagem, estão sendo coletadas amostras de sangue que são enviadas, via Internet, por meio de leitor do Hilab – dispositivo laboratorial desenvolvido pela Hi Tecnologies em sinergia da Intel e Microsoft. O novo sistema funciona da seguinte forma: as equipes que estão aplicando o teste registram os dados do paciente no sistema, preenchem questionário com informações sobre a doença, coletam sangue e inserem a amostra no leitor, que envia os dados ao laboratório para análise.

Em cerca de 30 minutos, o resultado do teste é disponibilizado ao paciente por sms e/ou e-mail. Depois de testar os profissionais da rede municipal de saúde, a Prefeitura ampliará a testagem, em ação que será divulgada nos próximos dias. Os testes realizados nesta nova fase são do tipo IGG/IGM.

Em maio, a Prefeitura de Ribeirão Pires realizou a testagem de covid-19 em profissionais da saúde municipal, além de GCMs, assistentes sociais, moradores e trabalhadores de Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPIs).

Os últimos meses têm sido, de fato, muito desafiadores. As pessoas tiveram que se adaptar rapidamente a uma realidade inusitada e singular. Mas nem tudo foram notícias ruins, na verdade, a solidariedade fez e está fazendo bonito nesses tempos difíceis, e não foi a pandemia que deixou os brasileiros mais solidários. Esse foi um dos grandes destaques de uma pesquisa do Datafolha encomendada por OMO - marca sinônimo de categoria, presente em 8 de cada 10 lares do país -, que buscou conhecer mais sobre os hábitos e ações de solidariedade dos brasileiros antes e durante a pandemia.

O Datafolha ouviu por telefone mais de 1.500 brasileiros de diversas faixas etárias (a partir de 16 anos) nas regiões Norte, Nordeste, Sul, Sudeste e Centro Oeste do país, entre os dias 01 e 08 de setembro. Os resultados da pesquisa trouxeram insights interessantes sobre os hábitos de solidariedade dos brasileiros. Entre os destaques, a pesquisa mostrou que 96% dos brasileiros tem o desejo de ser mais solidário e busca realizar ações para fazer o bem e promover um futuro melhor, mas muitas vezes não sabem o caminho certo para colocar essa solidariedade em prática .

Apesar da intenção de ser mais solidário, apenas 27% efetivamente se envolvem hoje em ações coletivas organizadas. A maioria (68%) age de forma individual e pontualmente por não conhecer outras formas e oportunidades realizar essas ações. Aproximadamente sete de cada dez respostas dos brasileiros relacionam ações de solidariedade principalmente com o ato de ajudar quem está precisando, como pessoas em situações mais frágeis e de vulnerabilidade social. Em contrapartida, apenas três em cada dez citações associam ações de solidariedade com atitudes coletivas, como ações para o bem estar comum, ajuda a instituições - como ONGs, orfanatos, hospitais, asilos, e com a prestação de serviços voluntários e comunitários.

Praticamente todos os brasileiros declararam que costumavam praticar pelo menos uma ação de solidariedade antes da pandemia. 95% dos entrevistados costumava ajudar pessoas conhecidas ou desconhecidas sempre que tinha uma oportunidade e fazia pequenas ações pelo meio ambiente (separar lixo reciclável, economizar água, entre outras ações). 86% das pessoas realizava doações e/ou arrecadações de produtos, roupas, alimentos e medicamentos. Um fato curioso é que o brasileiro se enxerga solidário (92% dos entrevistados), mas a percepção é menor quando se olha para o outro (68% não considera o próximo solidário). O brasileiro se percebe mais solidário em relação à sociedade como um todo, trazendo esse dever para si, mas entende que essa responsabilidade não é só dele. Dos entrevistados, 84% acreditam que a responsabilidade de realizar ações em prol da sociedade seja do governo ou de ONGs, enquanto 72% defendem que ela é também das empresas.

Outro dado que ganha destaque na pesquisa é que o brasileiro atrela o propósito das marcas com solidariedade. Quando solicitado para as pessoas compararem o papel das marcas em prol da sociedade antes e durante a pandemia, vemos uma tendência de aumento nessa percepção de 43% para 46%. Além disso, a pesquisa mostrou que o brasileiro considera que cuidar do meio ambiente também é solidariedade. 95% dos entrevistados fazem ações simples para proteger a natureza e 91% afirmam que querem deixar um mundo pelo menos um pouco melhor para o futuro.

"Buscamos cada dia mais nos dedicar a entender o brasileiro e neste cenário tão desafiador em que as pessoas tiveram que se adaptar rapidamente a uma realidade inusitada e singular percebemos a importância de valorizar o poder do coletivo na construção de uma sociedade melhor. Para falar sobre isso com mais propriedade e detalhar também qual o papel das empresas e marcas neste ponto precisaríamos entender mais a fundo sobre os reais hábitos de solidariedade dos brasileiros. Foi assim que surgiu a ideia de fazer essa pesquisa em parceria com Datafolha. O resultado nos trouxe alguns destaques bem interessantes que revelam que ainda há, sim, muito espaço para fazer o bem coletivamente e que todos devem ajudar a potencializar esse movimento. É muito bacana ver que, apesar dos efeitos negativos da pandemia, não falta gente disposta a ajudar a construir um amanhã melhor. Por isso, lançamos recentemente uma campanha, Poder do SOMOS, para levar essa mensagem positiva e inspiradora para a sociedade", finaliza Eduardo Campanella, Vice Presidente Unilever.


Visite-nos no Facebook

Main Menu

Main Menu