22 Oct 2018

O navio Costa Fortuna, da Costa Cruzeiros, passará por uma grande renovação, entre os dias 10 e 16 de dezembro deste ano. Com investimentos de 8 milhões de euros, a revitalização envolve diversas áreas públicas da embarcação e a introdução de novos serviços aos hóspedes.

O navio, com 103.000 toneladas e capacidade para 3.470 hóspedes, opera atualmente no mercado asiático, mas retornará à Europa em março do ano que vem para cruzeiros semanais pelo Mediterrâneo, partindo de Gênova às sextas-feiras.

Parte da renovação do Costa Fortuna visa criar ambientes que promovam experiências e produtos tipicamente italianos.

Os novos serviços também estarão disponíveis nos cruzeiros pelo Extremo Oriente, logo após o trabalho de renovação, entre os dias 16 de dezembro de 2018 e 26 de fevereiro de 2019. Nesse período, o Costa Fortuna parte de Singapura para dois itinerários diferentes, com uma semana de duração cada. Eles podem ser combinados em uma viagem de 15 dias pela Tailândia, Malásia e Camboja. Os roteiros pelo Extremo Oriente estão disponíveis para venda em todos os mercados.

No dia 5 de março de 2019, o navio inicia seu reposicionamento no Mediterrâneo em um roteiro saindo de Singapura rumo a Gênova. O primeiro cruzeiro do Costa Fortuna na região está marcado para 26 de março. Já entre 29 de março e 08 de novembro do próximo ano, o navio partirá todas as sextas-feiras, de Gênova, para dois itinerários diferentes. Na primavera e no outono, ele visitará Marselha, Barcelona, Valência, Civitavecchia e La Spezia, enquanto que, durante o verão, o Costa Fortuna passará por Marselha, Tarragona, Palma de Maiorca, além de uma longa escala em Ibiza e Olbia.

A renovação do Costa Fortuna foi projetada pelo Grupo italiano Artefice, que possui mais de 22 anos de experiência na criação de identidade de marca e design de varejo no mercado nacional e internacional. Já o projeto do Costa Shop ficará a cargo da empresa de Milão Dordoni Architetti, que recentemente desenvolveu as cabines do mega navio Costa Smeralda, o novo flagship da Costa Cruzeiros.

Renovações

O deck 10 receberá a Pizzeria Pummid'Oro, com pizzas feitas com ingredientes de alta qualidade. A Pummid'Oro utiliza apenas tomates, farinhas e fermentos selecionados a partir de uma parceria com a Universidade de Ciências Gastronômicas de Pollenzo, na região de Piemonte, norte da Itália. Juntamente com a Costa Cruzeiros, a Universidade promove uma dieta sustentável, respeitando a terra e o meio ambiente. Graças à colaboração com a “Latteria del Curatino” e às máquinas inovadoras da Comat, a muçarela de búfala será totalmente produzida a bordo e servirá para as receitas de pizzas, e em muitos outros pratos servidos nos restaurantes do Costa Fortuna.

No deck 9, ao lado da piscina central, a Gelateria Bar Amarillo será instalada para os hóspedes se deliciarem com sorvetes artesanais feitos a bordo todos os dias. Ao renovar esta área, os arquitetos do Grupo Artefice inspiraram-se nos tradicionais balneários italianos, utilizando cores pastéis e criando um ambiente lúdico e descontraído, incentivando também a degustação de coquetéis dos mais variados sabores.

Além disso, e especificamente para que os hóspedes possam capturar os melhores momentos de suas férias, uma nova loja de fotos será instalada no deck 4, em conjunto com uma galeria de exposições que apresentará o conceito My Moments. O novo conceito também será lançado no navio Costa Pacifica, no final de outubro, e no mega navio Costa Diadema, em dezembro deste ano. A loja e a galeria My Moments oferecerão aos hóspedes uma nova experiência a bordo, garantindo diferentes tonalidades de cor ao ambiente, dependendo dos produtos oferecidos: Photo Shades, para fotos profissionais e álbuns de alta qualidade; Retratos, com configurações e planos de fundo cativantes; e Souvenirs, fotos clássicas e lembranças, que capturam os destaques da vida a bordo. Os hóspedes poderão ainda visitar o novo Costa Shop, loja que oferece roupas e acessórios da marca Costa Cruzeiros.

O elegante e completamente reformado átrio central do Costa Fortuna será dominado por três grandes velas, iluminadas por LEDs de diferentes cores, em um ambiente que remete à nova identidade visual do navio, com ondas estilizadas e inspiradas no icônico funil amarelo da Costa Cruzeiros.

A Costa também planeja reformar o Conte Verde, que será transformado em um espaço multifuncional, servindo tanto para tomar uma bebida no lounge bar como para realizar conferências e reuniões; e o Conte Rosso, onde os hóspedes serão recebidos por uma constelação de luzes sob as quais poderão saborear um copo de vinho e aproveitar o piano bar. Já a Sala Leonardo terá um novo visual, iluminado por lâmpadas mais modernas e pista de dança ampliada. Os trabalhos de reestilização também serão realizados nas piscinas exteriores e jacuzzis, bem como nos dois restaurantes principais, que contarão com sistemas de iluminação novos e mais eficientes.

As suítes do Costa Fortuna, que garantem conforto e elegância, ganharão novos chuveiros com luzes e jatos de águas que relaxam. E a cozinha do Club Restaurant será adaptada para oferecer um menu especial aos hóspedes que escolherem ficar nas suítes (e membros do Costa Club Perla Diamante – mediante a disponibilidade).

Roma, no seu esplêndido centro histórico, está repleta de cafés antigos. Cada um desses lugares tem sua própria história e conta algo mais sobre a cidade eterna e sobre quem, passando pela capital, ficou fascinado por ela. Entre os cafés mais famosos está o Antico Caffè Greco, localizado na elegante Via Condotti. É o segundo mais antigo da Itália depois de Florian em Veneza.

Quadro de Ludwig Passini - Kuenstler im Cafe Greco in Roma

Fundada em 1760, deve seu nome à origem grega de seu fundador Nicola della Maddalena. Um ponto de encontro de artistas e intelectuais italianos e estrangeiros desde o século XIX, uma encruzilhada do mundanismo e da cultura nos anos 60 e 70, tem sido frequentemente retratada em esboços e pinturas e também contou com a presença de Schopenhauer, Franz Liszt, Stendhal, Wagner e Orson Welles.

Além de desfrutar de um bom café, nos salões deste lugar encantador, você pode admirar mais de 300 obras que fazem do Antico Caffè Greco uma das maiores galerias de arte privadas abertas ao público no mundo.

Localizado na famosa Via del Babuino, você encontra o Caffè Museo Atelier Canova Tadolini, é um antigo estúdio que pertenceu ao grande escultor Antonio Canova e foi deixado por seu aluno favorito Adamo Tadolini. O estúdio de hoje não é apenas um café, mas foi transformado em uma sala particular que também abriga um museu com uma coleção excepcional de esculturas.

Antico Caffè della Pace

Movendo-se para a Piazza Navona, encontra-se o Antico Caffè della Pace. Em estilo art nouveau o  restaurante do final do século XIX, está localizado na Via della Pace, perto do Chiostro de Bramante e caracterizado por móveis antigos de madeira e uma fachada coberta com videira canadense. Um lugar da moda, e ainda é, frequentado por intelectuais e estrelas italianas e internacionais.

Localizado a poucos passos da Piazza Navona e do Pantheon e em frente ao Senado da República Italiana, há o Caffè Sant'Eustachio. A antiga torrefação de madeira, nascida nos anos 30, ainda hoje possui o mesmo mobiliário e o mesmo piso da época. Seu emblema é o cervo, um símbolo de Sant'Eustachio.

Torrefação - Sant'Eustachio

A Sala da tè Babington não é um café, mas um salão de chá. Fundada em 1893 pelas inglesas Isabel Cargill e Anna Maria Babington, esta sala de chá e leitura foi criada para os muitos anglo-saxões de Roma que podiam beber a sua bebida preferida, na época vendida apenas em farmácias. Ainda hoje, o lugar, amado pelos amantes do chá, podem encontrar todas as essências, há uma atmosfera tranquila e reservada.

Sala da tè-Babington

O mobiliário essencial no estilo do final do século 19, as mesas de madeira com canudos coloniais, os exclusivos bules e porcelanas fazem da Sala da tè Babington com vista para a Piazza di Spagna ainda mais mágico.

Para os apreciadores da história, uma pequena memória para o que tem sido há muitos anos um lugar de agregação: o Caffè Notegen. Fundada no século XIX pelo suíço Jon Notegen, como uma mercearia com torrefação de café, somente na década de 1930 o café tornou-se o ponto de encontro de artistas italianos e estrangeiros que o frequentavam desde a Segunda Guerra Mundial até a década de 1980. Agora não existe mais, mas se você for à Via del Babuino no número 159, vale lembrar as histórias deste café.

Serviço:

Antico Caffè Greco
Via Condotti, 86

Sala da tè Babington 
Piazza di Spagna, 23

Antico Caffè della Pace
Via della Pace, 3

Caffè Museo Atelier Canova Tadolini
Via del Babuino, 150

Caffè Sant’Eustachio
Piazza Sant’Eustachio, 82

Caffè Notegen 
Via del Babuino, 159

Para 82% dos brasileiros economia está ruim e apenas 19% acham que situação vai melhorar nos próximos seis meses; 47% alegam que há pelo menos uma pessoa desempregada na residência

Os reflexos da crise econômica e as incertezas do processo eleitoral sobre as medidas que o novo presidente deverá adotar para a economia voltar a crescer têm impactado o humor do consumidor brasileiro. Dados apurados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostram que o Indicador de Confiança do Consumidor não apresentou evolução na passagem de agosto para setembro, período marcado pela campanha política no rádio e na TV. O índice ficou em apenas 41,9 pontos em setembro contra 42,4 pontos em agosto. A escala do indicador varia de zero a 100, sendo que quanto maior o número, mais confiantes estão os consumidores.

O Indicador de Confiança é composto por dois componentes: o Subindicador de Percepção do Cenário Atual - que ficou em apenas 29,6 pontos – e o Subindicador de Expectativas, que alcançou 54,2 pontos.

De acordo com o levantamento, 82% dos brasileiros avaliam de forma negativa as condições da economia no atual momento, percentual que não apresentou alteração frente ao mesmo mês do ano passado, quando estava em 81% do total de entrevistados. Para 14%, o desempenho é regular e para apenas 2% o cenário é positivo. Entre aqueles que avaliam o clima econômico como ruim, os principais sintomas são o desemprego elevado (68%), o aumento dos preços (61%) - apesar da inflação controlada-, as altas taxas de juros (38%) e o aumento do dólar (29%).

 47% dos brasileiros têm alguém sem emprego dentro de casa e 34% estão receosos de serem demitidos

Um dado que esclarece a má avaliação do momento atual é que quase metade dos consumidores afirmam que entre os residentes de sua casa há pelo menos um desempregado (47%) e um terço dos que estão trabalhando têm receio alto ou médio de ser demitido (34%). O que mais tem incomodado na vida financeira familiar é o custo de vida, citado por 51%, seguido do desemprego (19%). Indagados sobre onde mais sentem o aumento dos preços, as contas de água e luz despontam na liderança, com 89% de citações. Nos supermercados, esse percentual foi de 87%, ao passo que nos combustíveis foi de 86%.

Na avaliação da economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, embora o país tenha superado a recessão técnica, o consumidor brasileiro ainda sente os reflexos da crise e tem ficado mais cauteloso diante do processo eleitoral em curso. “Toda eleição traz incertezas, ainda mais em uma campanha marcada pelo imponderável como a atual. Ainda há muitas dúvidas sobre como os candidatos pretendem lidar com as reformas que o país precisa. Enquanto a recuperação econômica não se traduzir em queda do desemprego e crescimento real da renda, não haverá uma percepção de melhora do bem-estar. A economia está se recuperando de forma gradual, mas enfrentou percalços ao longo do ano para esboçar uma reação mais vigorosa que justificasse uma retomada da confiança e um final de ano menos pessimista”, explica a economista.

 43% dos consumidores consideram própria situação financeira como ruim

O levantamento também mostra que quando se trata de responder sobre a própria vida financeira, o número de consumidores insatisfeitos é menor do que quando se avalia a economia do Brasil como um todo, mas ainda assim é elevado. De acordo com a sondagem, 43% dos brasileiros consideram a atual situação financeira como ruim ou péssima. Outros 45% consideram regular e um percentual menor, de 11%, consideram que vai bem.

O custo de vida elevado e o desemprego são as principais razões para considerar a vida financeira ruim, apontadas por 57% e 34% desses consumidores, respectivamente. Os entrevistados mencionam também a queda da renda familiar (25%), imprevistos (13%), e a perda de controle financeiro (11%).

 Um terço dos entrevistados acha que a economia não deve melhorar nos próximos meses. Corrupção e desemprego são principais causas da percepção negativa

Outra questão que a sondagem também procurou saber é o que os brasileiros esperam do futuro da economia do Brasil, considerando os próximos seis meses. Nesse caso, o estudo descobriu que 33% estão declaradamente pessimistas. Quando essa avaliação se restringe a vida financeira, no entanto, o volume de pessimistas cai para 10%. Os otimistas com a economia são apenas 19% da amostra, ao passo que para a vida financeira, o percentual sobe para 55% dos entrevistados.

Para justificar a percepção predominantemente pessimista com os próximos seis meses da economia - período que engloba os primeiros meses do novo presidente - a corrupção e o desemprego se destacam como as principais causas do pessimismo, ambos citados por 48% dos entrevistados.

Já entre a parcela majoritária que manifesta otimismo com a própria vida financeira, a maior parte (32%) não sabe explicar as razões: apenas diz esperar que coisas boas devem acontecer. Além desses, 28% acreditam que irão conseguir um novo emprego e 22% alegam fazer uma boa gestão da vida financeira, o que proporciona mais tranquilidade com o futuro.

Pesquisadores da Faculdade de Medicina do ABC (FMABC) deram início neste ano à segunda fase de um estudo pioneiro sobre nova técnica de perfilhamento genético do câncer de mama. Trata-se de exame que subsidia a equipe médica com o diagnóstico molecular da doença, fornecendo elementos que permitem a indicação de tratamentos mais precisos, melhorando o prognóstico. Hoje o exame mais conhecido do gênero é o Oncotype DX, disponível no país em poucos serviços particulares ao custo de aproximadamente R$ 13,5 mil. A patente para a técnica brasileira já está vigente há dois anos e a expectativa é de que o exame seja lançado no mercado por até R$ 1.800,00 – ou seja, 85% mais barato que o Oncotype DX.

Em junho deste ano, o teste Oncotype ganhou as manchetes do mundo em função de um estudo apresentado no encontro anual da ASCO - American Society of Clinical Oncology (Sociedade Americana de Oncologia Clínica) – o maior evento mundial na área de oncologia. Segundo a pesquisa, batizada TAILORx, grande parte das mulheres com câncer de mama em fase inicial e que seriam submetidas à quimioterapia podem não precisar mais desse tratamento tóxico e agressivo. Publicado no New England Journal of Medicine, o trabalho garante que é possível poupar da quimioterapia até 70% das pacientes diagnosticadas com um tipo de câncer de mama extremamente comum.

MENOS QUIMIOTERAPIA

O estudo norte-americano TAILORx recrutou total de 10.253 mulheres com tumores de mama primários, com dimensão entre 1 e 5 centímetros, receptores hormonais positivos, HER2 negativos (um tipo de proteína) e axila negativa (quando a doença não atingiu os nódulos linfáticos), que realizaram o teste molecular Oncotype DX em diferentes países. Acompanhadas por até nove anos, as pacientes foram divididas em três grupos, conforme o resultado do Oncotype: baixo risco, risco intermediário e alto risco.

Nos extremos, as condutas médicas já eram bem definidas. No grupo de baixo risco, com índice de 0 a 10 no exame, o tratamento após a retirada do tumor apenas com terapia hormonal, sem quimioterapia, é considerado seguro segundo estudos anteriores – ou seja, essas pacientes não se beneficiam da quimioterapia. Já nos casos de alto risco, com índice de 26 ou mais, a quimioterapia é necessária em função da maior agressividade do câncer e do risco aumentado de retorno da doença (recidiva). No entanto, aproximadamente 40% dos resultados do Oncotype DX caem na faixa intermediária, entre 11 e 25, onde não haviam dados consistentes que garantissem segurança ao tratamento sem quimioterapia. Esses dados foram disponibilizados a partir do TAILORx: até 70% das mulheres com câncer de mama conforme o perfil estudado podem deixar de fazer quimioterapia, poupadas de efeitos colaterais importantes, do maior risco de infecções e de prejuízos físicos, psicológicos, sociais e emocionais.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), os resultados do TAILORx “são de extrema importância, sendo evidências robustas de que a maioria das pacientes com câncer de mama, axila negativa, e risco intermediário no Oncotype DX podem evitar a quimioterapia”. Presidente da SBM, Antonio Luiz Frasson completa: “Precisávamos entender o que ocorria com as pacientes de risco intermediário. Ao confirmar que 83% das mulheres que participaram do estudo estão no risco baixo ou intermediário, onde a quimioterapia não foi benéfica, nos anima, porque, desta forma, muitas mulheres poderão ter uma melhor qualidade de vida. Agora os médicos terão mais assertividade para acrescentar ou não a quimioterapia ao tratamento”.

CÂNCER DE MAMA

O carcinoma de mama é a causa mais frequente de mortalidade por câncer em mulheres no país, com risco esperado de 49 casos a cada 100 mil brasileiras, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA). A elevada incidência da doença reforça a necessidade de biomarcadores prognósticos mais efetivos – como é o caso do Oncotype –, capazes de estratificar os riscos de recidivas e preveni-las a partir da personalização dos tratamentos. “Os tumores de mama são heterogêneos do ponto de vista molecular. Dessa forma, a avaliação das características anatomopatológicas, associada ao perfilhamento gênico do tumor e a biomarcadores relacionados ao processo metastático – como a pesquisa de células tumorais circulantes – podem proporcionar visão mais ampla do processo tumoral, fornecendo informações importantes de natureza prognóstica e preditiva”, explica o professor titular de Oncologia e Hematologia da FMABC, Dr. Auro del Giglio.

Atualmente existem três principais plataformas de perfilhamento gênico com utilidade prognóstica potencial – ou seja, que podem influenciar diretamente na definição do tratamento de mulheres com câncer de mama: plataforma de Rotterdam, Oncotype e Mammaprint. Entre as opções, a Oncotype reúne vantagens operacionais que a tornam preferida entre as demais. No entanto, a alternativa brasileira pode entrar em breve nessa lista e tornar o teste mais acessível.

Pesquisa da Medicina ABC busca democratizar exame

O Oncotype DX analisa 21 genes envolvidos em importantes processos ligados ao câncer de mama, como invasão tumoral, proliferação celular e vias relacionadas a receptores hormonais. “O exame permite visualizar todo o perfilhamento genético do câncer de mama. A partir dos resultados é gerado um índice, que indica as possíveis respostas da paciente antes mesmo do início do tratamento. Graças a esse score é possível saber quais pacientes se beneficiariam de quimioterapia para prevenção de recidivas ou aqueles casos em que apenas a hormonioterapia traria melhor prognóstico”, explica o coordenador do Laboratório de Análises Clínicas e vice-diretor da Faculdade de Medicina do ABC, Fernando Luiz Affonso Fonseca.

Segundo o especialista, apesar da grande utilização nos Estados Unidos e Europa, o custo de R$ 13,5 mil no Brasil ainda torna o teste Oncotype distante da realidade da maioria da população. “É uma ferramenta prognóstica fundamental para melhorar os resultados dos tratamentos. No entanto, devido ao alto custo, está restrita à reduzida parcela da população”, lamenta Fonseca.

TESTE BRASILEIRO

A exemplo da plataforma Oncotype, a técnica desenvolvida na FMABC também analisa 21 genes ligados ao câncer de mama. Em outubro de 2015, a revista científica internacional Tumor Biology publicou artigo sobre o novo exame. Em fevereiro deste ano teve início a segunda fase do estudo, que foi aprovada para financiamento da FAPESP - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo. “Estamos hoje na chamada fase de validação, aplicando na prática a metodologia desenvolvida na primeira etapa do estudo. Ao todo serão selecionadas 800 amostras no serviço de Patologia da FMABC, provenientes de mulheres já tratadas do câncer de mama. A expectativa é de reavaliar todo esse material até fevereiro de 2020”, planeja o titular de Oncologia e Hematologia, Dr. Auro del Giglio.

Segundo o Dr. Fernando Fonseca, o objetivo agora é verificar o comportamento do score brasileiro neste novo e amplo seguimento de pacientes, para comparar os resultados do teste com as condutas médicas efetivamente adotadas ao longo do curso clínico. “Vamos analisar quais pacientes se beneficiaram do tratamento quimioterápico, assim como aquelas que poderiam ter sido poupadas e até mesmo as que não passaram pela quimioterapia, mas que teriam algum benefício. A partir desses resultados práticos, teremos o produto final validado. Com essa nova técnica, segura e mais acessível, esperamos que o teste seja disponibilizado em larga escala, inclusive com incorporação pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e por operadoras de planos de saúde privados”, planeja Fonseca, que assina o estudo ao lado dos pesquisadores Auro del Giglio, Beatriz Alves, Flavia de Souza e Renata Kuniyoshi.

Com a reforma da estrutura já concluída, a entrega da Policlínica do Jardim Bom Pastor se aproxima, entrando na fase de instalação de mobiliário, equipamentos médicos e retoques finais. A previsão para a reabertura do equipamento é para o início de novembro. Em conformidade com o padrão Qualisaúde, a unidade terá atendimento de clínico geral, pediatra, ginecologista, dentista, além de procedimentos como vacinação e curativo.

“O local terá o mesmo padrão das demais que entregamos. Haverá totem para retirada de senha, o material da reforma é de primeira mão, não ficando atrás da rede particular em nada. Queremos um espaço adequado para oferecer atendimento de qualidade à nossa população, e na inauguração todos serão convidados para ver de perto como a estrutura está bonita e moderna”, disse o prefeito Paulo Serra, durante vistoria no espaço, na sexta (19). O investimento para modernização da Policlínica do Jardim Bom Pastor foi de R$ 309 mil.

Além das revitalizações físicas, o programa Qualisaúde comporta inovações nos processos de trabalho e em projetos para atendimento na rede. “Outra novidade que teremos para essa unidade é reforçar as práticas esportivas como forma de prevenir doenças. Temos uma população idosa significativa neste bairro, então por meio desses grupos será possível melhorar a qualidade de vida dessas pessoas”, projetou o secretário de Saúde, Márcio Chaves.

Dentro do programa Qualisaúde esta será a quarta unidade inaugurada com melhorias essenciais para a população. O primeiro de onze equipamentos novos foi a UPA Bangu, entregue em abril de 2018. Já em agosto aconteceu a inauguração da Clínica da Família do Jardim Cipreste. Em setembro, a prefeitura entregou a Policlínica Campestre. Os outros sete serviços serão reinaugurados até o final deste ano.

Além desses equipamentos, a Prefeitura de Santo André também inaugurou neste ano o novo Centro de Gestão de Suprimentos da Saúde, na Vila Homero Thon, responsável pela logística informatizada de todos os suprimentos da rede andreense de Saúde; criou o Complexo Regulador Municipal, no Centro, responsável pela marcação de consultas da rede, auditoria dos contratos da Secretaria da Saúde com prestadores de serviço e gerenciamento de vagas nos equipamentos de urgência e emergência da cidade; e inaugurou no Centro Hospitalar Municipal – Dr. Newton da Costa Brandão o Centro de Diagnóstico por Imagem, com a instalação de um novo aparelho de tomógrafo 3D.     

“Estamos tendo um novo tempo na Segurança Pública de Mauá”, foi assim que o prefeito, Atila Jacomussi, começou o discurso de posse da nova Guarda Civil Metropolitana. A partir desta semana, 40 novos profissionais já iniciam seus trabalhos nas ruas, integrando a corporação de 260 GCMs.

No ato foram entregues coletes balísticos, armamento, munição, farda, bota, cinturão e algemas. “Mauá nunca teve a segurança que temos hoje. Retomaremos diversas ações como o Bairro Seguro (com rondas da Guarda), Ponto Seguro (nos pontos de ônibus), Programa Detecta (para identificar roubo de veículos) e estamos com a licitação aberta para obter novas viaturas, além disso, o Garra está vindo para o município também”, disse o prefeito.

O secretário de Segurança Pública, coronel Bartazar, elogiou a recuperação da proteção aos mauaenses: “Fizemos um balanço e vimos que o prefeito fez bem mais em um ano e meio do que nos últimos 13 anos, que foi quando aconteceu a última contratação de guardas. A nossa intenção é resguardar a vida das famílias e estamos aqui para isso”, discorreu.

Um dos 40 novos profissionais, o GCM de 2ª classe Schmidt, elogiou o treinamento de quatro meses antes de iniciar os trabalhos. “Foi um período de muito aprendizado, tivemos diversas disciplinas e também mantivemos contato com as guardas de outras cidades da região, esta troca foi muito rica para entender as dificuldades. Agora estou realizando um grande sonho, assim como todos aqui, queremos servir ao município”, ressaltou.

 


Visite-nos no Facebook

Main Menu

Main Menu