23 May 2024

O Governo de São Paulo inicia, nesta segunda (13), em Nova York (EUA), a 2ª missão internacional do ano para apresentar oportunidades de investimentos no Estado a grupos e investidores estrangeiros. Liderada pelo governador Tarcísio de Freitas, a comitiva paulista realizará uma série de reuniões e agendas bilaterais com bancos e fundos de investimento.

"O Estado tem sido incisivo em demonstrar para o mercado internacional as oportunidades que São Paulo possui. Teremos reuniões com importantes fundos de investimento e eventos com grandes bancos, e isso é importante para a atração de investimentos privados, que é o que vai acelerar o desenvolvimento e gerar emprego e renda ao povo paulista", disse Tarcísio.

Nos encontros que ocorrem até quinta (16), será apresentada a carteira de projetos de concessões, desestatizações e parcerias, estimada em mais de R$ 220 bilhões. Ao todo, são 18 iniciativas já qualificadas e distribuídas em quatro eixos estruturais – água e energia, mobilidade, rodovias e social. A expectativa da gestão é realizar 44 leilões até o final de 2026, mobilizando grupos globais interessados em investir nos ativos estaduais.

A primeira reunião da missão será com os representantes da XP Investments. Na sequência se encontra com investidores internacionais em um meeting organizado pelo Banco Santander. A comitiva ainda se reúne com integrantes do Bank of America e investidores para apresentar projetos e oportunidade de negócio do governo paulista.

Ainda durante a semana, o governador participa de outros dois eventos. No primeiro deles, ele será um dos debatedores do painel “Oportunidades e Desafios no Brasil” na conferência “Brazil &Word Economy”, promovida pelo grupo BTG Pactual. Na sequência, ele se junta a outras autoridades nacionais para participar do Summit Brasil-USA. Dentre os temas que serão abordados no encontro estão a agenda de reformas no Brasil, as medidas necessárias para melhorar o ambiente de negócios no país, o futuro do agronegócio e os investimentos em infraestrutura.

Tarcísio encerra a missão com uma apresenta das oportunidades de investimentos no Estado de São Paulo a cerca de 30 investidores e representantes de grupos privados na conferência do Itaú BBA Latin América.

Em resposta à tragédia que assolou o Rio Grande do Sul, afetando mais de 1,9 milhão de pessoas e resultando na perda de 116 vidas, o deputado federal Fernando Marangoni (União) apresentou um projeto de lei visando regular as doações de entidades jurídicas de direito público externo, organizações internacionais e empresas estrangeiras para o Fundo Nacional para Calamidades Públicas, Proteção e Defesa Civil (FUNCAP), bem como para os fundos estabelecidos pelos estados, pelo Distrito Federal e pelos municípios.

Como membro da Comissão Especial de Prevenção e Auxílio a Desastres e Calamidades Naturais (CEDESNAT), e da Comissão Especial encarregada de analisar a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) sobre emendas orçamentárias para situações de emergência natural, o parlamentar destaca a importância do projeto para ampliar os recursos disponíveis no enfrentamento direto de emergências e calamidades públicas.

A ação partiu de uma demanda das Frentes Parlamentares do Desenvolvimento Urbano Sustentável e de Saneamento Básico, das quais o deputado é coordenador,  juntamente com o Instituto Viva Cidades, diante da dificuldade de viabilizar doações internacionais diretamente aos municípios afetados pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

"Essas entidades, em sua maioria, possuem recursos e capacidades para oferecer ajuda humanitária e apoio logístico em larga escala, complementando os esforços do governo e das instituições. A isenção de encargos durante períodos de emergência ou calamidade pública é uma medida crucial para incentivar e facilitar as doações, garantindo que os recursos sejam direcionados às vítimas", afirmou Marangoni.


Facilitação de Doações pela Receita Federal
Em consonância com a proposta do deputado, a Receita Federal já publicou, no Diário Oficial, uma portaria que agiliza o recebimento de doações. A portaria "Via Rápida" simplifica o processo de apoio de pessoas físicas, instituições e organizações sem fins lucrativos do exterior que desejam destinar bens às vítimas de calamidades no Brasil, isentando tais doações de tributos.

Há alguns anos a Levi's investe nas linhas WellThread, cápsulas que são desenvolvidas a partir da sustentabilidade, do estilo e da inovação. A mais recente coleção de WellThread mantém sua essência com o propósito de reduzir os impactos químicos, energéticos e hídricos da produção de vestuário, ao mesmo tempo em que utiliza algodão de transição e corantes à base de plantas para criar peças atemporais e incorporar as clássicas silhuetas da marca causando menor impacto negativo no meio ambiente.

A linha, totalmente elaborada com corantes naturais, tem seu jeans tingido com índigo 100% vegetal, obtido após em anos de inovação, desta vez apresentando roupas frescas em tons neutros e tradicionais, disponíveis desde o final de abril no e-commerce da Levi's (levi.com.br) e em algumas lojas físicas selecionadas.

Assim como nos últimos lançamentos, cada peça de WellThread continua sendo estruturada com algodão de transição – material fornecido por pequenos agricultores da Índia, que estão em processo de mudança de sistema de produção, passando para um que preserva a saúde dos solos, dos ecossistemas e das pessoas. Isso se dará por meio de processos ecológicos de biodiversidade e de ciclos agrícolas adaptados às condições locais.

Ou seja, um material em vias de se tornar certificado organicamente. Após o início do programa Levi's WellThread Transitional Cotton em 2020, a marca fomenta esses cotonicultores incentivando-os com o seu compromisso de compra das safras do algodão de transição, reduzindo o risco financeiro dos agricultores.

A série conta com peças sutis que variam entre paletas de azul e branco em silhuetas práticas e fluidas. Para as mulheres, a calça de modelagem larga e ajustada na cintura Orchard Soft-Structured de corte reto e a icônica jaqueta Down to Earth Trucker combinadas oferecem visual monocromático. O Mom Shorts inspirado nos anos 80 possui uma estampa botânica pixelizada feita à base de plantas em azul claro quase imperceptível, enquanto o elegante e versátil vestido jeans Wildflower é uma opção para os dias quentes.

E para os homens, a linha contempla a calça Stay Loose Carpenter em um caimento clássico e descontraído que pode ser combinado com a camisa Stonefield também de WellThread.

“Sendo uma plataforma de inovação e testes, nosso objetivo final com o WellThread é aprender o que é possível e compartilhar as melhores práticas para reduzir o impacto do design e da fabricação de produtos”, disse Paul Dillinger, vice-presidente e chefe de inovação global de produtos da Levi Strauss & Co. “Estamos orgulhosos de continuar nossa jornada para encontrar alternativas renováveis e inéditas, como a impressão botânica pixelada à base de plantas. Nossa coleção mais recente apresenta peças marcantes e frescas que são atemporais, confortáveis e fáceis de usar”.

Última modificação em Segunda, 13 Maio 2024 10:49

Four Seasons e a empresa saudita Dar Al Omran Company anunciam planos para o novo Four Seasons Hotel Madinah, com inauguração marcada para o final de 2024.

O hotel, atualmente em construção, está localizado no coração de Medina e a poucos passos de um dos locais mais históricos e importantes da região: Al-Masjid an-Nabawi, também conhecida como a Mesquita do Profeta. O destino atrai milhões de turistas, que visitam seus museus e monumentos históricos, tais como o Monte Uhud e a Mesquita Quba, considerada a mais antiga do mundo.

Com 246 acomodações, múltiplas opções gastronômicas e espaços para eventos, o hotel traz elementos arquitetônicos que conversam com a Mesquita do Profeta, garantindo a identidade cultural e espiritual do destino e oferecendo espaços propícios para celebração e a contemplação espiritual.  

O Four Seasons Medina, que fica a apenas 20 minutos do Aeroporto Internacional, fará parte de uma série de propriedades da marca Four Seasons na Arábia Saudita, que inclui o Four Seasons Hotel Riyadh At Kingdom Centre e projetos em desenvolvimento em Diriyah, NEOM at Sindalah, Four Seasons Resort Red Sea at Shura Island, Four Seasons Resort and Residences AMAALA at Triple Bay e Jeddah at the Corniche

A Prefeitura de São Bernardo assinou, neste domingo (12), a ordem de serviço que autoriza o avanço do Programa Asfalto Novo pelo Jardim Represa. Nesta etapa de intervenções, será renovada a malha viária de quatro vias: Niterói, Progressiva, Cassiano Ricardo e Fernando Pessoa, mediante investimento da ordem de R$ 2,5 milhões, com impacto direto na vida de cerca de 2.000 moradores.

De acordo com o prefeito Orlando Morando, a estimativa é a de que os trabalhos sejam concluídos no prazo máximo de dois meses. “Estamos falando de uma malha com mais de 20 anos de uso e que será renovada a partir de uma parceria da Prefeitura com a Sanca Galpões por meio de contrapartida de impacto de vizinhança de uma obra da empresa nas proximidades”, destaca.

O escopo da obra consiste no recapeamento asfáltico das quatro ruas e, ainda, os serviços de fresagem do pavimento existente, execução de novo pavimento asfáltico e sinalização viária, totalizando quase dois quilômetros de ruas atendidas e 16,8 mil metros quadrados de pavimento novo. “Já implementamos asfalto novo em toda a Estrada Galvão Bueno e em grande parte do Represa e, conforme os recursos forem sendo garantidos, seguimos avançando”, observa Morando.

TRANSFORMAÇÃO – Implantado desde 2017, o Asfalto Novo se tornou o maior programa de recuperação da malha viária da história da cidade. O projeto já impactou 1.600 vias de São Bernardo, o equivalente a mais de 600 quilômetros de extensão em diversos bairros do município.

As melhorias já alcançaram o Grande Alvarenga, Batistini, Rudge Ramos Paulicéia, Cooperativa, Parque Espacial, Alves Dias, Dos Casa, Centro, Demarchi, Nova Petrópolis, Ferrazópolis, Vila São José, Vila Gonçalves, Vila Euclides, Assunção e Vila Marchi.

 

Foto: Gabriel Inamine - PMSBC

O ministro da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, afirmou, no sábado (11) que ainda é pequeno o número de municípios gaúchos que buscaram recursos emergenciais federais para cuidar das pessoas afetadas pelas chuvas e enchentes que assolam o Rio Grande do Sul desde o fim de abril. Góes e outros ministros apresentaram números que incluem também comunidades indígenas da região.

“Temos 441 municípios em situação de calamidade. Logicamente que, até que seja feito o refinamento dessa classificação, nós imaginávamos que pelo menos 300 solicitassem algum tipo de recurso, mas apenas 69 solicitaram. Aprovamos sumariamente e já liberamos recursos”, disse o ministro neste sábado (11), durante coletiva de imprensa no RS.

Diante da situação, o governo federal flexibilizou, por meio de uma portaria, as regras para o recebimento de recursos pelos municípios afetados. “Sabemos que muitos prefeitos estão focados nas ações de resgate. Compreendemos isso, de forma a possibilitar que eles recebam a ajuda enquanto reúnem as informações para o plano de trabalho de ajuda humanitária”, disse.

Segundo o ministro, basta um “simples ofício” enviado ao Ministério da Defesa Civil Nacional, juntando apenas o decreto do governo do estado, reconhecendo a calamidade. “Se o município tem até 50 mil habitantes, a gente adianta logo R$ 200 mil. Se tem até 100 mil, adiantamos R$ 300 mil. Se tiver acima de 100 mil, a gente adianta R$ 500 mil para, rapidamente, comprarem água, cestas básicas; para cuidar das pessoas que estão no abrigo".

De acordo com o ministro, há 445 municípios afetados no estado; 71.398 pessoas em abrigos; 339.928 desalojados; 74.153 ações de salvamento de pessoas; 136 óbitos; 756 feridos; 125 desaparecidos; e 135 bloqueios em vias. Mais de 2 milhões de pessoas foram afetadas.

 

Marinha e Força Nacional

O ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Paulo Pimenta, destacou a chegada, no município de Rio Grande, do Navio Aeródromo Multipropósito Atlântico, da Marinha.

“São 1.350 militares, 154 toneladas de donativos, duas estações de tratamento de água com capacidade de produzir 20 mil litros de água potável por hora, 38 viaturas, 24 embarcações e três helicópteros. Trata-se da mais importante presença da Marinha Brasileira. É o nosso navio mais importante”, disse o ministro.

Ele acrescentou que a Força Nacional ampliará sua atuação no estado, com a chegada, na próxima semana, de mais 300 integrantes. “Eles atuarão também no trabalho de segurança dos abrigos. Com isso, iremos a 417 integrantes da Força Nacional de segurança no Rio Grande do Sul. Ao todo, são 1,5 mil integrantes ligados ao Ministério da Justiça, entre Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal e Força Nacional de Segurança”, complementou.

 

Foto: Gustavo Mansur/ Palácio Piratini - A.Brasil

Última modificação em Domingo, 12 Maio 2024 08:01

Destaques

"Temos que nos preparar"…

22 Mai 2024 Política

Main Menu

Main Menu