26 Jan 2020

Iniciando a temporada de inverno, a Arezzo apresenta sua mais nova aposta de tênis: o #ZZJoy. O modelo, que dá continuidade aos tênis ZZs, vem para reafirmar que conforto e estilo podem, e devem, continuar como aliados, seja no verão ou no inverno, durante o dia ou à noite, do trabalho ao happy hour.

E para reforçar o quanto o modelo pode ser sinônimo de feminilidade, podendo calçar mulheres poderosas, a Arezzo convidou Erika Januza para estrelar a campanha dirigida por Giovanni Bianco. Um ícone dos dias de hoje, a atriz é uma representação ideal de uma mulher forte e feminina - matching perfeito com a ideia do ZZ Joy. A campanha traz Erika transparecendo força e delicadeza, clicada em cenários coloridos que contrastam e dão ênfase ao calçados.

Além da modelagem super feminina e delicada, com o cano um pouco mais alto e justo, arrematado por um laço, o ZZ Joy foi desenvolvido no couro Posh Leather, um material inovador feito exclusivamente para o produto, que possui um leve brilho de efeito glossy e um craquelado que forma uma textura moderna - contrapontos que juntos criam o equilíbrio ideal entre a feminilidade e o despojado.

Para acompanhar, a bolsa tiracolo Joy, também feita com Posh Leather, tem um design prático e moderno, com tamanho ideal e que a deixa leve, perfeita para todos os momentos das rotinas agitadas. As opções de cores, tanto das bolsas quanto dos tênis, são femininas e suaves, com destaque para a cor Flower Pink e para o dourado, além das cores neutras.

O ZZ Joy é o produto ideal para quem busca autenticidade, beleza e conforto. A novidade já está disponível nas lojas Arezzo de todo o Brasil, e no site da marca.

Expulsões
A quantidade de brasileiros apreendidos ao tentar atravessar de forma irregular a fronteira dos Estados Unidos bateu o recorde em 2019, de 18 mil. Com isso, o presidente Donald Trump quer aumentar o número de voos fretados para a deportação de brasileiros por imigração irregular.

Perdida
A última década foi a pior de todas para a economia brasileira. O dado consta de estudo do economista Roberto Macedo, da Universidade de São Paulo, ex-secretário de Política Econômica e que foi presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Segundo o levantamento, entre 2010 e 2019, o PIB cresceu a um ritmo de 1,39% por ano, a média mais infame desde 1900.

Perdida I
De acordo com o economista, a década de 2010 foi a pior para o crescimento do PIB entre as 12 analisadas. O desempenho médio anual do período foi menos da metade do registrado na década anterior, iniciada em 2000 (3,39%). Até então, o pior resultado anual era de 1,75% nos anos 90 – época marcada por crises externas e planos fracassados de estabilização.

40 anos
O Partido dos Trabalhadores irá realizar o Festival PT 40 anos, nos dias 7, 8 e 9 de fevereiro, no Armazém da Utopia, no Rio de Janeiro. O evento contará com a presença dos ex-presidentes Lula e Pepe Mujica, do Uruguai, que farão um debate sobre os rumos da esquerda no século XXI. Também reunirá lideranças e figuras históricas do partido, militantes e movimentos sociais com o objetivo de comemorar as quatro décadas de história e articular as lutas futuras.  

Indefinido
O PT ainda não definiu qual será seu candidato à Prefeitura de São Paulo. A demora tem causado incômodo nos bastidores do partido. O primeiro debate das prévias deve acontecer no começo de fevereiro.

Eleições
Caso o prefeito Bruno Covas (PSDB) não saia candidato à reeleição, por motivos de saúde, o partido poderá lançar, como alternativa, o ex-governador Geraldo Alckmin, para prefeito, com Marcio França, como vice. Outra alternativa, que teria a simpatia do governador João Doria, seria tentar emplacar a candidatura de Joice Hasselmann (PSL).

Eleições I
A decisão do partido NOVO de não aceitar as despesas habituais dos cargos eletivos, abrir mão de privilégios, permitiu uma economia, só em 2019, de R$ 37 milhões, segundo João Amoedo, presidente do NOVO, em entrevista ao Estadão. Caso os demais parlamentares fizessem o mesmo, o Congresso economizaria R$ 1 bilhão. Para este ano, o partido já tem se organizado para o pleito. Poderá lançar candidatura própria para prefeito em 68 municípios brasileiros.

Novo comando
Wesley Batista Filho assumiu, na última semana, no lugar de Joanita Karoleski, a direção da Seara, considerada a “joia da coroa” da JBS no Brasil. Trata-se de mais um capítulo da ascensão do jovem rumo ao comando do grupo controlado pelo pai e o tio, Joesley Batista. O jovem tem apenas 28 anos e terá a missão de comandar a expansão dos negócios. Só o setor de alimentos processados, aves e suínos receberá a maior parte dos R$ 8 bilhões que o grupo investirá no Brasil, até 2024.

Streaming
O presidente internacional da Cinemark, o brasileiro Valmir Fernandes, que vive em Dallas desde 2006, afirmou em entrevista ao jornal Valor Econômico que como o cinema sobreviveu ao ‘home video’, sobreviverá ao ‘streaming’, ainda que tenha que se ajustar. O executivo afirmou que houve um salto dos 30 milhões de ingressos vendidos no Brasil em 2009 para 42,5 milhões nos 12 meses entre outubro de 2018 e setembro do ano passado. O faturamento no mesmo período foi de US$ 2,5 bilhões nos EUA e R$ 305 milhões no Brasil.

Remanejados
A Itaipu Binacional fechou definitivamente seu escritório em Curitiba, na sexta (17). Os 97 empregados do local foram remanejados para Foz do Iguaçu, sede da usina. O encerramento começou em julho último e está sob o comando de diretor da empresa, o ex-ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna. O fechamento do escritório faz parte do enxugamento dos gastos e ampliação dos investimentos da empresa. Rosângela da Silva, a Janja, namorada do ex-presidente Lula, se desligou oficialmente de Itaipu em 2 de janeiro após demissão negociada. Ela atuava no escritório de Curitiba como socióloga.

Ameaça
Em meio às negociações com a Sabesp, que deverá assumir, nos próximos dias, o abastecimento de água na cidade, a Prefeitura de Mauá faz ameaças públicas à BRK Ambiental (ex- Odebrecht Ambiental), responsável pela coleta e tratamento de esgoto. As desavenças começaram em novembro do ano passado, quando o prefeito, Átila Jacomussi (PSB), publicou um decreto reduzindo os valores da tarifa cobrada pela BRK. Os cortes seriam de 2,9% a 20% no valor. A concessionária, então, procurou à Justiça para reverter à decisão.

Ameaça I
A briga segue. A BRK conseguiu uma liminar em primeira estância, derrubando o decreto. No entanto, na semana passada, a Prefeitura conseguiu reverter à medida no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP). A BRK continua tentando evitar as cortes na tarifa, originalmente definida pela Agência Reguladora dos Serviços Públicos de Mauá (Arsep).

São Paulo deu mais um passo em prol do meio ambiente. Foi sancionada, na segunda (13), pelo prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), uma lei que proíbe estabelecimentos comerciais de fornecerem produtos descartáveis feitos de plástico na Capital. O comércio que desrespeitar as regras pode ser punido com multa de até R$ 8 mil ou acabar fechado pela Prefeitura.
A lei vem a somar a já implantada "lei das sacolinhas", que entrou em vigor em 5 de abril de 2015. Na capital paulista já foi reduzido em mais de 70% o consumo de embalagens plásticas, segundo a Associação Paulista de Supermercados (Apas). As lojas só podem disponibilizar sacolinhas verdes ou cinzas, que são cobradas individualmente. As sacolinhas com material bioplástico foram adotadas pela Prefeitura de São Paulo para alavancar a coleta seletiva em São Paulo e reduzir a quantidade de resíduos que são encaminhados para os aterros.
Na quarta (15), foi a vez dos supermercados do Estado do Rio de Janeiro passarem a não mais oferecer gratuitamente sacolas plásticas de qualquer material aos clientes.
O uso das sacolas plásticas descartáveis traz diversos impactos ambientais. Além de ocupar espaço nos aterros, sua produção utiliza grande volume de água e gera resíduos industriais. Há ainda o uso inadequado e descarte na rua, o que leva o material às galerias e bueiros. Isso causa entupimentos e enchentes, polui a água e o solo e traz prejuízo à vida de animais marinhos. Os sacos plásticos podem levar entre 400 e 1.000 anos para se decompor.
O Brasil já produz mais de 500 mil toneladas anuais de plástico filme (matéria-prima das sacolinhas plásticas), produzido a partir de uma resina chamada polietileno de baixa densidade (PEBD), resultando na produção de 135 bilhões de sacolas. Calcula-se que cerca de 90% desse material, com degradação indefinida, acaba servindo de lixeiras ou viram lixo. Em São Paulo, o consumo mensal está na casa dos 2,4 bilhões, o que corresponderia, em uma conta simplificada, a 59 unidades por pessoa.
As restrições são benéficas ao desenvolvimento sustentável para as gerações futuras. A sociedade já percebeu que não pode ignorar a questão ambiental. Um processo de conscientização da população que já acontece em muitos países. Na Itália e na França, só a distribuição de sacos biodegradáveis é autorizada. Para desestimular o consumo, Alemanha, Dinamarca, Irlanda, África do Sul, partes da Austrália e China proíbem a distribuição gratuita de sacolas. Bangladesh proibiu as sacolas em 2002, após diagnosticar que o entupimento de bueiros por plástico causou grandes inundações no país.
O ABC continua atrasado em relação a medidas “antiplástico”. Por todos os municípios da região ainda se encontra farto acesso às sacolas plásticas nas lojas e supermercados, bem como a venda indiscriminada de produtos descartáveis feitos de plástico, como garfos, copos, facas, etc. Em Santo André houve tentativa de proibir o uso das sacolas plásticas, mas não foi emplacada pela Câmara Municipal. Em São Bernardo, na contramão das ações, existe lei vigente desde 2012 que obriga que todos os comércios alimentícios forneçam gratuitamente sacolas descartáveis para que os clientes embalem suas compras. Nos demais municípios não constam iniciativas desfavoráveis às sacolas plásticas. Falta comprometimento dos prefeitos da região e ainda, do orgão regional, o Consórcio Intermunicipal, que no auge das ações contra o plástico, não tem pautado o assunto. E, em ano eleitoral, sabe-se que o tema ficará para depois.

Avalie este item
(0 votos)

O atraso da 5ª Geração de Telecomunicações Móveis afeta as ambições da tecnologia do país. Por outro lado, o movimento para postergar a venda de espectro oferece ao governo brasileiro, espaço para minimizar as reações norte-americanas diante da eventual participação da Huawei na licitação.
A licitação do cobiçado espectro de 5G do Brasil foi adiada, um revés para as ambições tecnológicas do País, que poderá custar ao Estado brasileiro bilhões em receitas fiscais perdidas e investimentos.
Por outro lado, o atraso na implantação da tecnologia de próxima geração poderá ajudar o governo brasileiro a evitar um impasse iminente com os EUA caso a Huawei, o grupo chinês de telecomunicações, viesse a desempenhar um papel decisivo no setor.
O Brasil é um dos vários países que têm enfrentado pressão dos EUA para excluir a empresa chinesa dos planos 5G, alegando que a empresa chinesa usa supostamente sua tecnologia para espionar em nome de Pequim. A tecnologia 5G é considerada um componente crucial para a próxima geração de comunicações.
Em todo o mundo, as nações correm para atualizar suas redes e aproveitar a vantagem competitiva que vem com ela. O leilão do espectro 5G no Brasil estava previsto para março, mas agora foi postergado para o final do ano ou mais provavelmente para o início de 2021, em meio aos desentendimentos sobre as regras do leilão na Anatel, o regulador de telecomunicações do País.

Avalie este item
(0 votos)

Vive-se formalmente o Estado de Direito. Foi a opção do constituinte de 1988, que o qualificou ainda com a “índole democrática”.
O que significa Estado de Direito?
O Estado que se submete à lei. A clássica formatação de Montesquieu, que parametrizou o convívio à tripartição de funções. Ao Legislativo, o mais importante dentre os Poderes, incumbe elaborar as regras do jogo. Sob a forma de lei: expressão da vontade geral, conforme à natureza das coisas. A lei seria o ditame extraível da sensatez. Da boa razão humana. Pressupõe que o homem seja um animal racional.
No Estado de Direito, administrar é cumprir a lei. O Executivo é servo da lei. Enquanto o particular pode fazer tudo o que a lei não proíbe, o Governo só pode fazer o que a lei determina.
Ao Judiciário resta fazer incidir a vontade concreta da lei quando houver controvérsia. Esse o paradigma ideal do Estado de Direito, formalmente estabelecido no pacto federativo de 5.10.1988.
Só que ele é muito deficiente no Brasil.
Frágil e desacreditado, 34 anos depois de encerrada a ditadura, 30 anos depois de promulgada a “Carta Cidadã”.
Não é achismo. É o resultado do ranking elaborado pelo World Justice Project – WJP, organização civil destinada a promover a filosofia do Estado de Direito no planeta Terra.
Entre 126 países listados, o Brasil ocupa a 58ª posição. Entre 1, a melhor posição e zero, a pior, estamos com 0,53. Quem está no topo da lista?
Dinamarca, com 0,9, Noruega, 0,89, Finlândia, 0,87 e Suécia, 0,85. Na nossa frente, outros 54, inclusive Holanda, Alemanha, Áustria, Nova Zelândia, Canadá e Estônia, que completam os dez primeiros. Atrás de nós, a Venezuela.
Na América Latina, também estamos mal. Somos o 15º país, atrás de Uruguai, Costa Rica, Chile, Argentina e de mais dez pequenos países do Caribe. Os fato-res aferidos: limites aos poderes do governo, ausência de corrupção, transparência governamental, direitos fundamentais, ordem e segurança, aplicação efetiva das regras, Justiça Civil e Justiça Criminal.
Por ironia, o Brasil é o país com o maior número de Faculdades de Direito. Sozinho, tem mais Faculdades de Direito do que a soma de todas as outras existentes no restante do planeta. Como é que a nossa educação jurídica não está ensinando as novas gerações a vivenciarem o verdadeiro Estado de Direito?
Nós, educadores, haveremos de responder por isso.

Avalie este item
(0 votos)

Em 2015 escrevi essa crônica, na qual hoje dou uma remexida, lembrando de um artigo do Dr. Luis Miller de Paiva, médico psicanalista que faleceu em 2018, com 99 anos, mostrando a importância de estar com os familiares.
Ele era professor de Ciência e Comportamento da Faculdade Paulista de Medicina. Teve passagens em vários países desse nosso mundo. Além de professor, fazia atendimento psicológico e transmitia seus conhecimentos a médicos e psicólogos.
Um resumo aqui de sua mensagem e minhas considerações.
“Segundo o estudioso, o indivíduo por toda a vida se manifesta segundo foi moldado”. Ele usa sempre a formação do bebê na palavra molde. Misturando com outras minhas leituras sobre a criança, vejo a importância do amor que deve ser demonstrado, do tempo que deve ser doado,na leitura de livros onde as histórias devem se interagidas com os filhos, nas brincadeiras que os país demonstram junto a criança para que ela se sinta uma Família.
Tenho uma jovem amiga que se tornou mãe e ao ver o valor de uma boa creche para sua bebê, resolveu ficar em casa, ela mesma fazendo as tarefas diárias e o melhor, cuidando de sua pequenina. Chegou à conclusão que o que ia ganhar não valia a pena para se ausentar de sua filhinha. Com certeza o amor vai estar presente.
Anos atrás conheci uma secretária que, ao sua filhinha fazer2 meses, ela voltou a trabalhar. A Van da creche passava às 7 horas da manhã. Não tinha bancos e lá eram colocados os bebês em seus bercinhos. Às 19 horas os pequenos eram devolvidos aos pais. Quando a menina completou 3 aninhos, eu não via amor da criança pela mãe. Esta não tinha paciência... pareciam duas estranhas...
Diz o Dr. Luis ser contra a mulher que trabalha o dia inteiro. Que deve conciliar a criança e meio período de serviço para que os laços com os filhos se estreitem. Eu conheci alguns casais em que a mulher tendo um melhor salário e não querendo deixar seus filhos com babás, o que hoje está difícil de encontrar, pessoas de confiança, e também pelo lado financeiro, o marido optou por ser o “dono” da casa, fazendo os serviços domésticos, levando os pequenos à escola, ajudando nos deveres escolares das crianças... Isso é muito comum nos Estados Unidos.
Sobre a velhice, ele fala que se o indivíduo teve uma infância com carinho e afeto, agora esse velho tem chance de ser mais feliz, pois a família vai dar esse apoio que foi o que um dia recebeu.
Acho que ele precisa ter uma atividade para preencher seu tempo. Sozinho ou com a esposa? Dois na pia é muito mais gostoso. Dançar? Natação? Academia? Caminhada?... Estar com os netos... repassar todo amor que existe na família... contar histórias, reais e fictícias. Hoje me lembro das histórias de vida dos meus ascendentes. Sinto que nem sempre prestei atenção esquecendo muitos detalhes. Uma pena...
O psicanalista era a favor de todas as religiões: Buda, Jesus Cristo, Moisés Maomé Alá... Todas são boas... O problema não é a religião. É o ser humano.
Dizia ele que o amor é tudo na vida. Casamento sem amor? Infelicidade na certa.  Segundo Bertrand Russel: “A vida deve ser inspirada pelo amor e guiada pelo conhecimento”.
E vamos terminar com mais uma frase, que achei linda: “Há pessoas que nascem com um rouxinol no coração e, por mais vagabunda que seja a gaiola, o passarinho sempre canta” (R. Bazin)
Então meus amigos... vamos rir, cantar e amar mais...
Um abraço, Didi


Envelhecer

Avalie este item
(0 votos)

A entrevista

Avalie este item
(0 votos)

Visite-nos no Facebook

Main Menu

Main Menu