17 Nov 2019

A Prefeitura de Santo André começou, np domingo (10), as obras do Parque Guaraciaba, que será o maior da cidade. O novo espaço está localizado na área que ficou popularmente conhecida como "Tancão da Morte", e será totalmente reestruturado para se tornar uma nova opção de lazer para a população.

O Parque Guaraciaba vai contar com academia ao ar livre, área de eventos, campo de futebol com gramado sintético, ciclovia, espaço pet, estacionamento, mirante com deck, pista de caminhada e playground.

“Esse é um símbolo muito importante da boa política que temos praticado, de transformação e melhorias por toda a cidade. Todas as nossas ações têm como objetivo melhorar a qualidade de vida das pessoas e aqui não é diferente. Este parque já foi o Tancão da Morte e a gente espera que agora seja o tancão da alegria, do lazer e do esporte”, comentou o prefeito Paulo Serra. “Tem muita coisa boa que ainda vamos fazer nessa região, mas esse parque sem dúvida nenhuma tem um simbolismo muito especial e eu estou muito orgulhoso de poder participar disso”, completou.

A implantação do parque será pautada na segurança dos usuários, já que o lago possui um histórico de acidentes e fatalidades. O local é cercado por nascentes e remanescentes de vegetação nativa, que agregam o conceito de preservação e benefícios ambientais.

"O Parque Guaraciaba espera por essa revitalização há muitos anos. Para nós é uma grande alegria e estamos ansiosos para devolver à população mais lazer, bem estar, comodidade e trazer para o andreense o benefício que os parques urbanos trazem para a população. Temos 10 parques urbanos, duas unidades de conservação e o Guaraciaba será o maior de todos os parques, com muita importância ambiental”, afirmou o secretário de Meio Ambiente, Fabio Picarelli.

Segundo o secretário de Meio Ambiente, 54% do território de Santo André possui áreas preservadas e de mananciais. Considerando os parques, o município acumula 61% de área verde.

A auxiliar de escritório Kátia Eliane dos Santos, de 41 anos, cresceu brincando no local e comemorou o início das obras. “Eu cresci aqui e na minha adolescência vinha direto no parque, mas infelizmente diante de tantas mortes deixamos de usar esse espaço. Nessa região não temos nenhuma área de lazer, então pra mim e para os meus filhos vai ser uma obra muito boa”, comentou.

A revitalização contará com investimento de R$ 1,2 milhão. A previsão é que o Parque Guaraciaba seja inaugurado em 2020.

Histórico - A criação do Parque Guaraciaba dará um destino adequado a uma área que foi marcada por fatalidades nas últimas décadas. Desde 1984, quando a empresa que operava na área paralisou as atividades, ocorreram cerca de 30 mortes por afogamento no local.

Em 1988 começaram manifestações exigindo providências das autoridades para se evitar novas mortes por afogamento. Em 1989, na primeira gestão do prefeito Celso Daniel, o local foi desapropriado e, atendendo a pedidos das comunidades ao redor, foram iniciados os projetos para a construção de um parque, que foi aberto à população no aniversário da cidade, em 1992.

Posteriormente, o parque foi fechado e ao longo dos anos novas fatalidades foram registradas. As últimas cinco mortes ocorreram em 2014, o que levou o Ministério Público a solicitar a interdição total do espaço e pedir a adoção de providências para evitar outros casos.

A Prefeitura de São Bernardo celebrou, no sábado (9), os 51 anos do Mercadão do Rudge Ramos, um símbolo da região e do desenvolvimento do município. O tradicional hábito de ir ao mercado municipal está ainda onipresente entre as famílias locais, tanto que os números do Mercadão confirmam isso: pela casa de carne Cardicar, estabelecimento mais antigo, são vendidos cerca de 4 mil quilos de carne, por semana.

Pelos corredores, aproximadamente 20 mil pessoas circulam todo mês. De acordo com os lojistas, o que mais atrai o público é a ampla variedade, com alta qualidade e a facilidade de estar próximo de importantes vias da cidade. “O Mercadão do Rudge reúne todos os elementos que agradam os moradores: opções para a compra da semana, possibilidade de ver os amigos ou vizinhos, corredores confortáveis e a proximidade dos lojistas com as preferências de quem já frequenta o local”, avaliou o secretário de Cultura, Adalberto Guazzelli.

Para Rodrigo Papadopoli, sócio-proprietário da casa de carnes, há relação com a região e a consolidação do negócio de família. “Minha avó assistiu à inauguração desse local, acompanhou a evolução de todos aqui e também do próprio açougue que, hoje, reúne outros produtos”, contou.

Também frequentador do Mercadão, o prefeito Orlando Morando ressalta a importância desse ponto de compras. “Mais que oferecer soluções e produtos para o nosso dia-a-dia, os lojistas desse espaço de compras e conveniência fazem parte da vida do bairro e das famílias que por aqui circulam. Esse espaço contribui para resgatar o hábito de revermos familiares e amigos do bairro, tornando-nos mais próximos da cidade e, consequentemente, desse patrimônio da nossa cidade”, reforça.

Inaugurado em 1968, o mercadão conta com 65 lojas, com diversos tipos de produtos, que vai das verduras, legumes, carnes e laticínios a calçados, roupas, papelaria e utensílios domésticos. O Mercado Municipal do Rudge Ramos funciona de segunda a sábado, das 8h às 19h, e está localizado na Avenida Caminho do Mar, 3.344, bairro Rudge Ramos.

A população do Bairro Cerâmica já tem à disposição uma unidade de Saúde totalmente modernizada. No sábado (9), o prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior, reinaugurou a UBS Moacir Gallina, que teve o número de consultórios ampliado de quatro para oito, dobrando a capacidade para até 6 mil atendimentos por mês.

A revitalização também marca o funcionamento da unidade com Acesso Avançado, com 70% da agenda do médico da Estratégia Saúde da Família destinada à livre demanda, sem a necessidade de agendamento (chegou, é atendido).

Esta foi a primeira manutenção na UBS Moacir Gallina, inaugurada em 2006 dentro de estratégia adotada por Auricchio em seu primeiro mandato de ampliar o acesso da população à Atenção Básica. Na mesma gestão, também foi inaugurada a UBS Caterina Dall’Anese, no Bairro Olímpico, e outras duas.

“Antes o atendimento aos moradores do Cerâmica, do Olímpico e do Oswaldo Cruz eram centralizados na UBS Nair Spina Benedicts, no Bairro Oswaldo Cruz. Era uma unidade para atender 30 mil pessoas. Construímos esta UBS e a do Olímpico. Hoje, temos praticamente uma UBS por bairro. Agora estamos otimizando a capacidade de atendimento de cada uma delas (são 13). E assim, com muito planejamento e trabalho, reiteramos o nosso compromisso com a saúde das pessoas”, ressaltou o prefeito.

A obra incluiu a instalação de elevador e de rede informatizada para a implantação do prontuário eletrônico, garantindo atendimentos mais ágeis e eficientes. Também foram executadas as reformas dos telhados, adequações na cobertura e a instalação de aparelhos de ar-condicionado, entre outras melhorias. O investimento foi de R$ 336 mil, por meio de recursos próprios. Durantes as obras, o atendimento foi transferido para o Hospital São Caetano.

“Esta ficou uma das unidades mais bonitas e acolhedoras. Tudo pensado para oferecer mais conforto aos pacientes e melhores condições de trabalho aos funcionários”, destacou a secretária municipal de Saúde, Regina Maura Zetone.

A reinauguração também foi prestigiada pelo deputado estadual Thiago Auricchio, que listou ações do mandato em prol da Saúde de São Caetano, como a conquista de R$ 8 milhões para a construção do Atende Fácil Saúde (as obras serão iniciadas em breve), e a destinação de R$ 250 mil para a compra de medicamentos, por meio de emenda parlamentar.

A Moacir Gallina é a quinta das nove unidades de Atenção Básica revitalizadas pela Prefeitura entregue neste ano. As demais são Ivanhoé Esposito (Barcelona), Maria Corbeta Segato (Prosperidade), Dolores Massei (São José) e Nair Spina Benedicts (Oswaldo Cruz).

Em breve, também serão entregues as UBSs Amélia Richard Locatelli (Santa Maria) e Darcy Sarmanho Vargas (Mauá), além do Centro Policlínico Gentil Rstom (Nova Gerty) e do Centro de Especialidades Médicas (Bairro da Fundação).

HOMENAGEM

Moacir Gallina foi farmacêutico, proprietário da Farmácia São Judas, na Avenida Senador Roberto Simonsen, e vereador. Morreu no exercício do mandato, em 2003. Os filhos receberam homenagens do prefeito e da primeira-dama, Denise Auricchio.

“Nosso pai foi um homem digno, honesto, humilde e guardião do Bairro Cerâmica. Ver o nome dele eternizado na UBS nos enche de orgulho e gratidão”, afirmou a filha Simone Gallina, emocionada.

“O Moacir tinha o sentimento mais puro, que é o amor ao próximo. No balcão da farmácia ou no plenário, exercia a função primordial do político, que é servir às pessoas”, lembrou Auricchio.

2022
Paulo Guedes para candidato a presidente em 2022. É o que disse Ascânio Seleme, do jornal ‘O Globo’: “nenhuma dúvida, o mercado já tem o seu candidato para a sucessão de Bolsonaro em 2022. Você pode dizer que é muito cedo para falar em eleição presidencial. Seria, se as circunstâncias fossem outras. Mas, diante das trapalhadas sem fim da turma encarregada, não se fala em outra coisa. O pacote de Paulo Guedes, apesar de ter alguns problemas, credencia o seu criador a postular mais adiante o principal cargo do país. As medidas apresentadas na terça (5), aliadas à reforma da Previdência transformam o ministro da Economia na persona que se buscava.” Resta saber se Guedes é bom de voto.

Inflação
Segundos dados do IBGE, divulgados na quinta (7), foi registrada a menor inflação para outubro desde 1998. O IPCA ficou em 0,10% no último mês. No acumulado do ano, a inflação é de 2,6%. Nos últimos 12 meses, o índice registra avanço de 2,54%, bem abaixo da meta de 4,25% estipulada pelo governo.

Cobrança
A Prefeitura de São Bernardo acionou a Justiça para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pague uma multa ambiental de R$ 49,4 mil por uma obra irregular ao lado de seu sítio Los Fubangos. O sítio fica localizado em uma área de preservação próxima à represa Billings. Lula é acusado de fazer uma movimentação de terra sem autorização prévia da Prefeitura.

Licitação
Em meio a campanhas de ‘nova política’, ‘nova gestão’, ‘o governo da transparência’, etc, munícipes que queiram acompanhar processos licitatórios das prefeituras do ABC não encontram tanta “transparência” assim. Devem se dirigir pessoalmente às Praças de Atendimento nos paços municipais, preencher um requerimento, a próprio punho, justificando o motivo de querer ter acesso ao processo e ainda aguardar 30 dias para entrarem em contato com o retorno da solicitação. Sem contar que os munícipes ainda precisam justificar, enfrentar a cara de indignação dos funcionários e responder a pergunta: “mas por que você quer saber?” por diversas vezes.

Gastos
O TCE (Tribunal de Contas do Estado) realizou levantamento das receitas e despesas de 644 Legislativos paulistas (menos a Capital) entre setembro de 2018 e agosto de 2019. As Câmaras de São Bernardo e São Caetano ficaram entre as dez que mais gastam do Estado. A Câmara de São Bernardo ficou em 3º lugar em despesas com funcionários e custeio, totalizando R$ 60,9 milhões, perdendo apenas para Guarulhos (R$ 97,7 milhões) e Campinas (R$ 101 milhões). São Caetano apareceu no 8º lugar com R$ 49,2 milhões de gastos.

Gastos I
O tribunal também apurou os gastos divididos pelo número de vereadores. A Câmara de São Caetano, novamente, ficou entre as que mais gastam, ocupando o 3º lugar, dentre as 644 pesquisadas, ficando atrás apenas de Campinas e Guarulhos. Cada um dos 19 vereadores da Câmara custou em um ano R$ 2.592.767,29.

Obras
São Caetano irá investir R$ 54 milhões em quatro grandes obras, por meio de uma operação de crédito junto à Caixa Econômica Federal aprovada, na última semana, pela Câmara Municipal. Os investimentos serão destinados para: a reforma completa do Teatro Paulo Machado de Carvalho (R$ 18 milhões); o complexo educacional da EMEF Eda Mantoanelli (R$ 15 milhões); na troca de 100% da iluminação pública por lâmpadas de LED (R$ 14 milhões) e na construção de parque na área do antigo clube Tamoyo (R$ 7 milhões). O primeiro a sair do papel, segundo o prefeito José Auricchio Jr. será a modernização da iluminação pública. O projeto prevê a troca das lâmpadas de vapor de sódio por LED, em mais de 12 mil pontos da cidade.

De volta
São Caetano está de volta ao Consórcio Intermunicipal do ABC. O retorno aconteceu, na terça (5), durante assembleia geral. A entidade, em crise institucional, sofria com a evasão dos prefeitos membros desde setembro de 2017. Havia deixado o Consórcio os municípios de São Caetano, Ribeirão Pires e Diadema. Atualmente, fazem parte da entidade os prefeitos de Santo André e presidente do Consórcio, Paulo Serra; de São Bernardo, Orlando Morando; e de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão. Na quinta (7), Diadema enviou à Câmara Municipal projeto autorizativo para o retorno à entidade.

De volta I
Também está de volta a ativa, o aplicativo Alerta ABC, que voltou a funcionar após período em desuso desde dezembro de 2018, por conta da não renovação de contrato com a empresa que o gerenciava. O aplicativo foi lançado em 2018, meses após a inauguração do Centro de Gerenciamento de Emergência (CGE), na sede do Consórcio ABC. A intenção era divulgar informações meteorológicas e facilitar a divulgação de alertas de fortes chuvas que poderiam causar problemas aos moradores da região. O software continha informações sobre a temperatura nas cidades consorciadas, o boletim meteorológico, ocorrências e os contatos diretos com a defesa civil.

De volta II
Vale lembrar que o aplicativo lançado teve pouca ou nenhuma utilidade pela população, posto que após seu lançamento, o único período de chuvas enfrentado pelo ABC, foram as ocorridas no começo deste ano, principalmente em março, e nesta época, o aplicativo estava fora do ar.

Trote às mulheres

Os vídeos com imagens de alunos do curso de medicina da Universidade de Franca (Unifran), durante um trote aplicado aos calouros da instituição, chocaram a todos, no início deste ano. As cenas que circularam nas redes sociais na internet, mostravam alunas ajoelhadas em uma rua, com os corpos pintados com tinta e repetindo uma espécie de juramento, que é lido em voz alta por uma universitária.
O Ministério Público instaurou um inquérito civil para investigar a suspeita de conduta machista, misógina e sexista dos alunos. O conteúdo repetido por jovens continha dizeres como: “Juro zelar por suas reputações, mesmo que eles sejam desprovidos de beleza (...). Juro solenemente nunca recusar a uma tentativa de coito de um veterano ou de uma veterana, mesmo que eles cheirem a ‘cecê’ vencido e elas a perfume barato”. Em outro trecho, um grupo de calouros também é incitado por um veterano a fazer o juramento: “(...) e prometo usar, manipular e abusar de todas as dentistas e fazer (inaudível) que tiver oportunidade, sem nunca ligar no dia seguinte”.
O requerido da ação do MP, aluno veterano do curso de Medicina da Unifran, provável autor do juramento, apresentou defesa, nos autos, com argumentos como: o fato não passou de um trote universitário, de um teatro e brincadeira; não tinha dentro de si ânimo de ódio, discriminação ou preconceito contra as calouras ali presentes, nem contra as mulheres em geral; a filmagem existente demonstra um clima de descontração e risos, até mesmo dos organizadores do evento, sem qualquer violência ou constrangimento a qualquer dos presentes; não há que se falar em dano moral coletivo, vez que embora algumas pessoas tenham-se manifestado contrárias ao texto do juramento, não restou comprovado que tais pessoas tenham sofrido com a divulgação do evento, entre outros.
Uma juíza julgou improcedente a ação, em sentença proferida, na última terça (5). Na sentença, encontram-se trechos como: “É pública e notória a prática, nas universidades, de recepção aos recém aprovados, marcada por festas e comemorações, que muitas vezes ferem o bom senso e a moral, como no caso em questão. Apesar de vulgar e imoral, o discurso do requerido não causou ofensa à alegada coletividade das mulheres, a ensejar a pretendida indenização (...); Se as mulheres que lá estavam são plenamente capazes e concordaram com a brincadeira infeliz, por que precisam de um ente estatal para falar em nome de uma "coletividade" da qual, em tese, fazem parte, mas de cujas ideias discordam? Seriam tais mulheres menos capazes que as outras?”.
Apesar de haver abuso dos advogados em ajuizar ações de temas e problemas que poderiam ser resolvidos com mediação e uma boa conversa entre as partes, mas, que são levados para serem resolvidos no Judiciário, promovendo uma saturação do sistema e uma lentidão da Justiça, chega a ser curioso, neste caso, uma juíza (mulher!) julgar improcedente a ação proposta pelo MP, ignorando todo o conteúdo misógeno, machista e sexista do juramento repetido por centenas de jovens. Indo na contramão das ações do TJ-SP, em defesa às mulheres, que, inclusive, tem criado Varas e Anexos especiais, em diversas comarcas, para julgamento de casos de violência contra as mulheres. E ainda, de centenas de casos de violência e humilhação às mulheres que lotam, diariamente, os noticiários. Então, como ima-ginar que uma filha, prima, irmã ou amiga possa proclamar um juramento destes e achar que “o discurso não causa ofensa à alegada coletividade das mulheres?”

Avalie este item
(0 votos)

Minha resposta só pode ser uma: porque não consigo deixar de escrever. É uma necessidade contra a qual não luto. Ao contrário: extraio enorme prazer dessa fome de digitar, com o pensamento muito mais rápido do que os dedos, à procura das teclas que vão deixando na tela uma pálida ideia do torvelinho contido na mente.
Minha certeza pessoal é a de que cada um escreve para si mesmo. Não para imaginários leitores. Isso se chama “vocação”, que vem de “vocare”, chamar. O chamado é inelutável. Escraviza a vontade. Ela fica inteiramente submissa ao comando da consciência, ao qual se entrega prazerosamente.
A inigualável Lygia Fagundes Telles, cujos contos mereceram caprichada edição da Companhia das Letras, gosta de falar de vocação e cita com frequência, a invocar seu amigo Drummond, que a luta das palavras, é a luta mais vã. Mas quem a vive luta sempre, mal começa a manhã. Cito com liberdade, sem recorrer à fonte. Mas a menção a Lygia vem a propósito de um livro seu : “Invenção e Memória”. O que é ficção? O que é verdade? O que é autobiografia? Ninguém sabe distinguir, depois da obra escrita. Toda ela tem o DNA do autor, embora ele a qualifique como ficcional.
Paulo Nogueira, autor de “O Amor é um lugar comum”, há pouco resenhava o livro “O Rei das Sombras”, de Javier Cercas (Aliás Literatura, 23.12.2018), cuja obra transita entre a autoficção e a biografia. E aborda exatamente esse ponto: “Permitam-me uma nota pessoal: enquanto romancista e professor de Escrita Criativa, nas minhas noites de autógrafo e aulas vira e mexe rola esta pergunta: “Mas de onde os escritores retiram suas histórias?”. A resposta canônica: 1) das pessoas reais que conhece (parentes, amigos, etc.) 2) de personalidades públicas (daí o roman a clef) 3) de uma pesquisa (como no romance histórico) 4) da sua própria autobiografia 5) da sua imaginação e fantasia. Muitas vezes, a obra é uma miscelânea de todos esse mananciais”.
Escrever é um excelente exercício para manter a saúde mental. É a melhor maneira de se acertar as contas consigo mesmo. Além de suprir as deficiências do aprendizado. Quem escreve aprende a pensar. Desenvolve o raciocínio, torna atilada a consciência, ajuda a concatenação das ideias, incentivando o uso espontâneo dessa lógica natural chamada sensatez.
Os educadores vocacionados sabem que estimular o educando a escrever é a fórmula para torná-lo curioso e ávido por conhecer outros profissionais da escrita. É o mais agradável acesso ao conhecimento e à riqueza infinita do inesgotável acervo produzido pela mente humana.


O turismo e os trens

Avalie este item
(0 votos)

Crer é preciso!

Avalie este item
(0 votos)
Avalie este item
(0 votos)

Destaques

Visite-nos no Facebook

Main Menu

Main Menu