23 May 2024

A Associação Comercial e Industrial de São Caetano do Sul (ACISCS) promoveu mais uma edição do Café com Negócios. O evento, que aconteceu na sede da entidade, na quarta (22), homenageou a ‘Confraria da Praça’, um grupo de empresários, comerciantes, autônomos e prestadores de serviços com atuação na cidade. A Confraria é presidida por José Augusto da Silva, que também é diretor da ACISCS. Na ocasião, Roberto e Reinaldo Wosniak, da Ápice Gráfica, e Mauro Cunha, do Alves da Cunha Sociedade de Advogados, também receberam homenagem.

“ Um dia especial para a Aciscs. Homenageamos alguns empresários muito importantes em São Caetano e tivemos presenças ilustres de autoridades como o presidente do Sicredi, Jaime Basso, entre outros. Um dia marcante para a Associação Comercial e é para isso que a entidade está aqui, para fazer conexões, celebrar a vida e fazer o Café com Negócios para que a economia de São Caetano se movimente cada vez mais gerando prósperos e bons negócios”, afirmou o presidente da Aciscs, Sergio Tannuri.

“Ficamos lisonjeados em receber essa homenagem, principalmente em nome do meu sogro, que foi uma pessoa muito atuante em São Caetano, foi dono da Palmares Veículos, Fundição Piave. Ele chegou da Itália em 1953. Estamos com a empresa há 46 anos. Ficamos lisonjeados com essa homenagem”, revelou Reinaldo Wosniak, um dos homenageados.

Marcaram presença no evento o presidente do Sicredi, Jaime Basso, o gerente regional de desenvolvimento do Sicredi na região do ABCD Paulista, Jacques Pacheco, os pré-candidatos à Prefeitura de São Caetano, Tite Campanella e Fabio Palacio e associados.

 

Foto: Elber Ferreira 

A ministra do Meio Ambiente e Mudança do Clima, Marina Silva, alertou, nesta quarta (22), para a necessidade de se construir medidas para prevenir e mitigar evento extremos ligados às mudanças climáticas, como o que aconteceu no Rio Grande Sul. A ministra voltou a defender a redução no uso de combustíveis fósseis, do desmatamento e também na adoção de medidas para evitar a perda da biodiversidade.

“Temos que nos adaptar às mudanças do clima e temos que nos preparar, porque isso que está acontecendo agora, infelizmente, vai continuar acontecendo: ondas de calor, processos de resfriamento, chuvas torrenciais e secas. Ano passado vimos duas vezes enchentes no Vale do Taquari e seca no Rio Grande do Sul, seca na Amazônia e cheia na Amazônia”, argumentou a ministra em participação na 25ª Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, organizada pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM).

A ministra lembrou que desde a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, também conhecida como Eco-92, em 1992, os países assumiram compromissos contra três grandes ameaças à vida no planeta: a desertificação, a perda de biodiversidade e a mudança do clima.

“Isso foi há 32 anos e nós não fizemos o dever de casa e estou me referindo aos 185 países que assinaram aquele acordo, inclusive nós [o Brasil]", disse.

Marina citou como exemplo da desertificação o fato de que áreas antes utilizadas para a produção de alimentos e que prestavam serviços ecossistêmicos, como o auxílio no equilíbrio hídrico de determinadas regiões, estão sofrendo processos de desertificação, impactando, inclusive, na perda da biodiversidade.

“Hoje é o Dia da Biodiversidade e 75% da alimentação dos países mais vulneráveis dependem da biodiversidade e ela está sendo rapidamente destruída. Precisamos fazer o enfrentamento das causas que estavam levando à desconfiguração do sistema climático global", conclamou.

Marina elogiou a CNM por trazer o debate sobre mudanças climáticas para a agenda de discussão dos municípios. Nesta quarta-feira, a confederação realizou um debate sobre os desafios municipais no enfrentamento das mudanças climáticas, com a presença da ministra.

“Quero um discurso que nos mobilize, é possível mitigar para não agravar o problema, é possível nos adaptarmos para termos as medidas certas da forma certa”, disse Marina. “Temos que estar preparados, tem que ter rota de fuga, lugar para as pessoas se alojarem, estoque de alimento, de água potável, de medicamentos, de equipamentos como hospitais de campanha para se houver necessidade, um esforço de preparação para o enfrentamento dos desastres. É preciso que se tenha uma ação de prevenção”.

Na terça (21), a CNM anunciou uma proposta de uma emenda à Constituição para viabilizar o enfrentamento às mudanças climáticas pelas cidades. A proposta, que ainda não foi protocolada na Câmara dos Deputados, prevê a criação do Conselho Nacional de Mudança Climática, da Autoridade Climática Nacional e do Fundo Nacional de Mudança Climática, que passaria a ser gerido por um consórcio nacional formado pelos municípios.

Pela proposta, a União abriria mão de 3% da arrecadação do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e do Imposto de Renda, que seriam destinados ao fundo. O valor, segundo a CNM, representaria cerca de R$ 25 bilhões ao ano. Pelo mecanismo proposto, a verba poderá ser direcionada diretamente para ações de prevenção e enfrentamento dos efeitos das mudanças climáticas, fora do Orçamento Geral da União.

O presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, citou pesquisa da entidade mostrando que 94% dos municípios brasileiros já sofreram emergência ou calamidade. Em 3,6 mil cidades, apenas dois em cada dez gestores municipais estão preparados para o combate às mudanças climáticas.

Além disso, 43% não possuem uma pessoa ou setor responsável pelo monitoramento das áreas de risco, 57% não possuem um sistema de alerta, seja móvel ou fixo e 68% dos municípios afirmaram nunca ter recebido nenhum tipo de recurso dos Estados ou do governo federal para atuar na prevenção às mudanças climáticas.

Consórcio

Durante o debate, Ziulkoski defendeu a criação do Consórcio Nacional para Gestão Climática e Prevenção de Desastres como ferramenta para auxiliar os municípios no enfrentamento a eventos extremos. Para justificar a medida, a CNM diz que o modelo tradicional de aplicação de recursos públicos não tem produzido adequados resultados na promoção de medidas efetivas que possam prevenir e enfrentar as consequências da mudança climática.

“Tem que haver uma política nacional, um aprofundamento para o enfrentamento dos desastres. O consórcio ser uma ferramenta transparente e legal”, disse. “O consórcio vai, pela lógica dos municípios, ajudar os estados e a União a fazer esse enfrentamento. Vamos estimular, por meio de orientações, busca em rede, alguma coisa estruturada para que um município sozinho não enfrente a crise”, concluiu. (A.Br)

Última modificação em Quarta, 22 Maio 2024 16:33

A Lei Estadual nº 13.541 de 7 de maio de 2009, também conhecida como lei antifumo, completa 15 anos neste mês de maio. Ela foi proposta e aprovada para preservar os direitos dos não-fumantes, mas sua aprovação e implantação aconteceram em meio a críticas e polêmicas. A lei proíbe o consumo de cigarro, com exceção de vias públicas e espaços ao ar livre.

Pioneira no estado de São Paulo, a proibição do consumo de derivados do fumo já está em vigor em todo o país. O objetivo é reduzir o risco de doenças provocadas pela exposição à fumaça do tabaco e de outros produtos fumígenos; promover a defesa do consumidor e a criação de ambientes de uso coletivo livres do fumo. Incluem-se neste contexto os dispositivos eletrônicos e outros utensílios usados para o mesmo fim, que surgiram no mercado após a aprovação da lei paulista.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 8 milhões de pessoas morrem anualmente, em todo o mundo, por doenças causadas ou agravadas pelo tabagismo. No Brasil, estima-se que sejam gastos aproximadamente R$ 125 bilhões por ano para combater doenças relacionadas ao uso de produtos derivados do tabaco, segundo o Inca (Instituto Nacional do Câncer).

O tabagismo é reconhecidamente uma doença crônica resultante da dependência à nicotina e um fator de risco para cerca de 50 doenças, dentre elas, câncer, DPOC e doenças cardiovasculares.

A lei antifumo foi regulamentada pelo Decreto 54.311/09, em consonância com as disposições da Lei Federal 8.078/90 (Código de Defesa do Consumidor) e da Lei 10.083/98 (Código Sanitário do Estado de São Paulo).

Desde sua aprovação e da efetiva entrada em vigor em agosto de 2009, o Procon-SP é um dos órgãos que fiscaliza seu cumprimento até os dias atuais em todo o Estado. Além do Procon-SP, o Centro de Vigilância Sanitária da Secretaria Estadual da Saúde também é um dos órgãos fiscalizadores.

Neste período, só o Procon-SP realizou 175.955 atos fiscalizatórios e lavrados 1.888 autos de infração até dezembro de 2023, por mais de 440 fiscais da Fundação e dos Procons municipais conveniados que, desde aquela época e até hoje, foram capacitados para inicialmente orientar os estabelecimentos e, a partir da entrada em vigor da nova lei, fiscalizar o seu cumprimento.

 

 

“Esta é uma lei ganha-ganha que, ao longo do tempo, mobilizou – e ainda mobiliza – toda a sociedade, especialmente o Procon-SP, que desde o início participou de toda a discussão sobre o assunto, contribuiu na elaboração do anteprojeto e segue protagonizando, como agente fiscalizador, do seu cumprimento”, analisa Robson Campos, diretor de Assuntos Jurídicos do Procon-SP.

O deputado estadual e pré-candidato a prefeito de São Bernardo, Luiz Fernando (PT), oficializou, nesta quarta (22), o nome do ex-prefeito William Dib, para compor como vice na chapa que disputará o comando Paço Municipal, nas eleições de outubro próximo.

“O que nos aproximou foi a preocupação do rumo que São Bernardo estava tomando, as condições da nossa cidade foram avançando, porém negativamente e fomos construindo a nossa pré-campanha com muito apoio moral e aconselhamentos do Dr.Dib”, revelou o pré-candidato a prefeito.

De acordo com Luiz Fernando, para a definição do nome a vice-prefeito, foi feito um debate a nível nacional, que envolveu o vice-presidente da República, Geraldo Alckmin (PSB), o ministro Márcio França (PSB), o ministro Luiz Marinho e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). “Precisávamos ter uma chapa que repetisse aquela coligação que se deu de vontades e políticas para o debate nacional, para a disputa nacional, com o PT e o PSB juntos”, destacou.

Assim, segundo Luiz Fernando, a Executiva do PT, com partidos aliados, definiu de “maneira unânime” a aliança. “É a melhor aliança que podíamos firmar para enfrentar as urnas, trazendo a experiência, a vivência, o prestígio eleitoral e político, além de todo o seu conhecimento se reforçando junto a nós, para que nós pudéssemos fazer a melhor disputa e vencermos essas eleições”, avaliou.

A chapa de Luiz Fernando e Dib conta com apoio de sete partidos. São eles: Federação (PT, PCdo B, PV), Psol, Rede, PDT, Solidariedade,Mobiliza e Democracia Cristã.  “São sete partidos, sete chapas de vereadores que vêm às urnas junto com Luiz Fernando e Dib para que a gente retome essa cidade”, disse o petista.  

O ex-prefeito de São Bernardo contou que o PSB colocou à disposição do PT a indicação do seu nome para vice-prefeito e que, na terça (21), ela foi validada. “Ontem, depois de um convite formal do ministro e ex-prefeito Luiz Marinho, houve uma reunião do Diretório do PT que colocou a nossa pré-candidatura a vice-prefeito”, destacou.

De acordo com Dib, a relação com Luiz Fernando é de amizade, admiração e não de negócios. “Luiz Fernando é competente e capaz e tenho certeza que fará um grande governo para São Bernardo”, justificou.

Dib também falou sobre a sua “dívida” com São Bernardo. “Fui vereador e secretário passando por mais de sete secretarias, fui vice-prefeito, fui prefeito reeleito. O mais votado do Brasil e da história de São Bernardo. Fui presidente da Anvisa, que tenho orgulho de ter liberado a cannabis medicinal e que  salvou milhares de pessoas no país. Minha dívida com São Bernardo é grande. Devo tudo para São Bernardo”, frisou.

Os caminhos divergentes percorridos na política, no passado de Dib e Luiz Fernando, parecem ser página virada. “O que uniu o Dib a mim é São Bernardo. Claro que quando se une duas pessoas, várias ideias, tem que se abrir mão. Não é o Plano de Governo do PT, mas de todos os partidos que estão juntos”, enfatizou Luiz Fernando. “Está unindo experiências diferentes, vivências diferentes, olhares diferentes. Vamos reunir esses olhares todos com o foco em São Bernardo. Daí, nascem coisas melhores”, completou.

Questionado pela Folha, sobre quando o presidente Lula e o vice-presidente Alckmin irão participar das pré-campanhas, o petista afirmou que as participações ocorrerão no período eleitoral. “Estamos organizando a vinda de ambos. Alckmin estará participando de reuniões, assim como o presidente Lula. Queremos, efetivamente, o presidente e o vice, também, no período eleitoral. Queremos mais, vamos querer antes, vamos trazer outros ministros também no debate do nosso programa de governo”, disse.

Também disse que ainda deverá contar com a visita de alguns ministros. “São Bernardo é uma cidade diferenciada, ela tem alguns ministros da cidade. Ricardo Lewandowski e Luiz Marinho, são de São Bernardo. Meu irmão, Paulo Teixeira, que também é ministro, e temos o presidente da República que é de São Bernardo. Essa eleição interessa muito ao governo federal que está extremamente preocupado com a situação da cidade”, afirmou. 

Na ocasião, estiveram presentes: o deputado estadual Teonílio Barba (PT); o coordenador da Macro PT ABCDMRR, Brás Marinho; o presidente do PT na cidade, Cleiton Coutinho; o presidente do PSB de São Bernardo, Antônio Cabrera; o presidente do PV do município, Rafael Rigato; o presidente municipal do PCdoB, Jorge Costa; o presidente do PDT da cidade, Haroldo Rocha; o presidente municipal do Mobiliza, Otávio Gomes de Oliveira Junior, bem como do ex-secretário Tarcisio Secoli, coordenador da campanha de Luiz Fernando, e do ex-deputado estadual Ramiro Meves (SD), entre outras autoridades.

Última modificação em Quarta, 22 Maio 2024 16:52
As escolas da rede municipal de Educação de São Caetano se preparam para receber as Festas Juninas, que começam no próximo sábado (25). Do berçário ao último ano do Ensino Médio, as crianças terão a oportunidade de conhecer aspectos únicos da nossa identidade cultural por meio dessa festividade tão significativa, vivenciando momentos enriquecedores que valorizam a cultura brasileira em suas diversas manifestações. 
 
As Festas Juninas não são apenas eventos festivos; são experiências educativas fundamentais que promovem o entendimento e o respeito à diversidade cultural do Brasil. Desde os primeiros anos na Educação Infantil, as crianças são introduzidas à riqueza das tradições juninas, vivenciando danças regionais e explorando os elementos visuais e culinários que caracterizam essa festividade.
 
No Ensino Fundamental e no Ensino Médio, as Festas Juninas ganham maior profundidade, abrangendo, para além das tradições, os contextos históricos e geográficos que influenciam essas práticas culturais. Os estudantes mergulham nas diferentes manifestações artísticas, desde a música ao artesanato, explorando a diversidade de ritmos e cores que refletem a identidade de cada região do país.
 
“Para as escolas, estudantes e as famílias, este é um momento muito esperado. Mais do que uma festividade, nossos estudantes se envolvem na diversidade e riqueza cultural do nosso país”, ressalta Daniela Hikawa, Diretora de Educação Integrada da Secretaria Municipal de Educação. “Essa vivência vai além do entretenimento; é uma forma de valorizar e preservar as nossas raízes, desenvolvendo um senso de identidade e respeito pela pluralidade.”
 
As Festas Juninas são uma síntese da cultura brasileira, reunindo tradições de diferentes regiões em torno de elementos como música, dança, comida típica e manifestações visuais. Para os estudantes, essa abordagem multidisciplinar é essencial, pois promove o respeito à diversidade, incentiva a criatividade e fortalece o sentimento de pertencimento à nossa herança cultural.
 
Neste ano, as unidades escolares da Rede Municipal de São Caetano do Sul prometem brilhar com suas Festas, unindo aprendizado e celebração em um ambiente de integração e valorização da nossa cultura. A comunidade escolar e a imprensa são convidadas a participar desses momentos especiais que enriquecem o calendário educacional com cores, sons e sabores do Brasil.
 
Para mais informações sobre as datas em cada Unidade da Rede, confira o cronograma abaixo:
 
 
25/MAIO
* EME Prof. Vicente Bastos
* EMI Maria Simonetti Thomé 
 
08/JUNHO
* EME Profa. Alcina Dantas Feijão
* EMEF 28 De Julho
* EMEF Dom Benedito Paulo Alves De Souza
* EMEF Leandro Klein
* EMEF Maria Teresinha Dario Fiorotti
* EMEF Prof. Décio Machado Gaia
* EMEI 1º. De Maio
* EMEI Abelardo Galdino Pinto
* EMEI Castorina Faria Lima
* EMEI Claudio Prieto
* EMEI Fernando Piva
* EMEI João Barile
* EMEI José Auricchio
* EMEI Octávio Tegão
* EMEI Oswaldo Cruz
* EMEI Profa. Dulce Junquetti
* EMEI Profª Inês Dos Ramos
* EMEI Profa. Telma Silvia De Aguiar Brito
* EMEI Romeu Fiorelli
* EMEI Rosa Perrella
* EMI Alice Pina Bernardes
* EMI Antonia Capovilla Tortorello
* EMI Candinha Massei Fedato
* EMI Claudio Musumeci
* EMI Marily Chinaglia Bonaparte
* EMI Thereza Coan Fiorotti
 
15/JUNHO
* EMEFm Arquiteto Oscar Niemeyer
* EMEF Luiz Olinto Tortorello
* EMEF Padre Luiz Capra
* EMEF Senador Fláquer
* EMEF Sylvio Romero
* EMEI Antonio De Oliveira
* EMEI Cleide Rosa Auricchio
* EMEI Francisco Falzarano
* EMEI Irineu Da Silva                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                              
* EMEI Jacob João Lorenzini
* EMI Alfredo Rodrigues
* EMI Fernando Pessoa
* EMI Josefa Da Cunha Leite
* EMI Maria Dagostini
* EMI Matheus Constantino
* Creche Lar Samaritano Da Mãe Operária
 
22/JUNHO
* EMEF Anacleto Campanella
* EMEF Bartolomeu Bueno Da Silva
* EMEF Elvira Paolilo Braido
* EMEF Oswaldo Samuel Massei
* EMEF Prof. Rosalvito Cobra
* EMEI Fortunato Ricci
* EMEI Helena Musumeci
* EMEI José Ferrari
* EMEI Luiz José Giorgetti
* EMEI Marilene De Oliveira Larocca
* EMEI Orlando Moretto
* EMEI Pedro José Lorenzini
* EMEI Rosana Aparecida Munhos
* EMI Gastão Vidigal Neto
* EMI Maria Panarielo Leandrini
 
29/JUNHO
* EMEF Laura Lopes
* EMEI Emílio Carlos
* EMI Angela Massei
* EMI Josefina Cipre Russo
 
03/AGOSTO
* EMEF Ângelo Raphael Pellegrino
 
10/AGOSTO
* EMEF Prof. Olyntho Voltarelli Filho
 
Foto: Divulgação 
 

MasterChef Brasil comemora 10 anos no ar e estreia a 11ª temporada na próxima terça (28), às 22h30, na Band. A edição terá o mote “uma década de paixão”. Em dez anos de programa, foram servidos quarenta mil pratos, 20 mil toneladas de alimentos doados e mais de 2 mil competidores.

Sob o comando de Ana Paula Padrão, a maior competição gastronômica do país reúne mais uma vez os chefs Erick JacquinHelena Rizzo e Henrique Fogaça para julgar uma disputa que vai misturar sabores incríveis, desafios emocionantes e muita inovação. A cozinha volta a ocupar um dos estúdios da sede da Band no bairro do Morumbi, em São Paulo. 

Vários pontos de luz foram colocados em todo o ambiente para privilegiar a iluminação. O restaurante também ficou mais amplo e ganhou uma integração entre as bancadas e o mercado. O palco é o destaque dessa nova versão, com elementos vazados que trazem movimento e contrastam com o espaço. Detalhes em dourado proporcionam um ar mais nobre e requintado. 

“O MasterChef se atualiza a cada ano, sempre falando sobre coisas que estão acontecendo agora. Creio que isso é o que faz o MasterChef ser tão assistido por 10 anos com a mesma intensidade e proporção, atraindo cada vez mais pessoas, especialmente no digital. Através da gastronomia, contamos um pouco da história que estamos vivendo. Essa é a nossa magia: estar aberto a tudo o que está acontecendo sem julgamento ou preconceito”, revela a diretora Marisa Mestiço.

Desde a estreia, em 2014, a atração vem transformando a vida de milhões de pessoas e mudou a maneira do brasileiro de enxergar o ato de preparar alimentos. Expressões como “redução”, “confit”, “julienne” e “deglacê” passaram a fazer parte do vocabulário de muita gente. “Cozinhar não é mais só uma forma de atender a uma necessidade fisiológica. Depois do MasterChef, passou a ser uma entrega de amor para a família. Quanto mais você conhece as técnicas básicas, melhores receitas é capaz de preparar, mais ingredientes consegue manipular e o universo em que você navega passa a ser mais abrangente também. Isso é muito bonito”, analisa Ana Paula Padrão

“São 10 anos no ar e cada temporada traz vários desafios diferentes. Dessa vez, o público pode esperar bons competidores, e temas diversificados. Como sempre, o MasterChef vai prender a atenção de todos os telespectadores”, adianta Fogaça, que tem se mostrado afiadíssimo nas avaliações. “Não acredito que eu intimide os concorrentes. Faço críticas, sejam elas negativas ou construtivas, e se o participante conseguir aceitá-las de forma positiva, ele consegue passar pelas etapas tranquilamente”.

“O MasterChef tem a limitação do tempo e as pessoas precisam aprender a pensar rápido em algo que possam entregar. A estratégia é fazer comidas deliciosas dentro dessas circunstâncias, esquecer as câmeras, os jurados e realmente priorizar o que sabem fazer”, aconselha Helena.

 “Dez anos se passaram muito rápido. Nós não imaginávamos que estaríamos aqui depois de tanto tempo. O grande problema é que estou 10 anos mais velho, mas de resto foi maravilhoso, tem sido uma experiência muito boa”, dispara Jacquin, que ainda dá uma dica para quem deseja chegar à final. “Primeiramente, eu avalio o preparo da comida, se ela está boa e bem-feita. Antes de tudo, isso é um jogo, então é necessário saber se aliar às pessoas e ficar do lado certo nas dinâmicas em equipe. Não é necessário ser sempre o melhor, mas sim mediano para não encarar a eliminação. O ideal é não se arriscar tanto para não sair mais rápido. É preciso manter o equilíbrio até o último episódio”. 

Desafios icônicos como o Leilão MasterChef e o Muro prometem levar os concorrentes ao limite. As famosas torres voltam nesta temporada, assim como a confeitaria, considerada um pesadelo na vida de grande parte dos cozinheiros, mas que deixa todo mundo com água na boca.

Outra novidade é o “QG MasterChef – Entrevista com o Eliminado”, que vai ao ar no O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo./False" target="_blank" rel="noopener noreferrer" data-saferedirecturl="https://www.google.com/url?q=https://click.cse360.com.br/Click/AddCampaignEmailClick/9360bb5f-e91c-4ae4-6f03-08dc75d4045c/https%25253a%25252f%25252fwww.band.uol.com.br%25252f/ee5a0728-3981-4a79-a418-9fb092ef3bae/O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo./False&source=gmail&ust=1716473923025000&usg=AOvVaw3AKSK2fQizoucBylp9q9KQ">Band.com.br, no O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo./False" target="_blank" rel="noopener noreferrer" data-saferedirecturl="https://www.google.com/url?q=https://click.cse360.com.br/Click/AddCampaignEmailClick/9360bb5f-e91c-4ae4-6f03-08dc75d4045c/https%25253a%25252f%25252fbandplay.com%25252f/ee5a0728-3981-4a79-a418-9fb092ef3bae/O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo./False&source=gmail&ust=1716473923025000&usg=AOvVaw2AFfzqJu9KDctxfoAdfNME">Bandplay e no O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo./False" target="_blank" rel="noopener noreferrer" data-saferedirecturl="https://www.google.com/url?q=https://click.cse360.com.br/Click/AddCampaignEmailClick/9360bb5f-e91c-4ae4-6f03-08dc75d4045c/https%25253a%25252f%25252fwww.youtube.com%25252f%252540MasterChefBrasilOficial/ee5a0728-3981-4a79-a418-9fb092ef3bae/O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo./False&source=gmail&ust=1716473923025000&usg=AOvVaw0SVdlmn9428MtkfqDpWqw0">canal oficial no YouTube toda quinta-feira, às 19h, será apresentado pela atriz e cantora Mariana Belém e por Raul Lemos, vice-campeão da segunda temporada. A atração estreia no dia 30 de maio.

Premiação – Além do troféu de campeão da 11ª temporada do MasterChef Brasil, grande símbolo da competição gastronômica mais famosa do país, o ganhador (a) vai embolsar o maior prêmio da história do programa: R$ 350 mil oferecidos pela Stone. Ele (a) ainda leva para casa um conjunto premium de panelas da marca Royal Prestige. A Brastemp vai doar uma cozinha gourmand completa que une design e performance. O vencedor (a) garantirá a loja Seu Espresso by Aram. Trata-se de uma rede de cafeterias acessível para quem sempre desejou ter seu próprio negócio. Para equipar a casa e, quem sabe, o seu futuro restaurante, a Camicado vai entregar R$ 50 mil em produtos. A Le Cordon Bleu oferecerá um curso completo na escola de gastronomia mais renomada do mundo. O segundo colocado também poderá fazer um curso de pâtisserie para aprender com os melhores profissionais da área.

 

MasterChef Brasil 10 anos em números:

Mais de 2.000 competidores

Mais de 40.000 pratos servidos

Mais de 20.000 toneladas de alimentos doados

Mais de 5.000 litros de azeite

Mais de 85.000 unidades de ovos

Mais de 5.000 litros de vinagre

Mais de 7.000 litros de leite

Mais de 5.000 kg de queijo

Mais de 27 toneladas de carnes

Mais de 3.000 kg de manteiga

Mais de 7.000 litros de óleo

Mais de 7.000 kg de farinhas

Mais de 6.000 kg de açúcar

Mais de 30.000 litros de água

Mais de 150.000 kg de grãos

Mais de 2.000 kg de oleaginosas

Mais de 15.000 litros de bebidas

 

Foto: Divulgação 

 


Pagina 1 de 1932

Destaques

"Temos que nos preparar"…

22 Mai 2024 Política

Main Menu

Main Menu