17 Nov 2019

A entronização do novo imperador Naruhito, do Japão e o início da Era Reiwa foram marcados por cerimônia, seguida de jantar, no Círculo Militar, em São Paulo. Cerca de 850 convidados, dentre eles o Cônsul Geral do Japão, autoridades civis, militares e membros da colônia japonesa estiveram presentes. Santo André foi representada por Hanji Maki e Isaac Yassuo Miyaoka.

A colônia italiana de São Bernardo agitou o salão nobre da Associação dos Funcionários Públicos, na sexta (25) de outubro, durante jantar para arrecadar fundos para a reforma da nova sede da Associação dos Vinicultores Artesanais (U.V.A). Com mesa farta, muito vinho e muitos italianos juntos, o zum zum zum rolou solto até as tantas.  

Os melhores skatistas do mundo estarão reunidos na Praça Duó, no Rio de Janeiero, a partir do dia 11 de novembro para o Oi STU Open, maior evento de skate e cultura urbana da América Latina. Atletas das modalidades Street e Park estarão até o dia 17 competindo por importantes pontos para a classificação olímpica. Além de muito skate, o evento terá também shows, exposições de arte, oficinas, comida de rua e moda.

 

“Em sua terceira edição, o STU Open se consolida como um dos principais eventos de lifestyle urbano do mundo, unindo o melhor do alto rendimento mundial do skate com a essência das ruas. Fechar o calendário de 2019 e abrir a segunda janela olímpica nos honra muito, e é um presente para o Rio de Janeiro e para o skate brasileiro. Somos muito gratos à World Skate, à CBSk, ao poder público estadual e municipal do Rio de Janeiro, com destaque para a Secretaria de Estado de Esportes, Lazer e Juventude, todos os demais parceiros e, principalmente, a Oi, por continuar acreditando no potencial de conexão e transformação que tem o skate e a cultura urbana”, diz Diogo Castelão, sócio-diretor da Rio de Negócios. 

 

Na briga olímpica, a disputa de Park do Oi STU Open valerá como uma etapa do Pro Tour, distribuindo valiosos 60 mil pontos para o primeiro colocado. Já no Street, a etapa somará 40 mil pontos para o campeão, valendo como um Five Stars. Serão cerca de 300 skatistas, entre homens e mulheres (nas duas modalidades) competindo na Praça Duó. Promessa de belas disputas e uma prévia de Tóquio 2020.

No Street feminino, as brasileiras vêm forte para competição. No ranking olímpico, a líder é a paulista Pamela Rosa, atual campeã mundial da modalidade, seguida de Rayssa Leal, na segunda posição. Letícia Bufoni ocupa o quarto lugar, atrás da japonesa Aori Nishimura. 

 

“Estou muito ansiosa para essa etapa do Oi STU Open. Venho de um ano incrível, graças a Deus, muito focada e determinada no que faço. Estou preparada para o campeonato, que, com certeza, vai ser animal! A energia brasileira e torcida não tem preço. Tenho certeza que vai ser de alto nível de skate como sempre foi”,  afirma Pamela Rosa.

 

Já entre os homens, o brasileiro Kelvin Hoefler aparece em quarto lugar. A primeira colocação está com o americano Nyjah Huston, seguido do japonês Yuto Horigome, e o português Gustavo Ribeiro.  

 

No Park, as japonesas lideram o ranking com Misugu Okamoto, no primeiro lugar, e Sakura Yosozumi no segundo. A britânica Sky Brown completa o terceiro lugar. Nossas brasileiras ficam no sétimo lugar com Dora Varella, e oitavo lugar com Isadora Pacheco. No Park masculino, o líder é o americano Heimana Reynolds, seguido dos brasileiros Luiz Francisco (segundo lugar) e Pedro Barros, em terceiro.

 

"É muito bom ter mais um campeonato com nível mundial aqui no Brasil em 2019. Ajuda muito na cena do skate e fortalece a nossa essência aqui no país. Eu espero que seja mais uma oportunidade para gente andar muito de skate, rever os amigos e inspirar pessoas. A pista da Praça Duó já é conhecida, tem um bom nível, dá para fazer uma boa linha e buscar um bom resultado. Provavelmente vai estar bem quente durante o campeonato, mas estar ali de frente para a praia é muito style", completa Pedro Barros.

 

Os 15 melhores atletas do Ranking Olímpico da World Skate (OWSR) serão automaticamente qualificados para o Oi STU Open, sem precisar disputar as eliminatórias. Os dois melhores resultados de cada skatista na primeira janela olímpica (de janeiro a setembro de 2019) e os cinco melhores resultados da segunda janela (de outubro de 2019 a maio de 2020) serão considerados na classificação para os Jogos. O Oi STU Open abre a segunda janela da corrida olímpica para Tóquio 2020. 

 

"O Oi STU Open fecha um ano importante com um total de três competições internacionais da corrida olímpica em solo brasileiro. A CBSk se sente muito honrada por poder contribuir com esse momento do skate brasileiro reforçando sua posição de liderança e vanguarda no cenário do skate mundial”, destaca Eduardo Musa, presidente da CBSk, entidade que realiza o evento em parceria com a Rio de Negócios.

“Estamos orgulhosos de ter o primeiro evento da segunda temporada para a classificação olímpica no Brasil, um país que pode contar com os seus milhões de skatistas e alguns dos melhores profissionais do mundo! O Oi STU Open será um prelúdio de uma série incrível de etapas ao redor do mundo. Nós gostaríamos de agradecer ao Skate Total Urbe e a CBSk pelos seus esforços extraordinários para assegurar um evento sensacional! E, claro, à Cidade do Rio de Janeiro”, diz Sabatino Aracu, Presidente da World Skate.

 

“O ano de 2019 foi maravilhoso para o skate brasileiro. Ao longo do ano levamos esporte e cultura urbana a novos points, como Lauro de Freitas, na Bahia, e Belo Horizonte, em Minas Gerais. Além disso, sediamos, em São Paulo, o primeiro campeonato Mundial de Park dentro de uma janela olímpica e agora fechamos o ano com o STU Open, cujos pontos são valiosíssimos para a corrida olímpica em ambas as modalidades. Com a proximidade dos Jogos de Tóquio, esperamos que a etapa no Rio tenha um nível elevadíssimo. Temos um sentimento de dever cumprido, promovendo e fortalecendo a prática no skate em todo o país”, afirma Bruno Cremona, gerente de Patrocínios e Eventos da Oi. 

 

O governador João Doria confirmou que a primeira fase do Projeto CITI (Centro Internacional de Tecnologia e Inovação) estará em andamento nos primeiros seis meses de 2020. O anúncio foi feito após reunião de trabalho em parceria com o Fórum Econômico Mundial (WEF) e o Ministério da Economia, na quinta (7), no Palácio dos Bandeirantes.

“No primeiro semestre de 2020, nós já teremos o CITI funcionando na sua primeira etapa, onde hoje está o IPT [Instituto de Pesquisas Tecnológicas], uma instituição de altíssimo valor do Governo do Estado de São Paulo”, declarou o Governador. A Secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, participou da nova rodada de reuniões ao lado de Doria.

O grupo discutiu avanços na primeira fase do CITI no âmbito do IPT Open Experience, do Centro para a Quarta Revolução Industrial e de novas políticas para ajudar pequenas e médias empresas a acompanhar o ritmo das mudanças tecnológicas no mundo.

Também foi anunciada a instalação da Biovet Vaxxinova, empresa de saúde animal que será a primeira a se fixar no campus do IPT com seu próprio centro de inovação. Também foram anunciadas as instalações de polos de pesquisa em parceria com o Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife e um Centro de Inovação no Instituto Butantan.

“Precisamos de tecnologia para fazer gestão pública baseada em dados e evidências, e o que estamos fazendo em São Paulo nesta gestão está dentro desse guarda-chuva que é o CITI. Nossa meta é justamente reunir tudo o que há de melhor em nosso país em ciência, tecnologia e inovação para criar o Vale do Silício brasileiro”, disse Patricia Ellen.

O Centro da Quarta Revolução Industrial terá sede no IPT, com o objetivo de desenvolver regulações e políticas públicas de tecnologias emergentes voltadas a indústria 4.0.

A criação do Centro da Quarta Revolução Industrial foi feito em agosto. A inauguração deve ocorrer no encontro anual do Fórum Econômico Mundial, em Davos, em janeiro de 2020. A abertura do espaço na capital paulista será realizada durante o Fórum Econômico Mundial para a América Latina, em maio de 2020. A Bracell foi a primeira patrocinadora do projeto, e a farmacêutica AstraZeneca está em fase final de negociação.

Como parte da rede global do Fórum Econômico Mundial, as equipes trocarão conhecimento e acelerarão o processo global de adoção de tecnologia.

Inicialmente, o Centro da Quarta Revolução Industrial no Brasil atuará com políticas de dados, Indústria 4.0, Internet das Coisas, cidades inteligentes, robótica, Inteligência artificial e blockchain (tipo de “livro contábil” para registrar transações de criptomoedas).

O programa piloto oferecerá diagnóstico de maturidade tecnológica, identificação de soluções simples e acessíveis para a Internet das Coisas, consultoria financeira e de gestão de pessoas e suporte financeiro realizado por entidades parceiras.

Centro e trinta pequenas e médias empresas deverão participar do projeto em sua fase inicial. Até 2021, a expectativa do programa é atender 2.000 empresas.

 

Sobre o IPT Open Experience

O IPT Open Experience é destinado a empresas de todos os portes e quaisquer setores econômicos que demandem soluções de alta intensidade tecnológica. A meta do programa é gerar novos produtos e soluções inovadoras por meio da conexão entre todos os elos da jornada da inovação em um único local.

O IPT Open Experience é a primeira fase do projeto CITI, que visa criar o Vale do Silício Brasileiro no Estado de São Paulo.

A Braskem, maior petroquímica das Américas e líder mundial na produção de biopolímeros, selecionou um projeto com foco em segurança dos trabalhadores, desenvolvido por um grupo de alunos do terceiro ano do curso de Engenharia Mecatrônica da Faculdade de Tecnologia FIAP, para avaliação da viabilidade técnica e econômica para implementação em suas unidades industriais de São Paulo.

A seleção é resultado de um desafio proposto pela Braskem aos alunos da FIAP em abril deste ano com o objetivo de aproximar os jovens do mercado de trabalho e que está alinhado com a busca contínua da companhia por inovação. Os estudantes tiveram a oportunidade de participar de um processo de imersão ao universo petroquímico, incluindo capacitações e mentorias promovidas por profissionais da Braskem durante sete meses.

A iniciativa escolhida foi desenvolvida por um grupo formado por quatro estudantes. Depois de uma visita à uma das unidades industriais da Braskem, os universitários criaram um projeto para implantação de chips de identificação nos crachás dos funcionários. Assim, em alguma eventual emergência, a equipe de segurança da empresa localizará mais rapidamente o trabalhador.

"O desafio trouxe a oportunidade de unirmos a teoria com a prática e nos ajudou a pensar fora do nosso ambiente costumeiro, que é a sala de aula. Foi muito legal poder contribuir com ideias para uma empresa que preza tanto pela segurança", comemora Guilherme Sozigan Garrutte. O demo day para apresentação dos projetos foi realizado durante o Festival de Tecnologia anual da FIAP, no último sábado, 2 de novembro.

"Inovação e tecnologia fazem parte da nossa estratégia de negócio e as parcerias que a Braskem mantém com diversas instituições de ensino nos ajudam a inovar e a encontrar soluções que tragam melhorias para o nosso dia a dia. Ao mesmo tempo, possibilitam gerar oportunidades para quem está ingressando no mercado de trabalho", comenta Paulo Omarini, gerente global de Soluções, Arquitetura e Inovação de Tecnologia da Informação da Braskem.

Como reconhecimento, o grupo vencedor recebeu R$ 5 mil reais. O projeto concorreu com outras seis ideias desenvolvidas durante o desafio proposto pela Braskem. Os demais alunos apresentaram iniciativas com foco em transporte, geração de energia, manutenção preditiva, blockchain e segurança.

Para o coordenador acadêmico da FIAP, John Paul Lima, o desafio lançado pela Braskem vai ao encontro dos propósitos da formação oferecida pela instituição de ensino. "Nossos alunos puderam realizar uma imersão nas unidades industriais, colhendo informações e pontos de melhoria relacionados à automação e a adequação com a indústria 4.0, não só propondo projetos, como prototipando soluções. A parceria traz benefícios para ambas as partes, pois os estudantes aprendem na prática e a empresa se renova com um olhar externo, inovador e criativo", finaliza.

Em uma época de dúvidas e preocupações cada vez maiores com o futuro, em que reviravoltas econômicas e crises aparecem constantemente, a educação financeira e o planejamento econômico tornaram-se essenciais para a organização de uma vida mais tranquila e segura.

Diante dessa realidade, o Colégio Singular promoverá a palestra Educação financeira para jovens, nesta quarta (13) às 19h30, na unidade Santo André (rua Álvares de Azevedo, 222 – Centro).

A atividade será ministrada pelo professor de Matemática  Enzo Marcon Takara e contará com a participação de Danilo Karassawa, consultor da XP Investimentos. Entre os tópicos abordados estão investimentos, a garantia de um futuro econômico estável, economia básica, investimentos mais populares: Tesouro Direto, Fundos Imobiliários e Operações no mercado à vista com o Home Broker.

A palestra é aberta para a comunidade, as inscrições devem ser realizadas gratuitamente no link www.singular.com.br/palestra.


Destaques

Visite-nos no Facebook

Main Menu

Main Menu