30 Oct 2020

O Sesc Santo André e São Caetano realizaram uma curadoria compartilhada para a produção de pequenas peças de vídeo, em que os artistas da região selecionados foram convidados a apresentarem suas obras compostas a partir de algum estímulo afetivo territorial: uma rua de São Caetano, um amor platônico entre as estações Celso Daniel e Prefeito Saladino, a vida nas vielas de nossas comunidades. A estreia do projeto, que é quinzenal, foi com o cantor e compositor Rodrigo Régis, no dia 08 de outubro. O segundo episódio traz a rapper MC Stefanie, no dia 22 às 20h, e será exibido nos canais do YouTube dos Sescs Santo André e São Caetano.

TRILHAS SONORAS DO ABC

A ação tem o intuito de contribuir para a ativação das redes locais de músicos e produtores da região do Grande ABC. Considerando o poder da música para ativar recordações, o projeto suscita a ressignificação dos espaços interditados para a visitação nesse momento de isolamento social, despertando as lembranças afetivas do público por meio dessa cartografia sonora formada pelas canções apresentadas.

O projeto tem a apresentação de Marcelo Mendez, jornalista e escritor andreense, autor dos livros Contos de Várzea (2015) e O Baile dos Corações em Fúria (2018), pela editora Córrego.

22/10 – STEFANIE, A MULHER MC

Nascida em Santo André, a MC que ficou conhecida por seu trabalho com o coletivo PDD (Pau-de-Dá-em-Doido) e com o grupo Simples, hoje é referência no Rap nacional. Dona de um flow* inconfundível e métrica peculiar, mira a vanguarda, mas com os pés firmes nas raízes do hip hop. Abriu shows para grandes nomes mundiais, como De La Soul e Talib Kweli, e gravou com ícones nacionais, dentre eles Tássia Reis, Max B.O., Lurdez da Luz, Shirley Casa Verde, DJ Nyack e Sorry Drummer, e internacionais, como a espanhola Indee Styla. Dividiu palco com Mano Brown e Negra Li no projeto “Brown Convida” e com bandas como o Projeto Nave. Atualmente, além da carreira solo, é integrante do grupo de mulheres rappers Rimas e Poesia. Em sua melhor definição, Stefanie é mãe, esposa, cantora, e acima de tudo, uma Mulher MC - título de seu videoclipe, lançado em 2018, em que conta com participações de nomes que representam toda força feminina do Rap e que servem de inspiração às mulheres que já sofreram, e sofrem todos os dias, algum tipo de preconceito por conta de seu gênero.

*Flow - terminologia usada no universo Rap para designar a maneira como o rapper "encaixa" as palavras e frases no instrumental (beat). Seria o equivalente à "melodia" na música cantada. Flow, para Stefanie, é uma “brincadeira de crianças”. Mas ela brinca com as palavras para falar de coisas muito sérias, essenciais.

A primeira etapa do inquérito epidemiológico, realizado pela Prefeitura de São Bernardo, especificamente para o setor da Educação, demonstrou uma baixa prevalência do coronavírus, entre alunos e professores, e demais profissionais do setor, na rede municipal do 1º ao 5º ano.

Entre os dias 29 e 30 de setembro e 1º de outubro, 2.576 pessoas foram testadas, sendo 1.470 alunos e 1.106 profissionais da Educação, com realização de questionário a respeito das condições de saúde e habitação, e aplicação do exame sorológico. O objetivo do estudo é de realizar mapeamento completo a respeito da evolução da Covid-19 na Educação municipal.

Os resultados comprovaram que está sendo eficaz o distanciamento social, neste momento de quarentena, com prevalência de 0,54% do vírus entre os alunos e 0,67%, entre os profissionais do setor, de acordo com o secretário de Saúde, Geraldo Reple Sobrinho

 “Os números demonstram que estas pessoas estão poucos expostas ao vírus, o que coloca a certeza do distanciamento e a não segurança para o retorno presencial ainda para as salas de aulas. Do estudo, 247 alunos tiveram contato com a Covid-19, de um total de quase 50 mil estudantes. Na amostra, apenas 8 estudantes testaram positivo e 7 profissionais”, analisou o responsável da Saúde.

A pesquisa irá auxiliar na tomada de decisões, como a volta ou não das aulas presenciais nas Escolas Municipais. “Dentre outras coisas, temos que levar em consideração que o retorno às aulas significa alunos se deslocando, muitas vezes em transporte público, a convivência na escola e a convivência em casa depois, muitas vezes com os avós. A maioria das nossas crianças, mora com pelo menos mais 4 ou 5 adultos em casa, de acordo com o estudo”, complementou Geraldo.

SEGUNDA ONDA DE TESTES - A segunda onda da pesquisa, nos mesmos moldes da primeira, está prevista para os dias 26 e 27 de outubro, com testes aplicados, de forma aleatória, com sorteio entre escolas municipais, dos nove territórios da cidade. As coletas de exames e de informações são realizadas pelas Equipes de Saúde da Família, cumprindo todos os protocolos de segurança exigidos pela Vigilância Sanitária.

Guilherme Zuffo, neto de Evani e Valdemar Moraes, da Pizzaria do Gino, casou-se, no sábado (10), com Juliana Mello. Devido à pandemia, a cerimônia foi realizada somente no civil. Em seguida, brindaram durante requintado almoço oferecido pelos pais, na presença de 11 familiares. A cerimônia religiosa e a festa foram adiadas para abril de 2021.

17 de Outubro de 2020

Abuso

Já não basta o trânsito caótico, agora, uma construtora colocou o bloco na rua. Circulam pelas principais ruas e avenidas de Santo André três caminhões adesivados com propaganda dos novos empreendimentos da construtora. Um novo jeito de divulgar a empresa, sem pagar nada para o município e ainda deixando o trânsito ainda pior. Os caminhões circulam juntinhos e a 20 km/h.

 

Desfile

Já na Capital, circulam juntos, pela Avenida dos Bandeirantes, dois belos veículos da marca Porsche, modelo conversível, um na cor “azul bebê” e outro na cor laranja. Na direção, jovens sarados e acompanhados de belas garotas. 

 

Potencial

No domingo, dois veículos também da marca Porsche, ambos na cor preta, circularam juntos pela Av. Prestes Maia, Santo André. Hora ou outra, para chamarem mais atenção davam uma bela acelerada.

 

Cuidado

Junto com moradores de rua que ficam nas imediações na avenida Queirós dos Santos e travessa com a rua Cesário Mota, próximo ao Supermercado Atacadão, há assaltantes infiltrados no bando. São trombadões agressivos, que ficam nas imediações só na espreita. Qualquer vacilada, atacam, levam bolsas, celulares e o que encontrar.

 

Escola

O PT fez escola no quesito “falar a língua do povão”. Lula conseguia fazer o povão se estapear só para conseguir tocar ou chegar perto dele. Lula falava a língua que os menos favorecidos conheciam. Também tinha os petistas que não abriam mão de um belo terno de algumas das grifes mais caras, como Ermenegildo Zegna e Ricardo Almeida, que o povão nem tem ideia de quanto custa uma peça de roupa destas marcas.

 

Seguindo a risca

Atualmente, há políticos de outros partidos que vêm se esforçando para estar o mais próximo possível do povão. No período de campanha, todos ficam “facinhos”, circulam em feira livres, vão com a família aos parques, andam de bicicletas e patins. Pena que alguns depois somem e ficam blindados.

 

Posse

Thereza Christina Machado de Godoy toma posse na presidência da APM (Associação Paulista de Medicina). Na ocasião, a nova diretoria também será empossada. A cerimônia acontece, neste domingo (18), na sede da entidade em São Bernardo. 

 

Furto

Um empresário com estabelecimento no Centro de São Bernardo passou 15 dias providenciando documentos e atendendo as exigências do Corpo de Bombeiros para a renovação do alvará de funcionamento. Como parte das exigências, foi obrigado a fixar dois corrimãos em uma pequena escada na entrada da sede da empresa. Teve gastos com engenheiro, na compra dos corrimãos e na contratação de pedreiro. Tudo resolvido e na paz. Uma semana depois, um marginal de plantão, à luz do dia, arrancou e levou os corrimãos. E, para o empresário, beijinho e tchau.

 

Brasil-Líbano

O Corinthians e Vanderlei Luxemburgo doaram camisa autografada para rifa solidária do Projeto Conexão Brasil-Líbano. A ação vai arrecadar renda para enviar ajuda humanitária à comunidade brasileira no Líbano. A ação visa ajudar o país a enfrentar as dificuldades pós-explosão na zona portuária, que destruiu parcialmente a cidade de Beirute. Além da camisa, também serão sorteados artigos doados por alguns artistas entre eles os cantores Michel Teló, Daniel e joias usadas pela a atriz Andrea Beltrão, na minissérie Hebe.

Avalie este item
(0 votos)

O tema único em 2020 é a pandemia. O ano que parecia icônico, a sugestiva repetição de algarismos, mostrou-se uma reiteração de um único assunto. Covid-19, coronavírus, confinamento, higienização, máscara, isolamento social, “fique em casa” e “lave as mãos”, competindo com álcool em gel. Quem é que não está cansado desses verbetes?
A verdade é que ninguém sabe exatamente como a contaminação se propaga. Há indícios fortes de que o vírus permanece em superfícies durante horas e que levar as mãos ao nariz, olhos ou boca faz com que ele penetre no corpo e cause estrago.
Preocupa ainda mais saber que a infecção pode se dar pelo ar. As partículas ficam dispersas e a distância de metro e meio é insuficiente para inibir a transmissão. Insegurança, medo, pânico, tudo simultaneamente nesta fase trágica. Para quem quer fugir a tudo isso, é mais fácil acreditar que a enfermidade só é perigosa para idosos e que o “novo normal” já está aí, convidando-nos para retomar a rotina.
Embora provocativa, achei interessante a versão do escritor italiano Sandro Veronesi. Ele diz que a Covid-19 não é causada por um vírus, mas resulta de um anticorpo da natureza. Esta, maltratada pelo homem, criou uma defesa exatamente para combater quem a devasta. Ou seja: o vírus que acabar com o predador, pois é ele quem faz dos rios verdadeiras fossas, acaba com a biodiversidade, queima a Amazônia, anistia os infratores que avançam pelo remanescente da Mata Atlântica, poluem água, solo e ar, aquecem o planeta e apressam - de forma inclemente - o fim da espécie e de sua aventura pela Terra.
Um sintoma de que o minúsculo vírus, invisível a olho nu, está pretendendo isso, é o número crescente de mortos. E um discreto retorno da natureza, com fauna e flora a ignorar a peste e a se manifestar até com certa alegria. Em contraponto com a frustração do bicho-homem.
Seria bom se as pessoas se comovessem e fizessem exame de consciência para chegar à conclusão de que todos somos responsáveis pelo extermínio da vida saudável neste pequeno corpo galáctico. Ocorre que o coração humano é empedernido, teimoso e ignorante. Continuará a insanidade e a insensatez, com o aplauso dos que tiram proveito momentâneo desse uso criminoso dos recursos naturais e não têm qualquer compromisso com as gerações do amanhã.

Avalie este item
(0 votos)

“Nada se cria sem paixão". Essa poderia ser, em uma frase, a síntese da entrevista de Steve Wozniak, concedida a Mike Maciag, no evento DynatraceGo! na quarta (07). Ao relembrar a criação da Apple, em companhia de Steve Jobs, ele destacou como razão central do sucesso, o fato de a empresa ter criado um ambiente de inovação.
E recordou aspectos de seu convívio com Jobs: “Sempre tivemos bastante habilidade com as coisas básicas de eletrônica, conectar circuitos, e projetos. E fomos beneficiados pelo momento do nascimento da Internet e de nosso interesse pela Arpanet. Mas, motivação é algo essencial. Vale mais do que dispor de dólares para iniciar algo novo. Um dos fatores mais positivos de nossa vida é que eu e Steve tínhamos as habilidades essenciais para fazer protótipos e criarmos o primeiro computador.”
Um dos temas mais interessantes de sua entrevista foi o futuro da Inteligência Artificial (IA). Para ele, a IA não deve ser vista como uma imitação da inteligência humana. Seu papel é, sem dúvida, revolucionário, mas isso não é tudo. Nada vem pronto e acabado nesse mundo da computação. O que aprendemos, acima de tudo, é que precisamos de criatividade em todas as etapas de um produto, inclusive na promoção e na comercialização. Eu e Steve tínhamos aquelas habilidades essenciais. Depois do primeiro computador, pensamos na empresa. Assim, como grande ideia, a Apple nasceu após o Apple II. Digo-lhes que os desafios de software foram os maiores. Para vencê-los, usamos mil vezes o velho método de tentativas-e-erros.” Se comparada a muitas indústrias, em processos de fabricação, a Apple, segundo Wozniak, “conseguiu coisas que eram impensáveis no passado”.
Mas, a grande alavanca para o progresso da tecnologia, em sua visão será a Inteligência Artificial (IA). Não apenas em aplicações práticas ou industriais, mas, também, em campos teóricos como Matemática, a Física ou a Astronomia.”
Em seus conselhos práticos ao setor de informática, Steve Wozniak afirma que “toda indústria deve pensar nas possíveis aplicações de IA. Em especial para engenheiros, em treinamento, num mundo em que a necessidade de formação e atualização profissionais é cada dia maior.
Wozniak destaca com entusiasmo o que pode ser o futuro impacto do acesso à nuvem: “Esse acesso é algo fascinante e revolucionário. E isso decorre, em grande parte, da revolução da internet. E o que é essencial, em minha visão, é que as indústrias considerem - tanto com relação à internet como à Inteligência Artificia - é que elas constituem tecnologias disruptivas. Elas mudam tudo de forma definitiva e profunda. Mas, insisto, precisamos de criatividade em todas as etapas de desenvolvimento de um produto, inclusive na promoção e na comercialização.”
E o mundo da inovação?
Para Steve Wozniak, precisamos entender o processo de inovação. Não é só uma questão de talento individual, de preparo intelectual, mas de ambiente, de estímulos, de condições favoráveis. “E o que é realmente importante para as novas gerações não é apenas pensar em ganhar dinheiro, mas sentir a verdadeira paixão pela inovação, pela tecnologia.”
Ao relembrar o nascimento da empresa, ele diz: “Nós pensamos o futuro da Apple, como a possibilidade de permitir a cada jovem apaixonado por tecnologia construir seu próprio computador pessoal”.


A geração Corona

Avalie este item
(0 votos)
Avalie este item
(0 votos)
Avalie este item
(0 votos)
Avalie este item
(0 votos)

Visite-nos no Facebook

Main Menu

Main Menu