21 Sep 2018


Mais de 1 mil moradores protestam contra invasão do MTST em São Bernardo

Publicado em Política
Avalie este item
(0 votos)

Cerca de 1.000 moradores de condomínios localizados ao longo da Av. Dom Jaime de Barros Câmara, em São Bernardo, ocuparam a Av. Anchieta, na manhã de domingo (10), para protestar contra a invasão do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) a terreno privado no bairro Planalto. A manifestação organizada por moradores, por meio do Movimento Contra a Invasão (MCI), também busca pressionar o Grupo de Apoio às Ordens Judiciais de Reintegração de Posse (Gaorp) do TJ-SP, que se reúne para deliberação sobre o caso, nesta segunda (11).

O processo em torno da ocupação está sendo mediado pelo órgão, responsável por organizar reuniões entre os sem teto, o governo de São Paulo, o governo federal, a prefeitura de São Bernardo e a construtora MZM, proprietária do terreno, para tentar chegar a um acordo sobre a área. O encontro desta segunda-feira está marcado para as 14h, na Capital.

“Esse movimento é para fazer pressão no Gaorp, cuja reunião será amanhã. Eles têm que decidir algo ainda neste ano, porque depois do dia 20 é recesso judiciário. Depois haverá modificação do pessoal do grupo e com isso o MTST vai ganhando tempo. A decisão tem que sair agora. A reintegração de posse está mantida em primeira e segunda instância e não tem porque negociar com essas pessoas, abrindo precedente”, destacou o líder do movimento, Marcelo Mendes Vicente.

Síndico de um dos condomínios da via, o líder criticou ainda o uso de pessoas vulneráveis como ferramenta de manipulação política. “O MTST é um movimento partidário e político, tanto é que seu líder já cogita lançar candidatura para o próximo ano. Não somos contra a luta por habitação, desde que seja feita conforme a lei. Esta forma ilegal incomoda as pessoas que pagam impostos e é um risco à nossa segurança”, completou.

Indignada com a ocupação, a moradora Beatriz Schittino, de 25 anos, afirma que aderiu à manifestação para lutar contra a politização da ocupação. “Estou aqui hoje para lutar por nossos direitos. A gente trabalha muito para pagar um aluguel ou comprar uma casa e sou contra esta invasão. Para mim é um esquema político. Isso não acontecia quando o PT estava no poder. Sou a favor das pessoas tenha moradia, mas acredito que essas pessoas têm outras motivações”, disse.

Morador dos arredores da invasão, o aposentado Gilberto Penetti, de 73 anos, também se diz favorável à luta por moradia, mas que discorda da forma que o movimento vem conduzindo a ocupação. “Todos têm o direito da propriedade, mas este é um direito conquistado e não tomado à força ou dado de presente. Acredito que este é um movimento mais político do que social”, informou.

 

Última modificação em Segunda, 11 Dezembro 2017 11:16
Folha Do ABC

A FOLHA DO ABC traz o melhor conteúdo noticioso, sempre colocando o ABC em 1º lugar. É o jornal de maior credibilidade da região
Nossa publicação traz uma cobertura completa de tudo o que acontece na região do ABCDM.

Website.: www.folhadoabc.com.br/media/k2/users/anos.png

Visite-nos no Facebook

Main Menu

Main Menu