28 May 2018
Avalie este item
(0 votos)

Eu era ainda  jovem,  em 1944, quando vi por três vezes, no Teatro Municipal de São Paulo,  a peça teatral “Vestido de Noiva” de Nelson Rodrigues.  Fascinante!  Autor consagrado: jornalista, escritor, polemista,  foi combatido por uns, os da esquerda, principalmente, como reacionário, porque nunca se dobrou aos fanáticos esquerdistas. A direção dessa versão monumental de Rodrigues, no palco, coube ao Ziembinski,  um polonês radicado no Brasil, talvez o mais expressivo diretor teatral que tenha vivido entre nós. Outras versões dessa peça, por outros diretores e outras montagens cênicas, que também vi, mas nenhuma podia comparar-se à daquele seu genial e  primeiro encenador.  
Tantas outras obras de Rodrigues para o teatro, umas meio malucas  (Álbum de família, por exemplo), outras nem tanto, foram encenadas sob outras direções, sempre com louvores e criticas nos jornais e nas TVs. Nenhuma versão igual à de Ziembinski. Afinal, nenhum autor no mundo, romancistas, teatrólogos, historiadores, em todos os tempos conseguiu unanimidade de críticos ou de leitores, até porque, segundo o próprio Rodrigues, toda unanimidade é burra.
O livro a que me refiro traz excertos da obra rodriguiana, coligidos por sua filha Sonia, despertando sempre  apreciações polêmicas o que por si só, é o reconhecimento de seus escritos permanentes, às vezes proféticos e malucos. Ele mesmo confessa: “Na minha infância profunda o pacto de morte estava em seu esplendor e três casos me marcaram profundamente, me tornaram fascinado pelo suicídio”. Outra: Eu recomendo aos jovens: “envelheçam depressa, deixem de ser jovens o mais depressa possível”. Entenda quem quiser, pois é grave demonstração de maluquice, ou de desencanto com a vida. Ele mesmo confessa ser um escritor mórbido ao ponto de considerar o ser humano um caso perdido. Para tanto teria lá suas razões.
Um filho dele, Nelsinho, tido como subversivo, foi preso e torturado. Tentando libertá-lo foi ao presidente Médici (um dos piores dos governos militares) a fim de pedir fosse ele livrado. Sabedor disso, o Nelsinho disse que aceitava se outros seus companheiros fossem também liberados. Não conseguiu, nem o pai com os contatos que tinha no governo e fora dele. Tido como reacionário, bradou: “Não sou reacionário porque sou pela liberdade. O não reacionário é o comunista que não tem liberdade nem para fazer greve”.  A paixão política, dizia, era cretinizante. “É a única paixão sem grandeza, a única capaz de imbecilizar o homem”. Isso e muito mais foi Nelson Rodrigues, admirado, louvado e satinizado. Como são os gênios. 

Avalie este item
(0 votos)

Muitas pessoas conscientes participam da missão indeclinável de participa do processo educacional. São aquelas que têm noção do dever constitucional imposto pelo constituinte de 1988 não só ao Governo, mas também à família e à sociedade. Todos são solidariamente responsáveis pela consecução eficiente desse direito universal à educação.
Um notável exemplo de assunção de responsabilidade cívica é a do Instituto Social para Motivar, Apoiar e Reconhecer Talentos, o ISMART. Desde 2005 tem parceria com a Secretaria Estadual da Educação para promover atendimento especial a alunos com alto potencial acadêmico, de maneira a alavancar seu desenvolvimento e impulsionar suas habilidades cognitivas e socioemocionais.
No ano de 2017, 245 novos bolsistas dos projetos Alicerce e Bolsa Talento foram escolhidos entre alunos do 7º e do 9º ano do ensino fundamental, concorrendo com mais de 11 mil candidatos em três Estados brasileiros: Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. 42 jovens paulistas com alto rendimento escolar foram selecionados para os projetos presenciais e 76 estudantes beneficiados com o acesso à plataforma de ensino à distância.
São aqueles jovens que acordaram para a realidade inafastável de que estudar ainda é o melhor caminho para vencer dignamente a batalha da existência. São os que têm brilho nos olhos e vontade firme de atingir a plenitude possível, sempre condicionada ao esforço próprio, que é insubstituível ingrediente para o êxito pessoal.
É muito importante salientar a parceria de escolas particulares como o Santo Américo, Objetivo, Lourenço Castanho, Bandeirantes, Poliedro e Arquidiocesano, partícipes desse projeto de ampliar as possibilidades dos alunos da Rede Pública.
Com orgulho cívico pode-se noticiar que inúmeros educandos que foram contemplados pelos programas do ISMART ingressaram este ano em curso superior em várias das melhores Universidades brasileiras. Podem ser mencionados, por exemplo, Alisson Antonio da Silva Flor, da EE Tenente Ariston de Oliveira, hoje aluno de Física na UNICAMP. Bruna Sampaio Torrano, da EE Barão de Ramalho, aluna de Ciências Biológicas na UNESP, Byron Hans Brito Okenna Egonu, da EE Senador Adolfo Gordo, ora a cursar Engenharia da Computação no Insper. Camila Alves Novais de Jesus, da EE Rodrigues Alves, entrou em Farmácia na USP.
Administração no Babson College, foi o curso escolhido por Catherine Ardila Hamada Marques, da EE Emygdio de Barros. Economia na FECAP foi a escolha de Daniel Rambaldi Marcelli, da EE Profa. Maria de Lourdes Aranha de Assis Pacheco. A aluna Daniela Resende Duque, da EE Major Guilhermino Mendes de Andrade, é hoje universitária de Engenharia Ambiental da UNESP. Direito na PUC de Minas Gerais foi a opção de Danilo Augusto de Oliveira Salomão, da EE Dom Duarte Leopoldo e Silva. Já Eloisa Maria de Souza Falcão cursa Publicidade e Propaganda no Mackenzie, oriunda da EE Loteamento das Gaivotas III. Enquanto isso, Flávia Belinelli Alves, da EE Orígenes Lessa, faz Engenharia Química na Unicamp.
A Escola Pública Paulista oferece condições para os estudantes que aproveitam as oportunidades postas à disposição de quem arrosta dificuldades, mas tem uma vontade indomável. É o caso de Gabriela Oliveira Rodrigues, aluna da EE Ministro Laudo Ferreira de Camargo, hoje acadêmica de Direito na PUC-SP e de Guilherme de Mello Ferreira, da EE Paulino Nunes Esposo, que está a cursar Engenharia Aeroespacial na UFABC. Henri Fernando Nunes Lima, da EE Dr. Kyrillos, cursa Engenharia Química na Universidade São Judas Tadeu e Isabella Santos Rodrigues Paulino, da EE Prof. Napoleão de Carvalho Freire, agora estuda Economia na Universidade Federal do ABC. Administração Pública na prestigiada FGV foi a opção de João Pedro Santana de Almeida, ex-aluno da Escola Estadual Júlio Dinis. Design de Produto no Istituto Europeodi Design é o curso escolhido por Lara Horita Windson, aluna da EE Pedro Alexandrino, enquanto Pedagogia na UNIFESP foi a opção de Mateus Cerqueira Silva, da EE Dr. Reinaldo Ribeiro da Silva.
Todos os egressos da Escola Pública Estadual Paulista merecem os parabéns do povo bandeirante e servem de exemplo para seus colegas ainda em busca de uma definição para o futuro a ser enfrentado em breve. Que surjam muitos estudantes como Victor Hugo Ribeiro de Souza, da EE Músico Wander Taffo, que conseguiu vaga em Economia na Universidade do Porto, em Portugal, Vinicius Cerqueira de Oliveira, da EE Rodrigues Alves e Vinicius Silva de Mendonça, da EE Orígenes Lessa, ambos hoje alunos de Engenharia Mecânica na FEI, Vitória Bezerra Teixeira Lucas, que cursou a EE Professor José Maria Rodrigues Leite e hoje estuda Administração Pública na UNESP e Iuri Fernando de Freitas Silva, da EE Prof. Emygdio de Barros, a cursar Economia na USP.
Quem realmente quer, consegue atingir os mais elevados objetivos. O projeto ISMART a lapidar talentos é ação meritória, a merecer reconhecimento de toda a sociedade. Destinatária daquilo que esse grupo especializado e provido de sensibilidade e ética realiza para a consolidação do sonho de Brasil que todos alimentamos.

Avalie este item
(0 votos)

A palavra robô tem origem na palavra tcheca robotnik, que significa servo. Foi usada pela primeira vez no sentido mais próximo do atual pelo escritor tcheco Karel Capek em 1923, para designar uma espécie "homem mecânico”. É curioso que boa parcela do mundo ainda guarda essa ideia de que o robô tem que se parecer com o ser humano.
Embora existam muitos robôs que realmente são humanoides ou parecidos com o homem, o conceito de robô é muito mais amplo e envolve máquinas autônomas projetadas para executar uma ou múltiplas tarefas.
O primeiro sucesso desses robôs industriais começou há décadas na indústria automobilística, onde eles até fazem a maioria das soldagens e da montagem de veículos inteiros. Mas é essencial lembrar que a tecnologia dos robôs tem evoluído de forma surpreendente desde a década de 1990.
Essas máquinas passaram a ganhar muito mais precisão de movimentos e qualidades que imitam os sentidos humanos, como o tato, a visão e, em casos especiais, o próprio olfato.
O que é mais surpreendente é que muita gente ainda tem preconceito e resistência com o uso cada dia mais amplo dos robôs na vida humana. Essas pessoas não percebem que os robôs vieram para ficar, porque fazem o trabalho mais repetitivo, automático e desumano, que era feito por operários nas fábricas do passado – tão bem caracterizadas por Charlie Chaplin no filme “Tempos Modernos”.
Com a digitalização mais avançada da robótica e o uso da inteligência artificial, passamos a contar com o incrível trabalho dos robôs virtuais, que são os “bots”, que poderiam ser considerados netos e bisnetos dos robôs mecânicos. Esses bots fazem coisas incríveis. As grandes redes sociais do mundo – como Google, YouTube e Facebook, utilizam intensamente os bots.  
O leitor talvez já ouviu dizer que são milhares de robôs virtuais – como os bots –  ou da indexação que o Google faz de palavras, nomes, expressões, verbetes, acontecimentos, datas, fatos científicos e históricos, já armazenados em muitos trilhões de páginas virtuais que utilizamos todos os dias. Uma das propostas do Google, desde sua fundação, é simplesmente indexar todo o conhecimento humano.

A revolução dos chatbots
Precisamos dar uma palavra ainda sobre os Chatbots, palavra derivada de ROBOT, forma inglesa de robô. Em linguagem bem simples, ao pé da letra, Chatbot quer dizer "robô que bate papo ou que conversa” com o usuário. Mas existem ainda outras formas de bots que podem fazer coisas boas e más, como os web bots, spybots e bots de captura.
Segundo Renato Moreira – Executivo de Contas da DBACorp, podemos definir chatbot é um programa de computador que tem a capacidade de simular uma conversa com um ser humano, com regras e fluxo de respostas preestabelecidas, podendo gerenciar uma interação a cada inserção de dados (Input) ou até mesmo usando inteligência artificial, podendo adquirir conhecimento com o tempo.

19 de Maio de 2018

Sem perspectiva (1)
"Os eleitores estão sem perspectiva de melhora", segundo Macia Cavallari, diretora executiva do Ibope Inteligência, que detectou, há um ano, um sentimento de desesperança entre o eleitorado, que não vê uma "luz no fim do túnel". Marcia Cavallari ficou recentemente sensibilizada ao acompanhar os depoimentos de entrevistados em uma pesquisa qualitativa promovida por seu instituto. Reunidos em volta de uma mesa e convidados a falar sobre suas expectativas em relação ao futuro, grupos de eleitores de perfis diversos só manifestaram desesperança e angústia. "Foi uma tristeza" disse ela em entrevista ao Estado.

Sem perspectiva (2)
Segundo Marcia, os levantamentos do Ibope mostram um eleitorado sem perspectiva de um futuro melhor. Existe uma abertura para candidato que representem o "novo", mas, ao mesmo tempo, um temor de uma pessoa sem muita bagagem política possa piorar a situação do País.

Tríplex no Guarujá
Empresário paga R$ 2,2 milhões por tríplex no Guarujá. Lance no final do leilão surpreende e arremata imóvel pivô da condenação de Lula na Lava Jato. O empresário Fernando Costa Gontijo, de 64 anos, é o novo dono de um dos imóveis mais comentados do País: o tríplex 164-A, no condomínio Solaris, no Guarujá (SP). O apartamento foi o pivô da condenação do ex-presidente Luiz Inácio da Silva, na Lava Jato. Ele foi arrematado pelo valor mínimo estipulado no edital, de R$ 2,2 milhões. Gontijo comentou sobre a venda: “Sou do mercado imobiliário, comprei pelo investimento. O tríplex tem um espaço bastante expressivo, mais de 200 m²”.

Novo Serviço
Santo André abrirá em dois meses o CER (Centro Especializado em Reabilitação), o equipamento será referência em todo ABC para tratamentos de recuperação física, mental.  O CER está localizado na rua Vitória, bairro Campestre. O equipamento, que era para funcionar em fevereiro de 2016 de acordo com o prazo inicial, terá capacidade para fazer 1,2 mil atendimentos por mês de pacientes que precisam fazer tratamento para recuperação física, intelectual, auditiva e visual - por isso, é chamada de porte 4, única do ABC neste perfil.   
                                                    
Pancadões
Em 12 meses, a Prefeitura de São Bernardo interditou, em 12 meses, 102 estabelecimentos em ações contra pancadões. A chamada Operação Noite Tranquila é realizada desde maio de 2017 pela GCM (Guarda Civil Municipal). De acordo com balanço divulgado, foram 11.983 abordagens a indivíduos suspeitos, 1.861 intervenções e ações de fiscalização em bares, lanchonetes, estacionamentos e galpões, 89 locais lacrados por ausência de alvará de autorização. A operação é realizada em locais definidos previamente pelo comando da GCM.

Paralisação
Os oito mil funcionários da Mercedes-Benz, em São Bernardo, continuam em paralisação. Na semana passada, os trabalhadores iniciaram mobilizações internas com paradas e passeatas dentro da fábrica da empresa. Em dezembro do ano passado, os trabalhadores aprovaram a renovação de três acordos coletivos com validade até 30 de abril deste ano, data-base na montadora, quando estes seriam integrados à discussão geral do acordo. Na ocasião, 266 trabalhadores foram contratados, sendo 136 ex-aprendizes incluindo 31 pessoas com deficiências. Os outros 130 foram contatados por tempo determinado (12 meses) em fevereiro.

Multa
A Universidade Metodista, de São Bernardo, foi multada em R$ 638 mil. A decisão beneficia 11 professores que foram dispensados em massa e que tiveram reconhecida a nulidade da dispensa e determinada a reintegração, sob pena de multa em caso de descumprimento. Segundo o Sindicato dos Professores do ABC, embora reintegrados, os profissionais tiveram carga horária reduzida e redução de salário.

Patrimônio
O Paço Municipal de Santo André foi tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico da cidade (Comdephaapasa). O local foi construído entre os anos de 1960 e 1970 pelos arquitetos Rino Levi e Roberto Burle Max. O tombamento garante a preservação das partes internas e externas das edificações, que devem manter suas características originais.

Festa das Nações
São Caetano promove, nos dias 18,19, 20, 26 e 27 de maio, a 1ª Festa das Nações Esportivas. O evento terá shows de Capital Inicial, Raça Negra, Naiara Azevedo e Marília Cecília e Rodolfo. Haverá barracas com comidas, churrasco e bebida. A festa acontece na Garagem Municipal, no bairro Olímpico.

Trechos com mortes
O ABC tem 10 trechos com mais mortes no trânsito. As regiões cortadas por rodovias e corredores de ônibus são os mais perigosos, concentrando 16% das mortes nos  últimos dois anos. Esses locais possuem, insegurança para quem circula. Os pontos com mais acidentes são, em Santo André, na Av. Antonio Cardoso, rua Oratório e região. Nos trechos cortados por corredores de ônibus e trólebus. O no terminal de ônibus da avenida Queirós dos Santos e outras mais.

Os radares são basicamente dispositivos usados para detectar a localização de objetos. A palavra “Radar” vem do inglês Radio Detection And Ranging (RADAR). São usados em diversas ocasiões e no trânsito auxiliam no controle da velocidade dos veículos nas ruas. Existem dois tipos: fixos e móveis. O mais utilizado nas cidades é o radar fixo, composto por três sensores ligados a um computador e a uma câmera, geralmente localizados em um poste na lateral da pista. Além dos habituais radares fixos, quem circula pelas ruas do ABC deve dirigir atento pois, quando menos se espera, está instalado um novo radar móvel pronto para multá-lo. Esta realidade “mudou” um pouco em Santo André quando o prefeito Paulo Serra (PSDB), em outubro de 2017, anunciou o fim das “pegadinhas” com os radares móveis. Na ocasião, seis equipamentos que funcionavam no esquema de rodízio em 171 pontos da cidade deixaram de ser usados. Mas, o fim dos radares móveis não fez com que o motorista se despreocupasse em ser multado. O número de fiscais nas ruas prontos para atuar infrações indevidas aumentou. Em um sábado, por volta da hora do almoço, uma senhora estacionou seu veículo no passeio na Avenida Portugal, Santo André, apenas por alguns minutos para que seu marido, com dificuldade de locomoção, saísse do carro. Mesmo com o pisca alerta do carro ligado e vendo a fragilidade da situação, um fiscal não perdoou. A motorista nem se quer percebeu a presença do fiscal e, duas semanas depois, recebeu a multa com a descrição da infração “parar no passeio”. Os fiscais rodam pela cidade, gastam gasolina dos carros públicos e nem se quer acionam um “apito” para alertar a infração. Nem os idosos com dificuldade de locomoção são perdoados. Então, as pegadinhas continuam.

A delegação do Consórcio Intermunicipal do ABC analisou, na terça (16), possibilidades de cooperação técnica com a cidade de Turim, na Itália, nas áreas de tecnologia e mobilidade urbana. O grupo, liderado pelo vice-presidente do Consórcio e prefeito de Santo André, Paulo Serra, está na cidade italiana para participar da segunda etapa do intercâmbio financiado pelo Programa Internacional de Cooperação Urbana (IUC), iniciativa da União Europeia.

“Fomos recepcionados pela diretora do grupo e presidente da Associação italiana de Tecnologia de Transporte e de Segurança, Rossela Panero, que nos mostrou a Central de Controle de Tráfego do município de Turim. Em seguida, nos dirigimos ao Palazzo di Città para o encontro com as secretárias de Inovação Tecnológica e Cidades Inteligentes, e de Mobilidade Urbana, da cidade italiana”, explicou o prefeito Paulo Serra.

O vice-presidente do Consórcio ressaltou que o objetivo da cooperação é a busca pelas melhores práticas mundiais que possam ser aplicadas no desenvolvimento do ABC. “O trabalho não para”, afirmou.

A delegação do Consórcio é composta também por servidores das prefeituras consorciadas e empresários da região. Na primeira etapa da cooperação, uma delegação de Turim esteve no ABC no final de fevereiro para iniciar o plano de parceria entre italianos e brasileiros.


Destaques

Visite-nos no Facebook

Main Menu

Main Menu