04 Jul 2020

Na madrugada de sexta (26), militares do 2° Batalhão de Polícia do Exército Brasileiro realizaram um trabalho de descontaminação do Terminal São Bernardo, que faz parte do Corredor Metropolitano ABD, gerenciado pela EMTU e operado pela Concessionária Metra.

A iniciativa é um reforço para a proteção da população nessa época de pandemia, com medidas sanitárias que buscam ajudar na prevenção do contágio do novo coronavírus. As ações ocorrem em áreas de grande circulação de pessoas, como terminais de ônibus, que representam ambientes de alto risco.

A limpeza foi feita durante a madrugada por ser um horário de baixo fluxo de passageiros, tornando mais eficaz a ação dos produtos aplicados. A solução à base de cloro é aplicada nas áreas de maior movimento de pessoas e em superfícies que são tocadas com frequência.

Outros terminais

Para reforçar o combate e prevenção à Covid-19, outros terminais metropolitanos gerenciados pela EMTU/SP passaram pelo mesmo processo de descontaminação. Em abril equipes do Exército Brasileiro estiveram nos Terminais Metropolitanos Santo André Oeste, Diadema e Piraporinha (Diadema), além da Estação Anhanguera, na Região Metropolitana de Campinas.

No Brasil, segundo dados do último Censo Escolar da Educação Básica, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), em 2018, foram registradas 48,5 milhões de matrículas nas 181,9 mil escolas de educação básica brasileiras. A maior parte dos estudantes está na rede pública, cerca de 39,5 milhões, 81,44% do total.
Desde o início da pandemia do novo coronavírus, mais de 100 países fecharam suas escolas para tentar conter a propagação do coronavírus. De acordo com a Unesco (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura), cerca de 800 milhões de crianças e adolescentes foram afetadas pelo isolamento. Isso significa a metade dos estudantes do mundo.
Com o avanço dos casos do novo coronavírus, foi adotada a modalidade ensino online, à distância, posto que as escolas foram fechadas e as aulas físicas foram suspensas. Segundo estimativas da Unicef, 35 milhões de jovens no País estão fora das salas de aula em razão da Covid-19.
As escolas foram “reconstruídas” para manter a motivação das crianças, pois as tradicionais 8 horas de ensino diários tiveram que ser adaptadas, afinal, qual criança consegue ficar em frente à tela de um computador ou tablet, por 8 horas, todos os dias? Educadores, professores, usaram e abusaram da criatividade para passar conteúdos pela tela de maneira atrativa e ainda tentar seguir os cronogramas de ensino. O resultado disto tudo é incerto. Ninguém sabe quais serão os reais prejuízos para essa geração de alunos brasileiros que tiveram o ensino presencial suspenso por mais de 90 dias.
Isso, sem mencionar as crianças que não tiveram como acompanhar as aulas online, pois de acordo com dados da pesquisa TIC Kids Online do Cetic.br/NIC.br, divulgados pela Unicef, 4,8 milhões de estudantes vivem em famílias que não têm acesso à internet. Para esses jovens, que representam quase 14% do total dos estudantes, a pandemia significou a interrupção completa dos estudos.
Além disso, com a retomada de alguns setores da economia, muitas mães já retornaram ao trabalho e enfrentam o problema conciliar trabalho com atenção às crianças e coordenar as aulas online dos seus filhos.
No Estado de São Paulo, onde há, só na rede pública há mais de 13 milhões de alunos, englobando desde creches às unidades municipais, estaduais, profissionalizantes e universidades públicas, o governador João Doria anunciou, na quarta (24), que o retorno às aulas presenciais de todo o ensino público está previsto para o dia 8 de setembro. A retomada das aulas presenciais será faseada, seguindo normas do Plano SP, protocolos sanitários, e inspirada em experiências bem sucedidas de países como Dinamarca, França e Holanda.
Porém, se antes da pandemia, 1,7 milhão de crianças e adolescentes estavam fora das escolas, segundo dados do Suplemento de Educação da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad). Após, as projeções são ainda mais desanimadoras. Grande parcela dos estudantes não voltará ao ensino, não só pelo aumento da dificuldade em acompanhar as aulas ou pela perda do estímulo, mas, principalmente, pela perda de renda das famílias e aumento do desemprego. Muitas crianças correm o risco de irem para o trabalho infantil

27 de Junho de 2020

Pedido
Ao todo, 48 pedidos de impeachment já foram apresentados, nos últimos meses, contra o presidente Jair Bolsonaro, à espera de um despacho do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM). Desse total, 24 se referem à participação do presidente em manifestações antidemocráticas, ou à defesa feita por ele do golpe de 1964. Até o momento, o pedido mais vigoroso foi apresentado no fim de maio por partidos de oposição (PT, PC do B, PSOL, PCB, PCO, PSTU e UP, além de representantes de mais de 400 entidades e movimentos sociais críticos a Bolsonaro.

Pedido I
Apesar dos pedidos, ao que tudo indica, o futuro do mandato de Bolsonaro só deverá passar pela avaliação dos presidentes da Câmara e do Senado, em 2021. Maia já tem afirmado que não pretende aceitar os pedidos de impeachment. E, mesmo se mudar de ideia, não é nada provável que um evento processo seja concluído ainda neste ano. Porém, em fevereiro do próximo ano, haverá eleições, em ambas as Casas, e com isso, a probabilidade do processo ganhar força se tornará ainda menor.

Online
A filha mais velha do ex-assessor do hoje senador Flávio Bolsonaro (Republicanos), Nathália Melo de Queiroz, não é alvo da operação que prendeu seu pai, Fabrício Queiroz, porém também foi investigada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. O que chamou a atenção do MP para o fato de ela ser funcionária “fantasma” foi suas postagens nas redes sociais. Nathália é personal trainer de celebridades como Bruna Marquezine e Bruno Gagliasso e publicava fotos com seus clientes famosos no Rio de Janeiro, enquanto seu nome estava registrado como assessora do então deputado Jair Bolsonaro, em Brasília.

Canais
Influenciadores digitais bolsonaristas, canais de YouTube que apoiam o presidente Jair Bolsonaro somam mais de 5 milhões de inscritos e mais de 640 milhões de visualizações de seus vídeos. Entre eles, Alberto Silva, do ‘Giro de Notícia’, tem o maior número de inscritos, com 1,2 milhão de usuários. Os números ainda não os fazem figurar entre os 10 canais mais acessados da plataforma, posto ainda ocupado por músicos, comediantes e programas infantis, mas, possuem mais acessos que os canais dos três maiores jornais do País, que têm juntos 1,4 milhão de inscritos.  

Grupos
Segundo o professor da Universidade de Virgínia, nos Estados Unidos, David Nemer, em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo, os grupos pró-Bolsonaro não surgiram com a eleição do presidente, já existiam antes, eram grupos conservadores, que se uniram em torno de Bolsonaro pelo antipetismo. “Bolsonaro não era uma unanimidade entre eles, havia dúvidas (...) se você olhar para o bolsonarismo, tem pilares antagônicos. Há o liberal, representado pelo ministro Paulo Guedes, e o militar, que é nacionalista e os evangélicos. São ideias que se confrontam”, analisou.

Cobrança
O deputado estadual Thiago Auricchio (PL) solicitou a convocação virtual do presidente da ENEL na Comissão de Defesa dos Direitos do Consumidor. O motivo é o aumento expressivo das reclamações referente ao aumento dos valores cobrados nas contas de luz nos últimos três meses, que chegaram até mesmo a triplicar. A ENEL deverá esclarecer se houve falha pontual de leitura ou foi adotada uma nova forma de cobrança. Thiago ainda solicitou esclarecimentos sobre a falha no seu portal eletrônico da empresa, que expôs dados pessoais e as contas de energia de consumidores de 24 cidades da Região Metropolitana.
 
Passos
São Caetano foi a primeira cidade do ABC a realizar a testagem em massa de Covid-19 para comerciantes, seguido de outros setores da sociedade, como grávidas e idosos. Com isso, figurou reportagens na Rede Globo sobre o tema. Então, outro município do ABC, não quis ficar para trás. Em live realizada, nessa semana, um prefeito chegou a afirmar que sua cidade já realiza mais testes que a Noruega.

Sem
A construção de uma unidade do supermercado do Grupo Bem Barato, em uma das áreas que pertenciam à Fiação e Tecelagem Tognato, no Centro de São Bernardo, não agradou nem os moradores das imediações, nem a muitos formadores de opinião do município. O grupo já deu início às obras de instalação da unidade, em um espaço de 9.984 m², entre a Rua Doutor Marcel Preotesco e a Av. Pereira Barreto. Com isso, dezenas de árvores, em sua maioria eucaliptos, vieram ao chão.

Sem I
O terreno foi transferido para a Prefeitura, há cerca de 20 anos atrás, como forma de pagamento de dívidas tributárias da Tognato com a administração municipal. Na ocasião, a família fez exigência que uma das faixas do terreno de 250 m² para que fosse mantida uma área verde. A promessa ficou para o Parque das Bicicletas, instalado em faixa de 20m², porém, não há nenhuma árvore no parque, apenas concreto. E, com, a instalação da nova unidade, a região central perderá um de suas últimas áreas verdes.

Sem II
Vale lembrar que já foi esclarecido, por diversos biólogos, que nenhuma compensação ambiental, com o plantio de mudas de árvores, em locais afastados da população, substitui as árvores adultas arrancadas em outro local. Enquanto as mudas plantadas não adquirirem tamanho grande o suficiente para reequilibrar o impacto, a região sofrerá com desequilíbrio térmico e ambiental.

Avalie este item
(0 votos)

Georges Bernanos foi um pensador francês muito ligado ao Brasil. Aqui ele passou sete anos, de 1938 a 1945, escrevendo e deixando um legado que permanece atual. Como o seu livro “A França contra os robôs”, escrito exatamente ao final da II Grande Guerra, quando não se falava em Quarta Revolução Industrial, nem a robótica era o assunto do momento.
Ele já escrevera no livro “Os grandes cemitérios sob a lua”, que a cólera dos imbecis ameaçava o mundo. E continuava no livro dos robôs, que ela persistia a devastar a terra: “É mil vezes mais temível que a dos hunos ou vândalos. Os hunos e os vândalos queriam ouro, vinho, mulheres e grandes cavalgadas sob as estrelas. Já os imbecis não sabem o que querem”.
Ou será que sabem? O problema é que “estar informado sobre tudo e condenado, assim, a não compreender nada, esse é o destino dos imbecis”. Imbecis que proliferam e que contaminam outros imbecis. Mais perigosa do que a Covid19 é a imbecilidade. Para Bernanos, “a mais temível das máquinas é a máquina de entupir as cabeças de lorotas, a máquina de liquidificar cérebros”. O instrumental especializado em fanatizar. Hábil em tornar as pessoas cegas, incapazes de enxergar o óbvio e de recobrarem a razão.
Como não enxergar o que se faz com a natureza, dizimada pela inclemência ignorante dos homens? Como deixar de perceber a edificação de muralhas que separam seres humanos, empurrando para a legião dos excluídos, dos miseráveis e dos invisíveis vastas camadas da população?
Como levar a vida na rotina costumeira, enquanto se assiste ao descaso a que se relega a educação, única chave para abrir o Brasil para um futuro menos indigno? É natural que criaturas da mesma espécie vivam sem saneamento básico, sem moradia, sem condições de subsistência, enquanto se destinam bilhões a Fundo Partidário e a Fundo Eleitoral?
Será que é civilizado investir em armamentos, recomendar à população que tenha armas e acumule munição, enquanto grande parte dela não tem o que comer?
Outras pandemias virão e atormentarão a Humanidade. Para elas há vacina. Mas para amainar a cólera dos imbecis que, além de tudo, são violentos, agressivos, intolerantes e ruidosos, talvez nunca se descubra remédio.

Avalie este item
(0 votos)

O Porto Digital, o Ministério Público Federal (MPF), a Procuradoria-Geral da República (PGR) e o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) fecharam um acordo de cooperação técnica em ciência, tecnologia e inovação para prevenção e controle da pandemia da covid-19 e de suas consequências sociais e econômicas. O documento foi assinado pelo presidente do parque tecnológico pernambucano, Pierre Lucena, e pelo procurador-geral da República e presidente do CNMP, Augusto Aras.
O acordo, assinado na segunda-feira, 15 permitirá a instalação de uma rede e de um centro de ciência, tecnologia e inovação para o enfrentamento da pandemia. O objetivo é auxiliar as autoridades públicas, especialmente as do Sistema Único de Saúde (SUS) e do Sistema Nacional de Vigilância em Saúde, e apoiar os demais segmentos da sociedade afetados pela pandemia.
O lançamento oficial da rede e do centro ocorrerá nas próximas semanas, com a mobilização de entidades do ecossistema de inovação de Pernambuco. Na sequência, haverá a articulação com as diversas atividades, iniciativas e projetos, em curso no Gabinete Integrado de Acompanhamento da Epidemia Covid-19 (Giac) do MPF, no CNMP e nos ramos e órgãos do Ministério Público brasileiro.
Com a cooperação, a rede intersetorial e o centro auxiliarão o Giac e o CNMP na integração com os outros ecossistemas do país, com atuação nacional e coordenada de atividades, iniciativas e projetos em curso com o Ministério Público em todos estados.
“O histórico de colaboração do parque é mais uma prova de que a colaboração entre diferentes instituições rendem bons resultados não só para entendermos o problema atual, mas nos prepararmos para o futuro com conhecimento e capacidade técnica”, apontou Pierre Lucena. Ele lembrou ainda que “em 2015, colaboramos com o Ministério Público durante a crise de zika, onde construímos em conjunto uma estratégia científico-tecnológica para enfrentar o avanço da epidemia. Mais recentemente, o Porto Digital auxiliou o Ministério Público de Pernambuco a selecionar projetos de todo o país para enfrentamento da pandemia. Esse novo acordo é um resgate da importância de estarmos preparados, contribuindo com o sistema de saúde do País”.
A cooperação técnica, que não implica transferência de recursos financeiros, tem vigência de 12 meses, podendo ser prorrogada. Com o encerramento oficial da pandemia do coronavírus no Brasil, o Porto Digital articulará a continuidade da rede e do centro, como legado ao País para lidar com futuras epidemias e pandemias.

Sobre o Porto Digital
O Porto Digital é um dos principais parques tecnológicos e ambientes de inovação do Brasil e é um dos representantes da nova economia do Estado de Pernambuco. Instalado na área central do Recife, sua atuação se dá nos eixos de produção de software e serviços de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), Economia Criativa, além do foco no futuro das cidades por meio de prototipação com base em fabricação digital e internet das coisas (IoT).

27 de Junho de 2020

Pés de cerejeiras
Com a construção do piscinão no Paço de São Bernardo, os pés de cerejeiras, que floriram e enfeitaram o local foram arrancados. Hoje, no local, só há concreto e grama seca. Símbolo do Japão, em tempo de florada, as cerejeiras atraem turistas do mundo inteiro para apreciarem e fotografarem suas lindas flores. A colônia japonesa está sempre atenta em respeitar a natureza e não abre mão em ter pés de cerejeiras onde vivem. Tadashi Nagahara, um dos donos do tradicional restaurante Costela & Cia, vem cultivando pés de cerejeiras e alguns já estão floridos.

Fiel clientela
Mauro Rosa Jr, da tradicional Rosa’s Churrascaria, em Santo André,vem trabalhando ainda mais, neste período de Covid-19, para atender sua fiel clientela, que não abre mão de saborear o famoso filet à parmegiana, suculentas polentas fritas e a tradicional salada de rúcula com torresmo. Com o restaurante fechado, montou um forte esquema de reservas e entregas no sistema drive-thru e delivery.

Artigos de luxo
A Chanel, marca francesa conhecidíssima pelo perfume Chanel N°5 e pelas bolsas de couro, prevê anos difíceis, mas já reabriram cerca de 85% das 417 boutiques da marca. Não haverá vendas online e nem darão descontos nos produtos. A receita da empresa em 2019 foi
de US$ 12,3 bilhões.

Árvore de Natal
Quem circula pelas ruas e avenidas de São Bernardo, se depara com um arsenal de radares, câmeras modernas fixadas em vários pontos da cidade. Algumas são verdadeiras armadilhas. O verde vem perdendo a força e desaparecendo.O motorista que circular pela cidade, ao invés de apreciar a paisagem, terá que ficar ligado nos radares.

Eleição
Foi o tempo que se fazia campanha eleitoral gastando sola de sapato, dando apertos de mãos e tomando muitos cafezinhos em estabelecimentos espalhados pelas cidades. A onda, agora, é rede social, lives com a equipe inteira trabalhando. No modelo antigo,era obrigado a deixar o cargo, junto só levavam um assessor direto. Com isso, um possível adversário poderia crescer e ganhar espaço. Agora, neste novo modelo, o sol só vai brilhar a cada oito anos, quando quem estiver no poder, não puder mais se candidatar à reeleição.

Concreto
É de sentir calafrios, ver dezenas de pés de eucaliptos centenários sendo arrancados, sem que ninguém faça nada. Quem circula pela Av. Pereira Barreto, em São Bernardo, onde era sede da Fábrica da Tecelagem Tognato, em meio a uma belíssima área verde, agora, dando lugar ao concreto. Muito triste o poder público não conservar na cidade o pouco verde que ainda resta. No local, será construído um supermercado. Em cada esquina, se encontra um supermercado, mas uma árvore leva até cem anos para purificar o ar, abrigar pássaros e enfeitar a cidade.


O turismo e os trens

Avalie este item
(0 votos)
Avalie este item
(0 votos)
Pagina 5 de 1009

Visite-nos no Facebook

Main Menu

Main Menu