17 Nov 2019

Com preços mais em conta do que nas floriculturas, o Mercado de Flores da Craisa (Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André) se prepara para a data responsável por um dos maiores movimentos de vendas, o Dia de Finados. Nos dias próximos à data, os comerciantes chegam a registrar o dobro do volume de comércio em comparação com o restante do ano. Somente o Dia das Mães é capaz de provocar igual crescimento nas vendas.

“Esperamos a presença de cerca de 1.200 pessoas comprando flores aqui no Mercado na sexta (1). Quando não há datas comemorativas, a média de consumidores às sextas-feiras é de aproximadamente 600 pessoas”, explicou o engenheiro agrônomo da Craisa, Fábio Vezza de Benedeto.

O Mercado de Flores da Craisa conta com 34 estandes, que comercializam uma grande variedade de flores, além de produtos para jardinagem. De acordo com Benedetto, a maior parte dos expositores é formada por produtores, vindos de cidades como Suzano, Bragança Paulista, Atibaia e Piracaia, que têm como principal característica as vendas por atacado.

“É por isso que os preços chegam a ser até 50% mais baixos. Como o principal alvo da Feira é a venda por atacado, não há custo da perda do produto armazenado. Flores são extremamente perecíveis, não tem o custo da entrega, nem o custo do trabalho artístico dos floristas”, explicou Benedetto.

O Mercado de Flores da Craisa acontece às terças-feiras e sextas-feiras, das 17h às 21h. “Às sextas-feiras ocorre o maior movimento, porque as pessoas preferem se adiantar para os eventos que acontecem no final de semana (festas, casamentos, etc). Às terças-feiras recebemos em média 350 pessoas”, acrescentou.

A fábrica da Ford em São Bernardo encerra a sua produção, nesta quarta (30), depois de 52 anos de operação. A unidade, que representou a entrada da montadora americana no país, teve o seu fechamento anunciado em fevereiro deste ano, dentro de um programa de reestruturação mundial. No local eram fabricados os caminhões da marca e os modelos Fiesta. Em janeiro cerca de 1,3 mil pessoas se revezavam nas linhas de produção. Em julho, foram dispensados 750 empregados que trabalhavam na montagem do Fiesta e agora será a vez dos 600 trabalhadores restantes.

Segundo informou o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, as rescisões dos funcionários serão feitas, na quinta (31). Permanecerão na companhia 1 mil empregados da área administrativa, que irão continuar trabalhando na unidade do ABC até março do próximo ano, quando devem ser transferidos para uma nova sede da companhia no Brasil, provavelmente para a cidade de São Paulo.

O governo do Estado, junto a Prefeitura de São Bernardo, desde o anúncio do fim da produção da Ford no ABC, tentaram impedir o fechamento definitivo da fábrica.

Em setembro último, o governador João Doria (PSDB) anunciou que o grupo Caoa faria uma “due diligence” para, depois, comprar a unidade. Na época, havia a certeza de que o negócio era uma questão de tempo. Mas as negociações, no entanto, não seguiram a diante e a Caoa apontou que seria imprescindível algum tipo de apoio financeiro público: estadual ou federal, neste caso via Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Ao que tudo indica, a compra não deve ocorrer.

O Bradesco promoveu Encontro Empresarial, na terça (29), no Baby Beef, em Santo André, com o objetivo de ajudar a impulsionar os pequenos negócios, especialmente em investimentos voltados à tecnologia. Dirigido a empreendedores em geral, o evento, que contou com apoio da Acisbec (Associação Comercial e Industrial de São Bernardo) proporcionou networking e reuniu cerca de 250 participantes.

Os empresários foram recepcionados com um coffee break, momento que serviu para promover uma troca de experiências e informações entre os empresários. Na sequência, os convidados ouviram especialistas sobre as oportunidades de negócios e expectativas do cenário econômico.

Durante o encontro, consultores do Bradesco destacaram a importância dos pequenos negócios, que geram emprego e renda e os rumos que as empresas devem buscar para serem competitivas e prosperarem. O planejamento, pesquisa de mercado, identificar a concorrência e inovar estão sempre entre as principais recomendações.

O vice-presidente da Acisbec, Valter Moura Júnior, participou da abertura do evento e ressaltou que as empresas devem ficar atentas à modernização. “Vivemos uma era digital e os empreendedores precisam se capacitar cada vez mais”. Como exemplo, ele justificou a transformação do mercado em 25 anos. “As gigantes digitais como Facebook e Google superaram, nesse período, o valor da riqueza gerada pelas indústrias como Ford, GM e Chrysler. Só que com o número inferior de empregados. Nos anos 1990, essas montadoras tinham 1,2 milhão de empregados enquanto em 2015, as digitais empregavam 137 mil pessoas. Isso serve como reflexão sobre a importância de estar atento ao avanço do mercado rumo à modernização”, afirmou.

Hamilton Gimenes, gerente regional do Bradesco, disse que as parcerias também ajudam as empresas a buscarem as soluções. “As empresas, especialmente as pequenas, precisam buscar ajuda para tomarem decisões mais assertivas, terem um diferencial e promover a melhor experiência para o cliente”, disse.

Os programas de educação corporativa estão cada vez mais presentes nas empresas que visam o desenvolvimento de seus colaboradores, aumento da produtividade, vantagem competitiva e retenção de talentos. Em 2018, de acordo com a 13ª edição do “Panorama de Treinamento no Brasil”, estudo que investiga os principais indicadores da gestão de Treinamento & Desenvolvimento e que ouviu 400 empresas brasileiras, a média de investimento em T&D das empresas foi de R$ 2,21 milhões, volume equivalente a 1,62% das despesas com folha de pagamento.

Segundo Janine Salvato, da área de Pessoas & Organização da Braskem, maior petroquímica das Américas e líder na produção de biopolímeros, as iniciativas de educação corporativa são fundamentais para proporcionar um ambiente de formação, lapidando o conhecimento e fortalecendo a experiência profissional. “Na Braskem, nosso objetivo é inspirar os integrantes na busca pelo conhecimento para que sejam protagonistas de sua transformação, assim como apoiar o seu desenvolvimento, proporcionando a alavancagem de competências técnicas e/ou comportamentais, tais como protagonismo e liderança, por exemplo, visando a aplicabilidade do conhecimento adquirido no cotidiano de suas atividades e consequentemente da empresa”, explica.

O programa Fábrica do Saber é uma das alternativas que a companhia disponibiliza para o desenvolvimento dos seus mais de 8 mil integrantes. Criado em 2010, os cursos de capacitação são divididos em módulos com foco no fortalecimento das competências de cultura, de negócio e carreira e na integração prático-reflexiva do conhecimento, e ministrados ao longo do ano para colaboradores das unidades industriais e dos escritórios.

Neste ano, no ABC, onde a Braskem possui cerca de mil integrantes e mais de dois mil funcionários terceirizados, o programa Fábrica do Saber já capacitou oito turmas, totalizando quase 100 integrantes. Protagonismo, flexibilidade, espírito de equipe, planejamento e criatividade foram algumas das competências trabalhadas durante os treinamentos.

Em 2018, a Braskem investiu R$ 27,2 milhões em treinamentos de 6.825 integrantes em todo o mundo. Janine afirma que o apoio no crescimento e desenvolvimento dos colaboradores é o principal objetivo da área de Pessoas & Organização da Braskem. “Além da Fábrica do Saber, contamos com outros programas focados em integração, desenvolvimento, preparação e formação de lideranças e em alguns deles contamos com o apoio dos próprios colaboradores para identificar iniciativas que possam contribuir com a evolução do nosso modelo de gestão de pessoas”, diz.

O resultado destas ações, segundo a área de Pessoas & Organização da Braskem, reflete na boa imagem da companhia no mercado de trabalho. Em 2018, a Braskem foi reconhecida como uma das 50 empresas mais amadas pelos integrantes e estagiários (Love Mondays) e como uma das Empresas dos Sonhos do Jovem (Cia de Talentos), além de ser uma das Melhores Empresas para começar a Carreira (Você S/A). O programa de estágio realizado neste ano recebeu mais de 25 mil inscritos, crescimento de 65% em relação a 2018, que teve mais de 15.186 inscrições.

Reforçando a importância do turismo como vertente da economia em 2019, a CLIA Brasil anunciou um significativo aumento no setor de cruzeiros marítimos. Estudo anual da entidade registrou 293 mil embarques de turistas brasileiros em navios na costa do país entre janeiro e junho deste ano, um aumento de 21% em relação ao mesmo período em 2018. Outro dado divulgado foi o de que 402 mil brasileiros embarcaram em cruzeiros dentro e fora do país no primeiro semestre de 2019, um aumento de 16,1% em comparação com os 346 mil do mesmo período em 2018.

No Brasil, a temporada 2019/2020 de cruzeiros receberá oito navios, um a mais do que a temporada passada, trazendo 531.121 leitos que serão divididos por 144 roteiros e 575 escalas. A temporada 2018/2019 foi responsável por um impacto econômico de R$ 2,083 bilhões na economia do país, gerando 31.992 postos de trabalho.

O ministro Marcelo Álvaro Antônio ressaltou a relevância da atividade para o turismo brasileiro e para a economia do país. “Temos trabalhado e adotado ações com o objetivo de desenvolver o setor de cruzeiros para, quem sabe, termos 50, 100 navios fazendo turismo na costa brasileira todos os anos”, disse.

A temporada de cruzeiros no Brasil vai de novembro a abril e a CLIA espera que a popularidade das viagens entre os brasileiros cresça ainda mais. “Para acompanhar esse rápido crescimento, o Brasil tomou medidas significativas para receber navios em novos portos, aumentando a capacidade e melhorando a experiência geral dos viajantes”.

TERMINAL DE PASSAGEIROS

O Brasil terá seu primeiro porto com terminal de passageiros exclusivo para cruzeiristas. Em setembro, o Ministério da Infraestrutura assinou o contrato de adesão em Terminais de Uso Privado (UTPs) que permite a construção do porto de Balneário Camboriú pela empresa PDBS. O porto de Balneário Camboriú é o primeiro passo de um projeto que pretende construir 15 instalações voltadas para o turismo marítimo em todo o Brasil. A expectativa é de atrair mais empresas do setor de cruzeiros, mais navios para a costa brasileira e aumentar significativamente o número de turistas e o impacto econômico do setor.

Com a construção do primeiro terminal exclusivo de passageiros no porto de Balneário Camboriú, a estimativa é de que o impacto seja enorme no turismo marítimo brasileiro. De acordo com projeções, mais cinco navios seriam atraídos, colocando mais 300 mil turistas na costa brasileira, sendo 120 mil estrangeiros. Além disso, a expectativa é de criação de 1,5 mil empregos diretos e outros 10,5 mil indiretos. O impacto econômico seria de mais R$ 2 bilhões, um crescimento de 100% considerando os dados de 2018/2019.

A Prefeitura de São Caetano iniciará 2020 readequando o passeio público da Avenida Goiás. Serão as Calçadas Acessíveis e Permeáveis, projeto que está sendo finalizado pela Seohab (Secretaria de Obras e Habitação) e tem por objetivo aumentar a acessibilidade das calçadas da mais famosa avenida da cidade. As cores serão definidas pela população, em votação na internet.

“A implantação das Calçadas Acessíveis e Permeáveis busca melhorar as condições de passeio dos pedestres da Goiás, que é a principal via arterial do município e exerce papel organizador no espaço urbano local e regional. O projeto também estimula deslocamentos ativos, incentiva hábitos mais saudáveis e contribui para a redução das emissões de gases poluentes”, explica Auricchio, que fez os canteiros centrais da avenida em sua primeira gestão (2005-2008).

As diretrizes adotadas no projeto buscam a priorização do pedestre em relação aos veículos automotores, produzindo um ambiente urbano mais sustentável e confortável para os deslocamentos a pé.

“A intervenção prevê a extensão do passeio para instalação de ciclovias permanentes nos bordos da via, substituição do piso existente por pavimentação ecológica drenante, uniformização e extensão das faixas verdes permeáveis nas calçadas, adequações de sinalização para priorização do pedestre, instalação de piso podotátil e padronização de rampas para acessibilidade”, complementa a secretária de Obras e Habitação, Maria de Lourdes da Silva.

A ciclovia a ser instalada na Avenida Goiás faz parte de projeto mais amplo, que é a rede cicloviária municipal, com extensão prevista de 12 km, percorrendo nove bairros. A rede cicloviária tem como objetivos viabilizar a intermodalidade, colaborar para convivência harmônica entre pedestres e ciclistas, estabelecer conexões entre os principais pontos da cidade e garantir a segurança dos ciclistas.

ESCOLHA POPULAR- A Prefeitura de São Caetano quer que a população seja parte direta no projeto e escolha a cor das calçadas por meio de votação pela internet. Para participar é fácil: basta entrar no site www.saocaetanodosul.sp.gov.br, no Facebook ou Instagram da Prefeitura, acessar o link, selecionar a sua cor preferida (grafite e cor natural, bronze e prata, ou prata azulado e areia) e pronto. A escolha popular tem início nesta quarta (30) e vai até o domingo (3) de novembro.


Destaques

Visite-nos no Facebook

Main Menu

Main Menu