06 Apr 2020

O governador do Estado, João Doria, no Palácio dos Bandeirantes, acaba de anunciar, durante coletiva, junto ao prefeito Bruno Covas, aos secretários estaduais, de Saúde, José Henrique Germann, e Davip Uip, que após ser diagnosticado com o Covid-19 e ter passado por quarentena, reassumiu a coordenação do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, nesta segunda (6) de abril, que a quarentena irá prosseguir mais quinze dias, ou seja, de 8 a 22 de abril, em toda a região metropolitana e em todo o Estado de São Paulo. A medida será publicada no Diário Oficial, na terça (7), e deverá ser "rigorosamente cumprida", segundo Doria.

“Prefeitas e prefeitos terão o dever e a obrigação de seguir a orientação do Governo do Estado. Isto é constitucional, não é uma deliberação que pode ou não ser seguida. Nenhuma aglomeração de nenhuma espécie em nenhuma cidade de São Paulo será admitida. As Guardas Municipais ou Metropolitanas deverão agir e, se necessário, recorrer à Polícia Militar para que imediatamente possa haver a dissipação de qualquer movimento ou aglomeração de pessoas”, acrescentou o governador.

Na ocasião, Doria fez um apelo aos médios e grandes empresários façam o possível para não demitirem seus colaboradores. Ainda agradeceu algumas empresas que já anunciaram publicamente que não irão demitir funcionários, durante a crise do novo coronavírus. São elas: Alpargatas, Cosan, Pão de Açúcar, bancos Bradesco, Itaú, Santander e BMG, entre outras.

Citando Joseph Stiglitz, ganhador do Prêmio Nobel de Economia, que afirmou: “Se não salvar a vida das pessoas, a economia será devastada” e o Papa Francisco, que disse: “Dinheiro deve servir e não governar”, Doria revelou que tem sido bastante pressionado por empresários para o fim da quarentena. “Vocês estão preparados para assinar os óbitos? Carregar os caixões? Vocês irão enterrar as vítimas? O Governo do Estado ia continuar agindo, com base na ciência e na medicina, com os mais renomados especialistas do País, para proteger e salvar vidas”, enfatizou.

DOAÇÃO- Após reunião, nesta segunda (6), com empresários do Comitê Empresarial Solidário, 60 empresas doaram, no total, R$ 218 milhões para ajudar os mais pobres, com cestas básicas para as comunidades.

BOLETIM- O secretário estadual de Saúde, José Henrique Germann, atualizou o número de casos no Estado:

- 4.620 casos confirmados

- 275 óbitos

- 572 em UTI

Germann ainda afirmou que desde 21 de março, quando iniciou a quarentena, até domingo (5) de abril, os casos confirmados subiram + de 900% (de 459); os óbitos 1.700% (de 15) e as internações em UTIs, em 1.600% (de 33). O secretário garantiu que caso o isolamento social não fosse feito, os números seriam muito piores.

O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando, recebeu alta da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e é mantido em observação e isolamento no hospital do Hospital São Luiz, em São Caetano.

De acordo com boletim médico divulgado no domingo (5) pela Prefeitura, o quadro clínico de Morando é estável. O prefeito está internado desde domingo (29).

"Neste domingo (5/4), o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando, permanece com quadro clínico estável, com melhora dos sintomas e respirando espontaneamente, já sem necessidade de oxigênio. O prefeito está de alta da UTI, porém segue mantido em observação, internado no Hospital, em isolamento."

A Prefeitura de São Caetano, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Seeduc), está lançando o programa Educação Conectada, para a oferta de aulas online durante o período de quarentena. São Caetano é a primeira cidade da região do ABC a oferecer esse recurso. “A ação compreende um conjunto de ações que visam a minimizar os efeitos da suspensão das aulas como ação de combate à propagação do coronavírus”, diz o secretário de Educação Fabricio Coutinho.

O secretário informa que, a partir de terça (7), os alunos das escolas da rede municipal de ensino terão acesso ao site gg.gg/scseduca, por meio do qual serão dadas orientações sobre as aulas e atividades educacionais para fazer durante o período de quarentena.

O site gg.gg/scseduca traz um tutorial, para alunos e familiares, com instruções detalhadas sobre como fazer o login,  acessar as aulas online, realizar as atividades e devolver o material realizado ao professor.

O site contemplará todas as etapas de ensino. Alunos e familiares da Educação Infantil têm à disposição “Orientações às Famílias da EI”, com indicações de brincadeiras que atendem a todos os grupos desta fase escolar (de 1 a 5 anos). “As ações propostas estão em consonância com os princípios do Currículo Municipal. São brincadeiras que primam pelo caráter lúdico e colaborativo, buscando momentos integradores para toda a família”, explica Denise Pattini, diretora do Centro de Capacitação dos Profissionais da Educação Dra. Zilda Arns (Cecape).

A partir do Ensino Fundamental, todo o fluxo de tecnologia educacional tem como base a Plataforma Google for Education, graças à parceria firmada entre a Prefeitura e a empresa multinacional de tecnologia. “Essa parceria possibilitou ao município o pioneirismo na estruturação da plataforma para educação pública”, destaca o professor Luiz Cruz, coordenador Centro de Pesquisa, Formação e Inclusão Digital de São Caetano do Sul (CEDIGI), responsável pela elaboração do site.

Por meio das ações desenvolvidas pelo CEDIGI, o município conta hoje com 6822 salas de aula online acessadas por 14.322 alunos e 1.732 professores que possuem a conta educacional Google SCSEDUCA. “Cada aluno da rede municipal de São Caetano do Sul possui uma sala de aula para cada componente curricular, tendo assim, acesso direto aos materiais de estudo, recebimento de atividades pedagógicas, envio de tarefas realizadas, bem como acesso de comunicação direta com o seu professor, coordenador pedagógico e orientador educacional”, explica Cruz.

As obras de construção de dois hospitais de campanha em Santo André entraram na reta final. O Complexo Esportivo Pedro Dell’Antonia e o Estádio Bruno José Daniel vão abrigar, juntos, 300 leitos de baixa, média e alta complexidade, que darão suporte à rede municipal de saúde em meio à pandemia de Covid-19. As intervenções nos dois locais serão finalizadas nesta semana.

De acordo com o prefeito Paulo Serra, a ação visa garantir atendimento à população durante a pandemia. "Estamos vigilantes e atentos aos novos casos e a demanda em nossos serviços de saúde. Os hospitais de campanha estão sendo construídos para salvar vidas, pois este é o nosso principal objetivo", destacou.

O Estádio Bruno José Daniel está com a montagem das tendas finalizada e entrou na fase de preparo das instalações hidráulicas e elétricas. O acesso ao estádio foi totalmente pavimentado para facilitar a entrada de ambulâncias nos locais de atendimento e de internação.

O Complexo Esportivo Pedro Dell’Antonia está com todas as divisórias e os leitos instalados, bem como as instalações elétricas e hidráulicas. Na fase atual das obras, estão sendo instalados climatizadores, para garantir o conforto térmico para os pacientes.

Os dois hospitais de campanha vão trabalhar como retaguarda do serviço público de saúde, ou seja, vão receber pacientes que tenham sido encaminhados dos hospitais municipais ou das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Dos 300 leitos, 30 serão de transição, ou seja, equipados para estabilização do paciente. Os demais 270 serão utilizados por pacientes de baixa e média complexidade.

Os hospitais de campanha terão ainda equipamentos de raio-x, de tomografia, além de um laboratório. Cerca de 470 profissionais, entre médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, psicólogos, nutricionistas, assistentes sociais, farmacêuticos e fisioterapeutas vão trabalhar nos dois locais.

O programa de auxílio emergencial de R$600, destinado a trabalhadores informais, microempreendedores individuais, contribuintes individuais da Previdência Social e desempregados, criado por lei sancionada na quinta (2), será disponibilizado um aplicativo, nesta terça (7), em parceria com a Caixa Econômica Federal, para permitir que todos as pessoas que se enquadrem nos critérios da lei possam se cadastrar e se habilitar para receber o recurso.

O Governo Federal está organizando toda sua base de dados para encontrar os elegíveis, quem precisa baixar o aplicativo para se cadastrar: informais que não estão no cadastro único, contribuintes individuais ao INSS e o microempreendedor individual. O aplicativo será simplificado e totalmente gratuito para permitir que, em torno de 48 horas após seu cadastramento, aqueles que cumprirem os requisitos legais tenham o recurso creditado em suas contas.

A ação será feita em etapas e a Caixa deverá iniciar a primeira onda de pagamentos, já na próxima semana, contemplando os trabalhadores que estão no Cadastro Único do Governo Federal (CadÚnico), que cumprem os requisitos e têm conta corrente ou poupança no banco.

Para aqueles que estão no CadÚnico e recebem o Bolsa Família, a avaliação de perfil será automática. Quem tiver o direito receberá o crédito do auxílio emergencial no mesmo calendário do benefício regular. Entre os beneficiários do Bolsa Família, há famílias que receberão R$600, R$1200 ou R$1800 a partir do dia 16 de abril, pelos próximos três meses, sem falhas, conforme o calendário regular do programa.

Para os trabalhadores que se enquadram na lei e que estão fora do CadÚnico, a Caixa divulgará nesta semana os canais de cadastramento e as datas de pagamento.

A Caixa divulgará, nesta segunda (6), os procedimentos e o calendário de pagamentos do auxílio emergencial aos trabalhadores brasileiros que que se enquadram nos requisitos da lei  13.982/2020. O decreto regulamentador do programa está em fase final de elaboração. 

As quinze marcas filiadas à Abeifa – Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores, com licenciamento de 2.090 unidades, anotaram em março último queda de 21,7% em relação a fevereiro, quando foram vendidas 2.668 unidades importadas. Ante março de 2019, quando foram comercializadas 2.524 unidades, a retração foi de 17,2%. Com esses resultados, o primeiro trimestre do ano fechou com queda de 4,4%: 7.165 unidades contra 7.496 emplacamentos de veículos importados.

“Com a valorização da moeda norte-americana de 30,7%, somente no período de 2 de janeiro de 2020 ao dia de ontem, o setor de veículos importados esforçou-se ao máximo em manter os preços mais estáveis em reais. Por esse motivo, nos dois primeiros meses do ano, ainda obtivemos um resultado positivo. No entanto, com a declaração oficial da OMS - Organização Mundial da Saúde, no dia 11 de março, de pandemia do coronavírus (Covid-19), aliada à escalada do dólar, as nossas vendas caíram drasticamente”, lamenta João Henrique Garbin de Oliveira (foto), presidente da Abeifa.

Segundo João Oliveira, “diante do cenário de desaceleração da economia brasileira e mundial, nos próximos meses, a Abeifa está preocupada com a própria sobrevivência dos importadores e sua rede de concessionárias e, se confirmadas as projeções de queda nas vendas de automóveis novos este ano da ordem de 40%, como indicam altos executivos de montadoras locais, corremos sério risco também de inviabilizar unidades produtivas”.

Na avaliação do presidente da Abeifa, “a vida humana e a atenção ao quadro pandêmico por coronavírus são prioridades absolutas. Nesse sentido, as 413 concessionárias que compõem as redes autorizadas de nossas 15 associadas seguem orientações técnicas da OMS e das autoridades brasileiras. Internamente, nossas empresas, na área comercial, têm procurado atender aos seus clientes por meio de plataformas digitais além de , por exemplo, já termos estendido prazos de revisões programadas”.

João Oliveira defende, de outra parte, que “às vésperas de completar o primeiro ciclo de quarentena, no dia 7 de abril próximo, seja atendido pelo Governo Federal o pleito de redução da alíquota do imposto de importação, dos atuais 35% para 20%, com a finalidade de reanimar o setor, evitar o fechamento de concessionárias e, consequentemente, impedir a dispensa de parte dos 13,5 mil trabalhadores”.

Produção local – Entre as associadas à Abeifa, que também têm produção nacional, BMW, CAOA Chery, Land Rover e Suzuki fecharam março último com 2.713 unidades emplacadas, total que representou queda de 6,6% em relação a fevereiro de 2020, quando totalizaram 2.906 unidades. E aumento de 10,4% ante março de 2019, quando foram comercializadas 2.458 unidades de fabricação nacional. No acumulado do primeiro trimestre do ano, a produção nacional das associadas à entidade significou alta de 20,4%: 8.142 unidade emplacadas este ano contra 6.762 veículos em 2019.

Participações – Em março último, ao considerar somente os veículos importados por associadas à entidade – total de 2.090 unidades -, o setor significou marketshare de apenas 1,34%. Com 4.803 unidades licenciadas (importados + produção nacional), a participação das associadas à Abeifa foi de 3% do mercado total de autos e comerciais leves (155.810 unidades).


Visite-nos no Facebook

Main Menu

Main Menu