19 Sep 2021

Ribeirão Pires terá o primeiro Bike Park do ABC, situado nas dependências do Parque Municipal Professor Luiz Carlos Grecco. Com via de 800 metros em mão única, em meio à natureza, o percurso do Bike Park terá diferentes níveis de habilidade, com trechos de ultrapassagens, aprimoramento técnico e trilhas estreitas. O espaço está em fase de construção seguindo  orientações da International Mountain Bicycling Association para a criação de trilhas sustentáveis que não agridam o meio ambiente, mas que se integrem à região. A inauguração está prevista para o início de outubro. 

Desativado há mais de 20 anos, o Hospital Príncipe Humberto, que por anos funcionou em um terreno localizado na rua de mesmo nome, na Vila Duzzi, em São Bernardo, dará lugar a um prédio residencial. A área, que pertencia a um executivo do Grupo Intermédica, foi adquirida pela construtora M.Bigucci que irá erguer no local um conjunto de apartamentos no formato Studio, com baixa metragem, ambientes integrados e multifuncionais, com várias opções de lazer. Este tipo de apartamento geralmente é construído em regiões centrais das cidades e são vendidos a preços mais acessíveis.

Em 2006, o espaço chegou a ir para leilão, pelo valor de R$ 10 milhões. Em 2018, a Prefeitura de São Bernardo anunciou que iria tomar posse do prédio, pois estava abandonado e com dívidas com o município há mais de cinco anos. A ideia, na ocasião, era instalar no local um setor administrativo da Prefeitura. Ainda sob sigilo, a construtora não revelou o valor da aquisição, mas garantiu que será um projeto inédito em São Bernardo.

Após várias tentativas de entregar uma encomenda e terminado o prazo de direito à reclamação, os produtos que não chegaram a seus destinatários agora serão leiloados. São cerca de 61 mil itens que serão alienados pelos Correios no próximo dia 27. Os valores iniciais dos lotes variam entre R$ 1.303 até R$ 85.050.

São objetos como roupas, livros, peças de microinformática, acessórios para veículos, bijuterias, equipamentos eletrônicos, entre outros, que são classificados como refugos, ou seja, aqueles que não foram entregues ao destinatário ou foram devolvidos ao remetente após esgotadas todas as possibilidades e prescrito o prazo de direito à reclamação, conforme prevê o Código de Defesa do Consumidor.

“Serão ofertados dez lotes que são indivisíveis. Então, a pessoa que der lance a um lote é o lote todo, não serão aceitos lances para itens específicos”, explicou o chefe do departamento de infraestrutura dos Correios, Thiago Meireles.

“Dou destaque a três lotes que são os de utensílios do lar, onde temos um volume de itens relacionados a cama, mesa e banho, além de eletrodomésticos. Também podemos destacar a parte de vestuário onde temos várias camisetas, camisas, sapatos, bonés. E o grande chamariz, o item de maior volume e valor, que é o lote referente a celulares, além de seus periféricos e acessórios, capas, carregadores, fones de ouvido, tripés e etc”, detalhou Thiago Meireles.

Os recursos arrecadados contribuirão para que os Correios ampliem sua capacidade de investimentos resultando em melhorias nos serviços e produtos prestados aos clientes.

Como participar

Os interessados devem se cadastrar na plataforma Licitações-e do Banco do Brasil. Ao concluir essa etapa, pessoas físicas e jurídicas conseguem enviar propostas de forma eletrônica para participar da disputa online.

O edital com as informações está disponível na plataforma Licitações-e, pelo nº 893602, e também na página de licitações dos Correios.

Os lotes estão armazenados em edifício dos Correios em São Paulo. Quem quiser fazer uma visita ao local para ver os bens deve agendar pelo telefone (11) 4313-8150.

Normas para a destinação dos produtos

Os Correios estabeleceram norma corporativa com as formas para o desfazimento de bens tais como alienação por venda, destruição/destinação ambientalmente adequada ou ainda o encaminhamento às associações e cooperativas de catadores.

Uma estrutura foi criada em São Paulo para fazer a triagem do material. De acordo com os Correios, esse trabalho permite otimizar espaços para serem aproveitados para as atividades-fim da empresa.

Após várias tentativas de entregar uma encomenda e terminado o prazo de direito à reclamação, os produtos que não chegaram a seus destinatários agora serão leiloados. São cerca de 61 mil itens que serão alienados pelos Correios no próximo dia 27. Os valores iniciais dos lotes variam entre R$ 1.303 até R$ 85.050.

São objetos como roupas, livros, peças de microinformática, acessórios para veículos, bijuterias, equipamentos eletrônicos, entre outros, que são classificados como refugos, ou seja, aqueles que não foram entregues ao destinatário ou foram devolvidos ao remetente após esgotadas todas as possibilidades e prescrito o prazo de direito à reclamação, conforme prevê o Código de Defesa do Consumidor.

“Serão ofertados dez lotes que são indivisíveis. Então, a pessoa que der lance a um lote é o lote todo, não serão aceitos lances para itens específicos”, explicou o chefe do departamento de infraestrutura dos Correios, Thiago Meireles.

“Dou destaque a três lotes que são os de utensílios do lar, onde temos um volume de itens relacionados a cama, mesa e banho, além de eletrodomésticos. Também podemos destacar a parte de vestuário onde temos várias camisetas, camisas, sapatos, bonés. E o grande chamariz, o item de maior volume e valor, que é o lote referente a celulares, além de seus periféricos e acessórios, capas, carregadores, fones de ouvido, tripés e etc”, detalhou Thiago Meireles.

Os recursos arrecadados contribuirão para que os Correios ampliem sua capacidade de investimentos resultando em melhorias nos serviços e produtos prestados aos clientes.

Como participar

Os interessados devem se cadastrar na plataforma Licitações-e do Banco do Brasil. Ao concluir essa etapa, pessoas físicas e jurídicas conseguem enviar propostas de forma eletrônica para participar da disputa online.

O edital com as informações está disponível na plataforma Licitações-e, pelo nº 893602, e também na página de licitações dos Correios.

Os lotes estão armazenados em edifício dos Correios em São Paulo. Quem quiser fazer uma visita ao local para ver os bens deve agendar pelo telefone (11) 4313-8150.

Normas para a destinação dos produtos

Os Correios estabeleceram norma corporativa com as formas para o desfazimento de bens tais como alienação por venda, destruição/destinação ambientalmente adequada ou ainda o encaminhamento às associações e cooperativas de catadores.

Uma estrutura foi criada em São Paulo para fazer a triagem do material. De acordo com os Correios, esse trabalho permite otimizar espaços para serem aproveitados para as atividades-fim da empresa.

A Sociedade Cultural Ítalo-Brasileira de Santo André comemora, nesta segunda (20), 121 anos de fundação. Segundo o presidente Wilson Roberto Davanzo, a data será celebrada de maneira bastante discreta. “Para não passar ‘em branco’ mais um aniversário, faremos uma pequena reunião na sede com os diretores, uma vez que há ainda necessidade de distanciamento, nos impedindo de fazermos os tradicionais jantares com a presença de mais associados”, conta.

A entidade nasceu como Società Italiana di Mutuo Soccorso Savoia, em 1900, a partir da necessidade de amparo aos imigrantes italianos do ABC, tendo Giuseppe Nasossi como um dos fundadores. Em 1939, durante a 2ª Guerra Mundial, o termo “italiana” teve que ser suprimido e passou a denominar-se Società di Mutuo Soccorso di Santo André, eliminando-se também o nome Savoia. Em 1950 passou a se chamar Sociedade Beneficente e Recreativa Santo André e, finalmente em setembro de 1962, Sociedade Cultural ÍtaloBrasileira de Santo André.

O objetivo da Sociedade é promover a cultura italiana, com atividades culturais e eventos ligados à tradição da Itália, como Ítalo-Brasileira celebra 121 anos por exemplo, a comemoração da República Italiana e o Dia do Imigrante Italiano.

Com a pandemia, muitas das atividades da entidade ficaram suspensas, mas neste período, foram realizadas manutenções de rotina na sede, além de melhorias no sistema de refrigeração e acústica do salão de festas, segundo o presidente. “Fomos afetados como todos pela pandemia. A diretoria continuou se reunindo e as tarefas de rotina foram executadas. O Coral foi fortemente afetado uma vez que não tiveram ensaios presenciais. Estamos trabalhando para melhorar as instalações da sede para o próximo ano”, revela Davanzo.

Há grande expectativa para a retomada das atividades culturais no próximo ano. “Nossos principais eventos são o Dia do Imigrante Italiano em fevereiro, O dia da República Italiana em Junho e o Aniversário em setembro. Esperamos que para o próximo ano possamos retomar essas atividades presencialmente, com o ato religioso tradicional, coquetel e jantar dançante”, afirma o presidente.

O Hospital Brasil, da Rede D’Or São Luiz, em Santo André, por meio do projeto “Jardim da Vida”, revitalizou a praça Ives Ota, na Avenida Pereira Barreto, em homenagem aos pacientes que superaram a Covid-19.

Entre as melhorias feitas na praça estão o novo calçamento, nova iluminação e o plantio de três mil mudas de Lantana, espécie cujas flores mudam de cor ao longo do ano. Cada muda plantada representa uma vida que foi salva no Hospital Brasil. A praça ganhou também a escultura “Espaço Cósmico”, do renomado artista plástico japonês Yutaka Toyota. A cerimônia de inauguração contou com diretores do Hospital Brasil, da Rede D’Or São Luiz, do prefeito de Santo André, Paulo Serra e autoridades.


Pagina 1 de 1277

Visite-nos no Facebook

Main Menu

Main Menu